Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. João Vergílio Gallerani Cuter

    Caramba, Lygia... Você deve estar comendo o pão que o diabo amassou. Parabéns pelo artigo... e pela coragem.

    Responda
  2. Matheus Battistoni

    Isso ê propaganda lésbica patrocinada pelo Banco Mundial para reduzir a natalidade no mundo. Antigamente eles pagavam cirurgias de esterilização, agora promovem grupos feministas e filmes como Barbie, etc. Isso sem falar na Copa do Mundo de futebol feminino. Os fins não justificam os meios.

    Responda
  3. LUIS RICARDO RIBEIRO CORREA DOS SANTOS

    Coisa linda de ver, tantos "feministos" se manifestando...

    Responda
  4. CARLA FRANCO LIMA DE AMORIM

    Que texto lament√°vel.

    Responda
  5. Andrea Palermo

    Uma mulher contestando express√Ķes do feminismo contempor√Ęneo n√£o surpreende. Ao contr√°rio, √© sintoma do machismo estrutural que nos engole a todes. Como escreveu D√©borah Diniz, no maravilhoso Esperan√ßa Feminista, ¬Ąo assombro criativo √© o afeto que ferve em nossos corpos quando praticamos o estranhamento, um exerc√≠cio pol√≠tico e metodol√≥gico de deslocamento do patriarcado em n√≥s¬ď. √Ä colunista recomendo a leitura.

    Responda
  6. Marcos Benassi

    Colegas, Prezad√≠ssim@s que ainda retornem a esta discuss√£o, curios@s com suas decorr√™ncias, um coment√°rio gen√©rico. √Č muito sintom√°tico do tempo em que vivemos que tenhamos investido energia numa discuss√£o relativamente est√©ril ao inv√©s de boquejarmos acerca das palavras idiotas do chefe do Itesp, tr√™s artigos depois - no √≠ndice do jornal - acerca da vil "anistia" que o Tarciz√£o da Var√≠ola oferece aos grileiros paulistas. Sinal dos tempos: devora-nos a aten√ß√£o e o c√©lebro, contra o essencial.

    Responda
  7. humberto cavalcanti

    A articulista é pouco informada,olha só pro puritanismo norte-americano.Esquece feministas,intelectuais,atrizes como Catherine Deneuve que promoveram manifesto se opondo ao Me Too.E não é à-toa que,sem espaço para comentários.hoje ha notícia na FOLHA sobre a adoção por norte-americanas de Hollywood do brasileiro Fio-Dental que acho uma amostra de moda-padronização que prefere sacrificar o conforto e a estética dos contornos do corpo,ao pseudo-sensual,pseudo liberação.E as nórdicas européias?

    Responda
  8. Jo√£o Paulo Zizas

    O texto é excelente em razão de captar bastante bem a essência da forma de feminismo mais ruidosa na atualidade. Merece aplauso o importantíssimo alerta feito pela colunista sobre a vulgarização de atos abomináveis como o assédio e o estupro promovida por figuras que se autoproclamam as mais fidedignas defensoras dos direitos das mulheres . Essas criaturas na realidade desrespeitam profundamente as reais vítimas desses crimes ao tentar impor suas distorcidas ideias sobre eles às pessoas normais.

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Vou até reler o texto, João, de modo interpretar adequadamente a frase "tentar impor suas distorcidas ideias sobre eles às pessoas normais". "Pessoas normais" é algo que me traz profunda desconfiança. Mas vou relê-lo.

  9. Dora de Oliveira e Silva

    Achei corajosa a autora por se colocar de maneira objetiva contra a maré de vitimização atual. Parabéns!

    Responda
  10. Emilio Bazzani

    As feministas revoltadas de plantão, for texto coerente vir de uma mulher XX: narciso acha feio o que não é espelho.

    Responda
  11. Emilio Bazzani

    Exagero. Em algumas empresas, cotas para mulheres gerentes e diretoras, como se fossem incapazes. O RH teve de admitir incompetentes para atingir cota e satisfazer o mercado.

