Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. CHEDES PACHECO DA SILVA

    Lembro, de que era um tabu, por quest√£o de religi√£o ser cremado, hoje j√° consigo decidir a forma do exterm√≠nio de meu corpo. Aborto nem pensar, hoje em alguma circunst√Ęncia, j√° pode. Perna de Morte existem em alguns pa√≠ses, onde o Estado pode decretar a morte do cidad√£o, mas este n√£o pode decidir sobre sua pr√≥pria vida.

    Responda
  2. zilda bastos mello

    Este é um assunto muito complexo. Queixamos sempre da intromissão do estado na vida das pessoas. Porque desejar que neste caso seja diferente? Sem condenar a eutanásia , acredito que uma ampla discursão seja necessário. Como saber se um pessoa que sofre em demasiado , é por si mesma, livre para decidir?

    Responda
  3. Paulo Silva Barbosa

    A vaidade e o egoísmo em não aceitar a cruel realidade da vida para uns, fazem estes gestos de desesperança onde na visão deles não vale mais viver .

    Responda
  4. Paulo Azevedo

    Sou a favor, a pessoa tem que ter o direito de escolher se quer ficar sofrendo ou n√£o.

    Responda
  5. ANDRÃ LUIZ VIANNA

    Lygia me desculpe, você começou bem, alertando para a pouca atenção que se empresta ao tema, em função do medo da morte. Porém, ao final, você apenas "passou o pano", como se diz hoje em dia. Também fugiu do assunto! Precisamos falar sobre Eutanásia! André Vianna

    Responda
  6. Marcos de Toledo Benassi

    Cara Lygia, parecem-me muito intrusivas as decis√Ķes do Estado sobre a vida interna do cidad√£o: a troco de qu√™ uma representa√ß√£o do poder delegado coletivamente vai decidir sobre o que posso ou n√£o ingerir ou a forma como devo morrer? Se tomo u√≠sque ou LSD, desde que n√£o saia √† rua fazendo bobagens, que sentido faz a inger√™ncia do estado? Se decidir morrer por conta pr√≥pria, em sofrimento intenso ou n√£o, √© puramente uma decis√£o pessoal. O Estado dizer que n√£o posso faz√™-lo √© absurdo.

    Responda
  7. Gaya Becker

    Sou absolutamente favor√°vel a regulamenta√ß√£o de uma lei que permita o suic√≠dio assistido com a garantia de um tabeli√£o e testemunhas presenciais sobre a √ļltima vontade da pessoa humana. O final da exist√™ncia √© a √ļnica certeza que temos, portanto, o ser humano tem o direito e a liberdade para decidir com dignidade o momento derradeiro de descansar em paz.

    Responda
  8. Eduardo Giuliani

    Racioc√≠nio l√≥gico leva a crer que muito provavelmente h√° reencarna√ß√£o. Acreditando em reencarna√ß√£o, faz todo sentido querer terminar este ciclo quando as condi√ß√Ķes do corpo n√£o mais lhe permite influir no entorno. Se tudo se transforma, a alma que entra no corpo no primeiro respiro e sai do corpo no √ļltimo suspiro tem que ir para algum lugar, que provavelmente √© o mesmo lugar de onde veio. A mat√©ria continua aqui (√°tomos usados na forma√ß√£o do corpo) mas a alma tem uma outra dimens√£o.

    Responda
  9. Lourival Costa

    Um psiquiatra amigo meu diz que wisk também é bom. Ademais, é relativamente barato, disponível sem receitas, tira dor, não deixa cheiro, é em baixas doses afrodisíaco, gostoso, doce com gelo, anestesiante total e longe de médicos. Uma mulher generosa após acompanhar por pelo menos duas doses é um presente dos deuses. E o companheiro para ela também. A mistura dos três não tem igual, é o melhor trio amoroso possível.

    Responda
    1. Marcos de Toledo Benassi

      Hahahah, Poi Zé, Lourival: se podemos tomar uísque, por que não lsd ou cicuta?