Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. RONICLEY Nunes

    Acontece Srta Lygia Maria, a Srta Laura Matos quis emplacar um viés depreciativo sobre ela usar drogas, e a sua genialidade. Usar drgoas num âmbito recreativo é igual ao que bilhões de pessoas fazem ao tomar um drink alcoólico, porém usar drogas sem parar é igual a beber sem parar, e isso é anômalo. Os maconheiros mencionados na reportagem não fumavam maconha o dia e a noite inteira e iriam escrever, era dessa forma que eles criavam? Eles eram guiados pelas drogas? Então?

    Responda
  2. armando moura

    Se sagan fumou maconha o mesmo o fez Jobs o cara da Microsoft etc. Porque a Rita Lee seria a unica roqueira no mundo que não teria experimentado? Se esta for a forma de construir um mundo inovador, poe maconha no café da manhã de todo mundo, porque do jeito que está só vai ficar pior com os trumps bolsonaros ergodan zalensky putin e cia bela. A droga destes caras é o poder, assedio sexual, dinheiro e tudo que o diabo enaltece.

    Responda
  3. Fernando Alves

    Depois ficam chorando quando a gente comunica que não vai renovar a assinatura da FSP. Basta um contingente considerável de assinantes reclamar da abordagem de uma matéria que o jornal que o jornal escala vários colunistas para criticarem os críticos. A FSP vem trocando jornalismo por colunismo e ainda usa esses colunistas, que não possuem compromisso com a prática jornalística, para atacar quem aponta a baixa qualidade do pouco jornalismo praticado pelo jornal.

    Responda
  4. Joaquim Salomão

    Pobre plantinha tão discriminada. Droga de verdade e muito perigosa é o bolsonarismo.

    Responda
    1. Ricardo Corbett

      Causa alucinacao em massa

  5. José Cardoso

    Na época do Hair, as drogas eram algo 'cabeça' e viver em grupo nas ruas era uma proposta libertária hippie. Hoje a imagem mudou: o drogado é um zumbi morador de rua. Como diria o Baudelaire, o halo do anjo caiu na sarjeta.

    Responda
  6. Marcos Benassi

    Poi Zé, Lygia, não seria Tia Rita, desbocada e libertária, que ficaria ofendida. Esse papo de proibicionismo já deu o que tinha que dar; todavia, seguirá por muito tempo como uma neoplasia, pendurada, um seio nascido nas costas, dolorido e incômodo, volta e meia sangrando. Interessa a muitos: igrejas, mantêm-se únicos canais a Deus; bandidos, obtém poder econômico e político; prisões, que interessam a tantos, entopem-se. E segue a vida.

    Responda
  7. Jefferson Deivis Jorge

    Texto superficial. Parece que foi escrito em cima da hora e pra tapar um buraco. Raso!

    Responda
  8. Laudgilson Fernandes

    Se for abrir o armário das drogas. Vai encher páginas inteiras dos jornais. Vai ser um rido geral.

    Responda
  9. JOSE LUIS BOMBONATTI

    Ára!. Foi inadequado. A moça que escreveu não precisa ser trucidada por isso, mas que a manchete foi grosseira, foi!

    Responda
  10. joão moreira

    A jornalista do texto original simplesmente fez um resumo daquilo que convinha do livro da Rita para defender sua "tese". E a sra. Lygia também dá sua forçada de barra....como sempre.

    Responda
  11. Nuno Bittencourt

    Boa bola, Dona Lygia!

    Responda