    Responda
  12. Chiara Gonçalves

    O proveito de um artigo ruim é que ele gera comentários muito bons. Muitos leitores, em pouco espaço, dão uma aula de retórica em Lygia e Pondé, sempre vou neles por isso.

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Hahahahah, Santa Clara, zelai pela Chiara. Hahaah!

    2. humberto cavalcanti

      Chiara, voc√™ √© das minhas! √ďtima! Nesses dias, Pond√©, dito fil√≥sofo, no seu programa na Cultura, enrolou, enrolou e n√£o disse o que √© amor plat√īnico, ficou no f√°cil discurso de coisa et√©rea (mas n√£o est√° s√≥, pouca gente sabe, sem precisar recorrer a argumentos de autoridade.

  13. Anna Amélia Meule

    foi o meu √ļltimo coment√°rio na coluna dessa dona Lygia. n√£o vou ajudar quem s√≥ quer seguidores, n√£o. vou √© cuidar das minhas alergias.

    Responda
  14. Alex Sgobin

    Texto infeliz! A colunista envereda pelas trilhas emporcalhadas da direita, e esperamos sinceramente que sem perceber!

    Responda
  15. Anna Amélia Meule

    √© a primeira vez que vou discordar do Itamar, pois ele n√£o deveria de ter perdido o seu precioso tempo em responder a Lygia. este texto raso, despreparado e fora de lugar √© a prova de que Lygia quer holofotes, apenas isto. muit√≠ssimo prov√°vel que n√£o leu Itamar. e quanto dizer que as mulheres s√£o v√≠timas, dona Lygia, verifica o n√ļmero de femic√≠dios no pa√≠s, primeiro, antes de vir falar disparates por c√°. que vergonha alheia!

    Responda
  16. Heidi Capuzzo

    Texto muito desnecessário nos dias de hoje, com pesquisa e embasamento 0. Parabéns pelo mestrado e doutorado para chegar nesta conclusão que o problema em nossa sociedade está nas mulheres se vitimizarem. Até a Barbie teria vergonha desta coluna!

    Responda
  17. Hermogenes Moussallem

    Odeia feminismo mas ama e desfruta dos benefícios que o feminismo lhe trouxe. Gosto de ver a Folha dar espaço para essa colunista pois ela representa impecavelmente a superficialidade da direita.

    Responda
  18. LUCIANA LAUSER TIMM

    Chamar os movimentos feministas e anti-racistas de vitimismo é o discurso clássico da direita, assim como está sendo falar que não se tem mais liberdade de expressão. Ignora todos os micromachismos cotidianos e onipresentes que mesmo as mulheres que conquistaram autonomia sofrem ... Apenas alguns não percebem, só enxergam as formas grotescas dos preconceitos.

    Responda
  19. Fabrício Schweitzer

    Estar√° o feminismo contra as mulheres ou a sociedade do espet√°culo, apoiada pelo patriarcado, est√° contra o feminismo e, consequentemente, contra as mulheres?

    Responda
  20. Luiz Candido Borges

    Como observado mais abaixo pelo Marcos, com sua sutileza habitual, um dos maiores problemas das discuss√Ķes publicas √© a interpreta√ß√£o literal de certas express√Ķes, motivada pela falta de senso de humor e de cultura. Esta √© uma √≥bvia refer√™ncia √† fala de Hamlet "H√° algo de podre no Reino da Dinamarca", uma express√£o que se tornou universal em situa√ß√Ķes muito estranhas que n√£o poderiam acontecer em condi√ß√Ķes normais. Mas l√° vem o pessoal dizer que a Lygia est√° chamando o Feminismo de "podre"...

    Responda
    1. Luiz Candido Borges

      Marcos, está na primeira frase do texto, "Há algo de podre no reino do feminismo". Isto deve ter arrepiado um monte de "defensores da causa das mulheres", que caíram de pau. De fato, a quantidade de maus tratos e todo tipo de crimes a que as mulheres brasileiras são submetidas é apavorante, mas enquanto a esmagadora maioria de mulheres do povo não passam de estatísticas, as "famosas", inclusive as que escrevem a respeito, tendem a apresentar qualquer incidente como absolutamente intolerável.

