Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Da obra De Perto Ninguém é Normal da antropóloga Mirian Goldenberg, os capítulos 3, 4 e 5 foram os mais enriquecedores para mim em termos comportamentais...Estou relendo o livro da Mirian para poder escrever o segundo volume do meu livro sobre Antinatalismo e vejo que essa releitura tem sido muito proveitosa.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que maravilha

  2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Destaco 3 frases preferidas na obra De perto ningu√©m √© normal da antrop√≥loga Mirian Goldenberg: 1 - mostrar o ¬ďn√£o dito¬Ē nestas narrativas, os sil√™ncios, as lacunas, se fez necess√°rio para humanizar. 2 - √Č fato sabido que as institui√ß√Ķes n√£o apreciam muito a realidade. Gostam de hist√≥rias delirantes, inveross√≠meis ou gaiatas. 3 - Parece que alguns membros da Igreja e do Judici√°rio perderam suas horas de sono em v√£o.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Mostrar o invisível com lentes de aumento

  3. MARIA TEREZA MONTES RODRIGUES

    Querida Mirian, espero que nunca pare de escrever, mas tenha a certeza de que já aprendeu a transformar a sua tristeza em beleza. Abraço apertado.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que lindo, Maria Tereza. Amei

  4. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Que maravilha pode revisitar a amizade estabelecida desde 2012 com a obra De perto ninguém é normal da antropóloga Mirian Goldenberg ...Ler livros nos permite: conversar com alguém a qualquer momento; fazer amizade com quem talvez não esteja vivo; lidar com uma outra perspectiva de mundo; sair de nós mesmos e viajar explorando uma alteridade reconhecendo e respeitando as diferenças entre as pessoas; exercitar a empatia.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Adorei saber, Jose Eduardo. E na Folha desde 2010

  5. Nivaldo Dias

    Bonaserata Mirian. Compra seria bom poder encontrar gente, pessoas, seres como nós como todos para conversar. Tem gente que reclama que eu e minha esposa falamos demais vom os outros mesmo desconhecidos. Dizemos que faz parte de nossas personalidades mas não compreendem muito. Falar, ouvir, ficar pasmo com outras histórias e outras vidas é o que nos alavanca rumo ao conhecimento do mundo... Qual o problema ????

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Conversar e escutar bonito

  6. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Meu falecido pai trabalhava muito e quando voltava pra casa, dormia muito e pouco conversava. Minha mãe sempre foi muito insegura e tinha medo da própria sombra. Nesse contexto, os livros foram e ainda são os meus melhores amigos e conselheiros. Na minha adolescência, alguns livros de Krishnamurti e de Budismo me ajudaram até que encontrei a prática de meditação.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Livros como amigos e conselheiros

  7. CARLOS ALEXANDRE PERGER

    Espero sempre por sua pr√≥xima publica√ß√£o, Mirian. √Č t√£o inspirador que a dor vai embora. Leio e releio com muita admira√ß√£o.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que lindo, Carlos. Fico muito muito muito feliz

  8. Regina Fonseca

    Que lindo, obrigada!

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Amei Regina

  9. Alberto A Neto

    S√≥ no Brasil uma livraria como a Cultura fecha, sem que autoridades culturais dos entes federados deem um pio. Nem vemos a elite ultra-rica ou o bloco cultural capazes de mobilizar no mecenato quaisquer iniciativas em preservar a "Biblioteca Paulista Augusta"; at√© mesmo como patrim√īnio nacional. O espectro de Paulo Francis,de inopino salta-me √† frente; a voz rouquenha dispara sua frase incontorn√°vel: "Talvez o Brasil j√° tenha acabado e a gente n√£o tenha dado conta disso".

    Responda
    1. Marcus Acquaviva

      A Cultura h√° muito j√° tinha se tornado uma corpora√ß√£o em que a apar√™ncia superava o conte√ļdo. Mas os sebos est√£o a√≠ e devem ser privilegiados pela gente, que ama ler.

    2. Mirian Goldenberg

      Triste

  10. Enoque Sabino

    Comprei e li os dois volumes de O Segundo Sexo por causa de você, aprendi muito e deixei de ser aquilo que eu achava normal e natural. Obrigado!

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Adorei Enoque. Que maravilha

  11. sergio lima oliveira

    Arrasooo! Mirian. Coisa mais linda do mundo. Já estou aguardando o próximo. Escreves muito bem.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Fico muito muito feliz

  12. Henrique Marinho

    Mirian, ao contr√°rio de voc√™, tive uma inf√Ęncia livre e maravilhosa. Entretanto, os livros (meu caro pai encheu a casa deles) foram companheiros desde a tenra idade. Meus formadores foram Stendhal, Hemingway, Richard Francis Burton (o aventureiro) e Guimar√£es Rosa. J√° adulto, percorri, em diferentes partes do mundo, as sendas por eles trilhadas. Entretanto, devemos fazer nosso pr√≥prio destino. Como diz o poeta, o caminho se faz ao andar.

    Responda
    1. Ricardo Arantes Martins

      Adoro ler e acho que uma das obras (se n√£o a mais) que me marcou foi grande sert√£o veredas. Mas tive um trabalh√£o, lembro que tinha uma folha no meio dos livros com o significado que eu achava que era daquelas express√Ķes que n√£o tinham similaridades no dicion√°rio. Estou reunindo coragem para reler h√° d√©cadas.

