Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Wagner Passos Garcia

    Bom dia, meu amigo Marcelo! Demonstrei seu artigo para meu filho e ele n√£o entendeu a aplica√ß√£o da f√≥rmula num√©rica para quest√Ķes qualitativas. Pareceu a ele que n√£o faz sentido a princesa descartar os primeiros N/e dentre as op√ß√Ķes. Exemplo: entre 100 pretendentes, ela descartaria sem ver os 36 primeiros da lista, nem seria os 36 aleat√≥rios (o que seria at√© razo√°vel) mas sim arbitrariamente os 36 primeiros. E se por azar dela os primeiros forem os melhores? Mistura de num√©rico com qualitativo.

    Responda
  2. Wagner Passos Garcia

    Meu amigo Marcelo Viana, sensacional. O np de Euler √© genial, com infinitas aplica√ß√Ķes, que por sua vez, como esta que voc√™ t√£o bem relatou, derivam ou ensejam outras tantas utiliza√ß√Ķes. Com certeza h√° algoritmos de intelig√™ncias artificiais utilizando este recurso como exemplificado por voc√™ em processos decis√≥rios e de escolhas.

    Responda
  3. Nathan Mimoso

    Quando quero ler algo interessante e divertido, sempre recorro a essa coluna. Parabéns, Marcelo Viana!

    Responda
  4. José Cardoso

    Pelo que entendi, a regra vale se o n√ļmero N for conhecido, o que √© o caso da princesa. No caso do exemplo dos postos de gasolina, ou mesmo das escolhas matrimoniais de plebeus comuns, n√£o se sabe seu valor.

    Responda
  5. filipe moura lima

    A matem√°tica sempre surpreendendo!

    Responda