    2. Marcos Benassi

      Olha, Luiz, e eu nem havia reparado no "podre" usado pela Lygia: apenas vi que o Joab usou o algo de podre e pensei, c√° com meu z√≠per, que, na Dinamarca, esta discuss√£o n√£o prosperaria: junto com a sujidade petr√≥leo, mandaram junto essas implic√Ęncias pro terceiro mundo...

  21. JOAB T P M SIMAO

    Este texto é o algo de podre no feminismo...

    Responda
    1. Marcos Benassi

      √Ē√ī√ī, Joab, e, veja voc√™, podia ter ocorrido no Reino da Dinamarca, hein? Espertinhos, exportaram... Hahahah!

  22. JOAB T P M SIMAO

    A mulher que acusa √© obrigada a provar o que diz e s√≥ o testemunho dela n√£o basta na justi√ßa para condenar algu√©m e esta mulher pode ser acionada se n√£o o fizer. Considerando o n√ļmero de mulheres que s√£o VITIMAS REAIS de abusos e n√£o se pronunciam (por in√ļmeros motivos) causa repulsa uma mulher e jornalista se manifestar este tipo de argumenta√ß√£o simplista.

    Responda
  23. Gustavo Adolfo Sierra Romero

    Gente, se há críticas ao movimento identitário feminista isso não autoriza a uma mulher satanizar o feminismo e generalizá-lo como um "reino podre". Até por estar traduzindo a voz de dois homens. Moderação no maniqueísmo para tratar de temas tão complexos seria uma abordagem mais construtiva. Por sinal, as evidências que a colunista usa para sustentar a tese são paupérrimas.

    Responda
  24. Luiz Candido Borges

    Texto muito oportuno. A grande quest√£o √© que o chamado politicamente correto, que come√ßou cert√≠ssimo, defendendo as melhores causas, algumas reprimidas, outras nem sabidas, tem desandado em muitas situa√ß√Ķes question√°veis depois que o mundo foi dividido entre os "suspeitos de sempre" e as "v√≠timas de sempre". O resultado acaba sendo o descr√©dito de causas absolutamente justas. Creio ser este o teor do artigo. Sei que serei chamado de "macho t√≥xico" por alguns comentaristas, mas n√£o dou a m√≠nima!

    Responda
  25. lucelena ferreira

    Que texto lament√°vel! Como mulher, sinto vergonha de ler algo assim.

    Responda
    1. M√°rio M Dias

      Você foi gentil, Lucelena. O texto é repugnante.

  26. Maria L√ļcia Rodrigues Muller

    Como sempre a autora produz um excelente artigo! Vai de encontro √†s minhas ang√ļstias que s√£o duas, jovens mulheres est√£o sendo convencidas que s√£o fr√°geis. O espa√ßo √© pequeno para dialogar com a Ligia, mas n√£o tenho nada a acrescentar aos seus argumentos. Minha outra ang√ļstia √© com a falta da capacidade de di√°logo de muitos/as leitores/as que preferem utilizar-se da agress√£o. O debate intelectual est√° minguando em nosso pa√≠s.

    Responda
  27. Regina Célia Baldin

    O estranho mesmo é que são sempre os homens que se metem a dar palpites sobre um corpo que não é o dele. Quando isso vai desaparecer?

    Responda
  28. Amanda Silva

    Olha, nem sei porque textos assim ainda me surpreendem. Honestamente, um texto que fala que mulheres se sentem virtuosas por serem violentadas e faz falsas e criminosas simetrias entre paquera e ass√©dio, por exemplo, deveria ser responsabilizado criminalmente por apologia ao estupro. De verdade, √© um deservi√ßo este tipo de mat√©ria sem nenhum dado estatisico e embasamento te√≥rico. √Č simplismente falacioso.