    2. Mirian Goldenberg

      Amei

  13. Marcus Acquaviva

    Fui uma criança e, depois, adolescente muito difícil. Mas não para minha mãe, e ela sempre me estimulou a ler, sem me forçar. Entre tantas entradas e saídas de escolas, li "Pálido Ponto Azul", do Carl Sagan, "A volta ao mundo em 80 dias", do Julio Verne, "O meu pé de laranja lima", do José Mauro de Vasconcelos, "Na estrada" do Jack Kerouac (a passagem em que ele brinda aos malucos, aos arruaceiros e aos desajustados é das minhas favoritas) e o "Nada de novo no front", do Erich Maria Remarque.

    Responda
    1. Marcus Acquaviva

      Paloma, professores n√£o imaginam o que podem fazer com um jovem. Eu era um aluno bem problem√°tico - suspens√Ķes, expuls√Ķes, brigas, deten√ß√Ķes, passei por tudo isso a√≠. Mas eu tive uma professora de portugu√™s e literatura que gostava de mim de verdade e me tratava como gente, n√£o como bicho. Ela perguntava sobre o que eu lia, o que pensava daquilo. Era uma professora adventista e um metaleiro/punk. E isso foi muito decisivo no meu gosto de ler. Nunca agradeci a ela por isso, mas gostaria muito.

    2. Paloma Fonseca

      Sim, a literatura √© um tipo de ref√ļgio, e dos bons. Permite nos reconhecer em personagens no infind√°vel da experi√™ncia humana. Tive alunos no ensino m√©dio desajustados: em um conselho de classe com a turma deles, desci o sarrafo nos meninos, fui dura com eles, com todas as minhas for√ßas, mas sem nome√°-los diretamente. Creio que a literatura poderia ter me auxiliado naquela ocasi√£o, no sentido de fisg√°-los para as aulas.

    3. Mirian Goldenberg

      Adorei

  14. Luísa Toledo

    Parabéns pelo artigo! Por favor, não pare de escrever. Você salvou meu dia de hoje e poderá salvar muitos outros. Agradeço muito por ter compartilhado o livro "Em busca de sentido". Irei comprá-lo juntamente com o "Segundo Sexo" (a edição com o seu texto, claro). :-)

    Responda
    1. Paloma Fonseca

      Sim, os textos da Mirian são envolventes e prazerosos de se ler, mas confesso que não gosto daqueles em que ela assume uma defesa de si, como se estivesse sendo atacada, como se os outros estivessem atacando a Mirian. Compreendo essa defesa como uma resposta da menina acuada em casa, à mercê do pai e irmãos violentos (foi o que aconteceu com ela, infelizmente; só que agora ela é uma mulher livre, dona de si).

    2. Mirian Goldenberg

      Que lindo Luísa

    3. Mirian Goldenberg

      Que lindo Luísa. Fico muito feliz

  15. Ricardo Arantes Martins

    Fiquei impressionado com o poder que a literatura teve em sua inf√Ęncia. Verdadeiro exemplo. Vivemos numa √©poca, todavia, de baixa leitura (baixa). o brasileiro j√° n√£o lia, n√£o tinha como crescer ou abrir sua mente a novas ideias. Com o advento das m√≠dias sociais a grande parte apenas ve m√≠dias dirigidas como novelas, futebol, petismo, coisismo, fofocas. Noto que a mente do brasileiro est√° ficando cada vez mais blindada a novos conhecimentos ou novas concep√ß√Ķes acerca do que ocorre.

    Responda
    1. Marcus Acquaviva

      Quando eu tinha 7 anos, minha m√£e come√ßou a comprar para mim os gibis da Turma da M√īnica. Depois, vieram a cole√ß√£o do Onde est√° Wally?, livros de F√≥rmula 1 (meu esporte favorito), do Snoopy. Ela tamb√©m assinava a revista "Galileu" (eu era apaixonado por astronomia, sou at√© hoje). Nunca me obrigou a ler, ela deixava √† m√£o, inclusive as cole√ß√Ķes da Barsa e do Tesouro da Juventude que ela tinha quando era crian√ßa.

    2. Marcus Acquaviva

      Se não me engano, a Lygia Fagundes Telles escreveu que alguém dizer que não gosta de ler é como dizer que não gosta de beijar. Só que dão trabalho para você conseguir fazer, ambas as coisas. E hoje ninguém quer ter trabalho, ninguém quer refletir séria e profundamente. Aí coaches e outros picaretas de toda ordem nadam de braçada.

    3. Mirian Goldenberg

      E também de ver os pais e professores amando os livros

    4. Ricardo Arantes Martins

      Sim Mirian. Se pegar o gosto na inf√Ęncia fica muito, mas muito mais f√°cil. Meu filho n√£o gostava dos livrinhos. dei gibis para ler e ele foi. com o tempo passou para outros tipos. Importa em ganhar o gosto pela leitura.

    5. Mirian Goldenberg

      Verdade, mas muitas crianças e jovens amam ler

  16. Teresa Cardoso

    Por favor, nunca pare de escrever.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que lindo. Emocionada aqui, Teresa

  17. José Cardoso

    A descrição de um pai desbragado lembra os Irmãos Karamazov, só que numa versão alternativa, onde eles teriam uma irmã.

    Responda
  18. filipe moura lima

    Texto magnífico da Mirian. Dentre todos publicados, este é apenas mais um memorável. Obrigado, professora!

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que lindo Filipe, fico muito muito feliz