Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Lourdes Barros

    É sério isso? Defender dar espaço em ambiente universitário para um disseminador de fake news (Olavo de Carvalho) e outro que orienta alunos a gravarem professores para denuncia-los (Fernando Holliday)? Essas figuras nada têm a contribuir com a educação acadêmica, tema aliás que sempre detestaram.

    Responda
  2. João Burti

    De fato é lamentável essa onda de censura. Universidades estão sendo cada vez mais desvirtuadas.

    Responda
  3. Chiara Gonçalves

    O governador Tarcísio quer homenagear um expoente da ditadura, dando seu nome a uma rua. Vozes contrárias se levantam. Tarcísio diz que é censura.

    Responda
    1. Chiara Gonçalves

      Porto Alegre quer transformar 8/1 no dia do patriota. Juízes procuram impedir. Censura?

  4. Felipe Vasconcelos

    A tal da "pluralidade de ideias" era apenas uma retórica (pejorativo:uso de mecanismos contundentes e ostentosos para ludibriar ou vangloriar-se) da época da ditadura. Já não há mais intelectuais de todas as vertentes, como Otto Maria Carpeaux. A saída é focar nos clássicos e esquecer os energúmenos de hoje em dia...

    Responda
  5. Edimilson Volpe

    Lygia se insurge contra protestos legítimos em razão de falas discriminatórias, xenófobas, além de claramente mentirosas, tais como as aberrações de Olavo de Carvalho. É típico da direita fascista. Prega a intolerância e não admite ser confrontada. Vai ficar de xororo? Coragem.

    Responda
  6. João Covolan

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  7. josé SOARES

    Lembro à articulista que nossa Constituição e a Lei 7716/89 proíbe a propagação de idéias nazistas que é exatamente o que os rechaçados nas Universidades costumam praticar.

    Responda
  8. HELIO A LOUREIRO

    Parabéns Lygia. Faltou apenas ressaltar que essas atitudes são muito mais do que vergonhosas.. São criminosas! Cadê o MPF? Cadê o STF?

    Responda
  9. André Silva de Oliveira

    Os liberais sofrem no ambiente universitário brasileiro. Digo isto com conhecimento de causa. As universidades deveriam ser locais por excelência de choque de ideias (clash of ideas) e de debates francamente abertos, mas não é o que se observa.

    Responda
    1. Ricardo Arantes Martins

      Toda democracia existente no mundo tem base liberal. O liberalismo foi a maior revolução de nossos tempos e graças a ele nós podemos destruir o conservadorismo. Se hoje tivemos acesso a Karl, Kant, Kelsen, Darwin e inúmeros pensamentos, se hoje não somos obrigados a ir a uma igreja ou mesmo nos manifestarmos é graças ao liberal. O que os pseudointelectuais confundem é "liberalismo economico" que é o capitalismo selvagem. Há muita ignorância no meio acacêmico.

    2. André Silva de Oliveira

      A propósito, parabéns pela coluna, Lygia Maria.

  10. José Cardoso

    Em parte, por paradoxal que pareça, talvez seja fruto da influência da democracia americana. Veja o que Toqueville escreveu em Democracia na América: 'Na América, a maioria levanta barreiras formidáveis em torno da liberdade de opinião: dentro dessas barreiras, um autor pode escrever o que lhe apetecer; mas ai dele se for além das mesmas. ...expõe-se a um contínuo opróbrio e perseguição...e acaba recolhendo-se ao silêncio como se sentisse remorsos por ter dito a verdade'.

    Responda
  11. João Gabriel de Oliveira Fernandes

    Precisamos parar com a ingenuidade: a Universidade é composta por pessoas, com todos os seus vieses. É natural que ela espelhe um viés mais à esquerda se as pessoas de esquerda a povoam. A direita, em vez de demonizar a Universidade, como virou moda hoje, deveria - para usar um jargão esquerdista - ocupá-la, se quiser mais pluridade. Não deve esperar isso de mão beijada.

    Responda
    1. arthur soares

      Não considera que isso vai alem de esquerda ou direita ? Tenho a impressao de que esse autoritarismo é coisa de quem reflete pouco e é fruto dos tempos de hoje, onde apesar de globalizados, só enxergamos o que às “nossas” mídias digitais imediatistas, liquidas e superficiais nos comunicam. Sempre teremos vieses, mas, os debates no Brasil ja foram compostos gente menos ressentida.

  12. Marcilio Souza

    Palestra com Fernando Holiday??? Seminário sobre Olavo de Carvalho? Francamente...