    Responda
    1. Victor Silva

      Laura, o contexto √© de aumento do n√ļmero de mulheres assassinadas simplesmente pelo fato de serem mulheres. Semana passada sa√≠ram os dados atualizados do Anu√°rio Brasileiro de Seguran√ßa P√ļblica, indicando aumento no n√ļmero de feminic√≠dios (s√≥ em SP aumentou 43%). Nesse contexto vale a pena discutir o que a articulista prop√Ķe? N√£o seja inocente, nesse contexto esse tipo de texto s√≥ d√° muni√ß√£o para aqueles que odeiam as mulheres.

    2. Laura P

      Vitor. O contexto √© uma coisa, o argumento √© outro. A gente n√£o pode proibir o discurso ou opini√£o porque voc√™ ou um grupo acha que o contexto n√£o "suporta" uma discuss√£o. √Č a mesma conversa de quem diz "n√£o √© hora de criticar o partido x porque o partido y existe".

    3. Victor Silva

      Laura, o problema não é só o texto em si, mas o contexto em que ele é escrito. Infelizmente o Brasil ainda é um país que muito agride e mata mulheres. Talvez, em um outro momento, esse tipo de crítica faça sentido, mas hoje temos outras prioridades.

    4. Laura P

      O que me surpreende é a dificuldade de interpretação de texto. A colunista não diz que "mulheres se sentem virtuosas por serem violentadas". nem faz "criminosas simetrias entre paquera e assédio". Basta ler com atenção que dá para entender o que ela quis dizer.

    5. Marcos Horvath

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  29. Orasil coelho pina

    Muito bom texto1 Parabéns!

    Responda
  30. Orasil coelho pina

    Muito bom texto1 Parabéns!

    Responda
  31. Markus Nascimento

    Por mais que incomode quem pensa diferente, √© importante pontuar quando h√° exageros em cima de uma causa que √© justa. Foi isso que ela tratou e, como √© de costume, despertou a f√ļria louca nos coment√°rios dos leitores.

    Responda
  32. PAULA FARIA

    Curto e cir√ļrgico. Hoje as mulheres n√£o podem mais ser o que elas quiserem ser, porque o feminazismo n√£o deixa. N√£o bastasse todas as dificuldades aos pais de meninas, ainda tem mais essa.

    Responda
    1. Jary P√°dua

      Gostaria de concordar - com todas as ressalvas necess√°rias - com a colunista, mas quando vejo que ela √© aplaudida por gente que usa o termo feminazista, percebo que deve ter algo de errado em um texto que desperta rea√ß√Ķes t√£o ambivalentes e decido continuar mantendo o crit√©rio de escolher bem minhas companhias.

  33. JOSE A MARTINI

    Parabéns ! mais um excelente artigo da Lygia Maria.

    Responda
  34. lais coelho

    Que tristeza, inacredit√°vel um artigo desses. Sugiro que a autora veja o novo document√°rio da Netflix Victim/Suspect.

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Uia, Lais, grato da dica, vou fuçar.

  35. Luana Santos

    Outro ponto: j√° n√£o se fala mais em feminismo (singular), mas feminismos (plural) ou mulherio. Procure se instruir.

    Responda
    1. Pery Pedro

      Sim, temos que incluir todos. FeminismAGEO é o termo correto. Em Arial 12, qualquer outra fonte é preconceito. Times New Roman dá prisão perpétua na Califórna. Pessoas que sofrem discriminação. Todos merecem ser representados, sem discriminação. De preferência, todos representados por uma mulher rica, branca e CIs. Só ela consegue falar por nes.

  36. josé SOARES

    Esse artigo é mais um alerta de que o bolsonarismo está vivo e a serpente quer sair do ovo.

    Responda
    1. Marcos Horvath

      Abomino o bolsonaro e concordo frontalmente com o artigo... Pode sair da bolha tiozao

    2. Pery Pedro

      Sim, tudo de mal é o Bolsonarismo. Não existia preconceito antes dele ser presidente.

  37. MARLUCE MARTINS DE AGUIAR

    Num País que mais mata mulheres por crimes de feminicídio, que mais as estrupam, que as discriminam social e politicamente, um artigo destes devia ser considerado criminoso! E não venham dizer que é mimimi, estes tipos já conhecemos bem!

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Ao coleguinha, cara Marluce, duas observa√ß√Ķes: primeiro, a ortografeia √© de quem escreve, e o estrupo √© de quem o sofreu - e √© eixcroto qualquer sua grafia. A segunda, p√ī, o cara nunca percebeu que h√° palavras que t√™m, obrigatoriamente, que ser deformadas pra passar pela sen√ßura? EsTRUp√≠cio! Hahaah!

    2. MARLUCE MARTINS DE AGUIAR

      Neste caso Rodrigo (sobrenome red pill?) estupro foi um erro do corretor. Num País onde são registrados 822mil caso anuais de estupro segundo dados do IPEA, este sim deveria ser a sua preocupação, não acha?

    3. Rodrigo Andrade

      Criminoso é escrever "estrupam"

    4. Marcos Benassi

      Eba! Você e as colegas combativas abaixo prestam um servição.

  38. Luana Santos

    Cara Lygia, gar√ßas ao feminismo voc√™ pode usar cal√ßas (comecemos por a√≠), pode votar e assumir cargos p√ļblicos, pode ter acesso √† educa√ß√£o, pode escrever (tolices, √© bem verdade) para um jornal de grande circula√ß√£o.

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Luana, por algum motivo eu havia passado batido nessa dedada no'zóio, tão bem dada. Da próxima vez, contudo, não entre assim, com tudo: pode causar dano celebral! Hahahahah!

  39. Maria Isabel Martinez Pons

    O artigo é mais um desserviço ao feminismo. E ainda por cima feito por uma mulher. Graças à exposição de muitos casos de assédio e violência, outras mulheres tiveram coragem de denunciar, não para se vitimizar mas para encontrar justiça e paz em suas vidas. Lamentável a opinião da autora do artigo.

    Responda
  40. mauricio silva

    A jornalista se esquece que entre o "den√ļncismo " e a" vitimacao " existe o judici√°rio e caracterizacao do tipo penal e se uma mulher quiser tirar proveito da situa√ß√£o, poder√° sofrer as consequencias de uma denunciacao caluniosa. Entao n√£o √© culpa das feministas e sim que o judici√°rio cumpra seu dever!

    Responda
    1. Rodrigo Andrade

      At√© o nosso moroso judici√°rio fazer o seu papel (quando o faz), quantas reputa√ß√Ķes e vidas s√£o destru√≠das pra sempre?

  41. Fernando Alves

    O feminismo é tão contra as mulheres que apareceram dezenas de homens fracotes saídos dos grupos de redpill e incels para aplaudir a coluninha da mulher capacho. O feminismo está fazendo sim homens fracotes, que não param de mimimi nas redes sociais contra as mulheres.

    Responda
    1. Fernando Alves

      Amiga, aprenda a ler.

    2. Maria Isabel Martinez Pons

      Amigo, vai se informar do que é o feminismo. O que vc diz é ficção inventada por esses que vc cita.

    3. Maria Isabel Martinez Pons

      Amigo, vai se informar do que é o feminismo. O que vc diz é ficção inventada por esses que vc cita.

  42. Victor Silva

    A articulista conseguiu ser elogiada por um monte de mach√Ķes aqui nos coment√°rios. Vale uma reflex√£o, n√£o?

    Responda
  43. Denise Maria Conrado Veiga

    H√° algo de podre no reino do jornalismo... que tristeza esse artigo!

    Responda
  44. josé cláudio do nascimento

    As feministas é mais um grupo querendo privilégios. Não raro, as feministas são ressentidas

    Responda
  45. Alberto Melis Bianconi

    N√£o existe um limite objetivo (cient√≠fico?) a separar o que √© vitimismo do que √© den√ļncia s√©ria de viol√™ncia. Ent√£o estaremos sujeitos a muitas flutua√ß√Ķes entre o que se considera uma coisa e outra. E h√° interesses situados de ambos os lados. Gostaria de pensar, mas estou c√©tico, que tendemos para um consenso no julgamento de quando se trata de uma coisa ou outra.