    Responda
  13. Laudgilson Fernandes

    Não vejo Holiday, alguém que tenha algo a dizer no seio de uma Universidade. Seria rebaixar ao extremo toda e qualquer mísera tolerância. Não podemos dar espaços para fascistas . Se a tolerância não existe no seio do pensamento desta gente, por que devemos tê-la com eles?

    Responda
    1. Chiara Gonçalves

      Cara, ele foi num debate sobre "memórias do subsolo", de Dostoiévski, e fez o seguinte comentário: Não li o livro, mas o que o autor mudaria no texto se vivesse hoje?

    2. Ricardo Arantes Martins

      Acho bem por ai Fernandes. Só acrescentaria que Não podemos dar espaços para todos os extremistas e não só os fascistas como no comentário. Todos que defendem ditaduras, caos e ódio, seja de direita, de cima, de esquerda de baixo fundamentalista ou sem qualquer ideologia. A liberdade de expressão deve cessar quando atinge a liberdade de expressão de outros. Eis ai um limite.

  14. Rodrigo de Sousa

    Fraco o artigo. Só senso comum. E na maior parte do casos que destacou não considerou a atuação política dos envolvidos,que nada tem a ver com liberdade de expressão. Sem falar que nada falou sobre que discurso essas "vítimas" fazem. Vale refletir sobre o paradoxo da tolerância.

    Responda
  15. Ricardo Arantes Martins

    Todo patrulhamento ideológico gera pré conceitos e inibem a liberdade de pensamento e expressão. Nas universidades, como dito trata-se de uma aberração. Esse patrulhamento se da no dia a dia como para cantor ou música de determinado estilo. Vimos ele até nas correntes políticas ao criticar uma pessoa por dar apoio, Chico Buarque chamado de Comunista pelos Coisistas, Regina Duarte de fascista. A intolerância está no ar e a pior é de quem pensa que tem mente aberta.

    Responda
  16. Luciano Ferreira Gabriel

    Parabéns pelo artigo, Lygia. Sim, lá (nos EUA), como aqui, há censura e interdição nos debates. Existe muita militância e pouco pensamento crítico. Piorou com o último governo, mas já existia como fenômeno.

    Responda
  17. Rafael Gallina Delatorre

    A colunista usa de confusão pra apoiar justamente quem mais odeia a universidade e o meio acadêmico. Mostra como é seu espírito. Não posso dizer de todos, mas os eventos ligados ao MBL foram impedidos pela comunidade acadêmica, bem diferente das estatísticas americanas, que devem ter ocorrido em instituições privadas. O MBL que só faz confusão nas universidades.

    Responda
    1. Felipe Araújo Braga

      Qual confusão? O MBL discorda da gratuidade e das cotas nas universidades públicas. São posições que têm embasamento na realidade, mesmo que você discorde delas. Não é calando quem pensa diferente que você vai fazer a sociedade apoiar o seu ponto de vista. Eu estudo em universidade pública e sei o quão boa ela pode ser, mas ela não é um santuário dogmático que não pode ser criticado.

  18. Felipe Araújo Braga

    Eu não simpatizo com a maioria das ideias de Holiday. Porém, o que foi feito a ele na Unicamp foi absurdo - censuraram uma pessoa por discordar do pensamento dela - infelizmente as ideias de esquerda nas universidades públicas são impostas. Vá alguém como Holiday fazer uma ressalva ao sistema de cotas para ver.

    Responda
  19. Cláudia Virginia Cabral de Souza

    Deve-se discernir entre debate de ideias e propagação de discurso de ódio. A universidade deve sim resguardar a diversidade de pensamento. Defende-la significa também não permitir a defesa desses discursos.

    Responda
    1. Chiara Gonçalves

      Falou e disse.

    2. Felipe Araújo Braga

      Holiday é contrário às cotas. O discurso dele era nesse sentido. Você acha certo calar qualquer pessoa que não concorde com o sistema de cotas? É proibido?

  20. Marcos Benassi

    Lá isso é verdade, Prezada. A Universidade Pública, em tendo conseguido continuar a existir, tem mais é que debater idéias, hegemônicas ou não. Isso, inclusive, deve ser motivo de pesquisa e discussão, porque é fenômeno social de extremo interesse, e função da dita cuja. Todavia, são adultos e pesquisadores, donos do nariz; e o contraponto, a sanha Bozocrática do "escola sem partido" e as gravações de professores "esquerdistas", quedê? Esse, fenômeno institucionalizado, não caberia na discussão?