    Responda
  46. Camila Falc√£o Almeida

    os ómi tão tudo te aplaudindo aqui nos comentários, claro sinal do seu equívoco imenso, o podre no feminismo é o feminismo radical, pq não pesquisa e escreve sobre isso ao invés de reproduzir misoginia?

    Responda
  47. Alexandre Pereira

    Sensacional e corajoso!! Uma √≥tima reflex√£o sobre os limites das posi√ß√Ķes t√£o propaladas atualmente, que se estende facilmente a todos os cantos do woke√≠smo. A partir de boas inten√ß√Ķes, se tornou uma patologia social epid√™mica, fazendo exatamente aquilo que diz combater. Exemplo de pregui√ßa intelectual nefasta, propagada pela burguesia.

    Responda
    1. Victor Silva

      "Wokeísmo"

  48. Marcos Benassi

    [sençura, sençura, quando perceberão que és fruto de burrrice pura? ]

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Hahaha, colegas, a sençura é marvada, a sençura é um saco. Num 'dianta nos apegarmos ao vernáculo. Ela corre, ela pula, ela impede. À direita, à esquerda, por debaixo. E escafede. Ela é mala, ela é burrra, ela é vil. Mandêmo-la à Justa que Latiu! Hahahahah!

    2. Luiz Candido Borges

      Jo, pois o degas aqui n√£o se lembra da √ļltima vez que teve um coment√°rio que passou direto: textos em portugu√™s correto seguindo a norma culta, sem um √ļnico termo chulo ou de sentido question√°vel sempre t√™m que passar pela √ßen√ßura da FSP. N√£o tenho mais d√ļvidas que por tr√°s h√° uma BA programada para fazer uma "an√°lise sem√Ęntica" e √ßen√ßurar opini√Ķes n√£o condizentes com a linha editorial da Folha.

    3. PAULA FARIA

      Poxa, Eleito. Logo vc, sendo censurado? Ora, √© s√≥ escrever direitinho, em vern√°culo, que d√° tudo certo. O plebeu aqui n√£o se lembra da √ļltima vez que teve um texto barrado.

    4. Marcos Benassi

      Alberto, meu caro, √© fruto de BA, na dimens√£o do c√≥digo, e BN, na de gest√£o. Tirem logo essa porcaria do ar. Ou parem tudo e desenvolvam um neg√≥cio que de fato sirva aos fins a que se disp√Ķe e n√£o azucrine a freguesia.

    5. Alberto Melis Bianconi

      Ainda n√£o perceberam que a censura dirigida por uma IA (ou seria BA?) bloqueia coment√°rios s√©rios, mas √© in√ļtil com quem pratica apenas a inj√ļria.

  49. armando moura

    esta dona vive plutão? o numero de estupro, na pandemia, aumentou em setenta por cento, sob o governo do imbrochável bolsonaro, anti feminista, hetereo é o que ele diz e publica, embora haja o caso do governo do rio grande que só saiu do armario depois. Sov o governo da direita da família, a maioria dos estupros foi doméstico e na zona rural, é hora de manter uma forte campanha de alerta para proteger as meninas, sobretudo as mais jovens. Será que esta dona gosta de um chicote?

    Responda
    1. Alexandre Pereira

      A julgar pelos comentários misóginos você só aceita mulheres que se submetam a seus pontos de vista? Ou simplesmente não consegue separar as idéias sem interpor seu viés ideológico?

    2. Marcos Benassi

      Mmmmmmm, será Plutão, caro Armando? Já se disse, em tempos idos, que elas - as mulheres - eram de Vênus. Pra mim, pouca diferença faz, em geral. Em específico, tomo cuidado com aquelas da turminha da Dddooidamares: são terráqueas, mas subiram do inferno. Vade retro!

    3. armando moura

      ..sob um governo da direita...

  50. jo√£o moreira

    Kd as feministad engajadas? Ainda dormindo às 06: 30 da manhã?

    Responda