    Responda
  21. ISAIAS PASCOAL

    Artigo corajoso, direto, pois toca numa instituição q se acha e q achamos estar acima das disputas ideológicas. Mas não é assim. Ela reflete o q há na sociedade. A intolerância tb lá se aloja. Agora é pior, por causa da divulgação e da expansão da censura dos grupos à esquerda e direita q se acham donos da verdade e paladinos da moral aceitável! Parabéns à colunista!

    Responda
  22. Leão Machado Neto

    Vale lembrar que no Irã mulheres são oprimidas e mortas da mesma forma que homossexuais são enforcados em postes públicos.

    Responda
    1. HELENA KESSEL

      Exato. Enquanto isso, o presidente Lula disse, na última sexta-feira, que "as mulheres podem ser a maioria e governar o mundo". Aham. As mulheres da Arábia Saudita e do Irã, os novos companheiros do Brasil no BRICS, não vão poder liderar nada, porque são oprimidas pelo regime de seus países! E hj li que no dia 2 de Novembro, a República Islâmica do Irã presidirá o Fórum Social do Conselho dos Direitos Humanos da ONU. Regimes do Irã e da Arábia Saudita estão entre os mais execráveis do mundo.

  23. Amarildo Caetano

    Memo que que os pensamentos destes que a colunista citou sejam um lixo ,eles têm o direito de se manifestar .Logicamente se nâo atentarem contra a democracia.

    Responda
  24. Florentino Fernandes Junior

    Excelente analise lygia

    Responda
  25. HENRIQUE FERREIRA PACINI

    É um assunto interessante, mas apresentado de maneira muito superficial. O debate de ideias na Universidade, para ser livre e igualitário, também precisa de regras. E isso ocorre em determinados espaços, como congressos, debates mediados, etc. Entretanto, há ambientes, mesmo na Universidade, que são pautados ou pela existência de desnível de poder de fala (a sala de aula) ou pela inexistência de regras para o debate (90% do espaço). A "censura", se existiu, ocorreu em quais?

    Responda
  26. Jorge Dergam

    Realmente, não entendi o objetivo desse artigo. As universidades apenas reagiram, timidamente eu diria, aos ataques de um governo abertamente contrário a todas as áreas do conhecimento científico e humanista.

    Responda
    1. Raphael Lopes Rios

      Por acaso a censura nas universidades foi só para combater o governo Bolsonaro? Antes do " mito" isso não acontecia.. é cada um q escreve aki

  27. Johel Souza Filho

    É por isto que vendo para meus filhos o interesse nas Ciências Exatas. Lá não tem espaço para cana-lha tentando inverter a verdade dos fatos.

    Responda
    1. josé SOARES

      Sr.Johel, ter um filho engenheiro, médico, matemático ou físico não exclui a necessidade de um cidadão ter conhecimentos das questões sociais , morais e culturais.

    2. Marcos Benassi

      Arrã. Então, tá.

    3. Vanderlei Vazelesk Ribeiro

      E a bomba atômica? Quer canalhice maior que Nagasaki?

    4. marcos fernando dauner

      Ter um filho engenheiro, criado com uma visão restrita, sem enxergar o mundo que o rodeia ? Lamento, mas estás completamente equivocado . E eu tenho dois filhos graduado na área de exatas . Mas foram criados com liberdade .

  28. Johel Souza Filho

    Liberdade de pensamento existe na universidade brasileira e aqui na FSP #desde# que seja um pensamento permitido por estes grupos que se dizem de Esquerda. Senão será bloqueado, atacado, apagado pelo suposto moderador.

    Responda
  29. LUIZ FERNANDO SCHMIDT

    Sucatear as Universidades é muito melhor. Não acha, senhora Lygia?

    Responda
    1. LUIZ FERNANDO SCHMIDT

      Ainda não entendeu. Já dei o argumento. Saudações.

    2. Felipe Araújo Braga

      Disposição para censurar, não para argumentar.

    3. LUIZ FERNANDO SCHMIDT

      Felipe. O senhor não entendeu o comentário e não estou com muita disposição para explicações. Só digo que sucatear a Universidade também é uma forma de calar parte importante do pensamento nacional.

    4. Felipe Araújo Braga

      O que uma coisa tem a ver com a outra? Você acha que vai conseguir fazer a população valorizar mais as universidades se censurar grupos que discordam de alguns dogmas da esquerda?

  30. Raphael Lopes Rios

    Pior ainda é ver muitos defenderem essas práticas ditatoriais. Quer exemplos? É só ler alguns q dão as opiniões aki na Folha

    Responda
  31. DANNIELLE MIRANDA MACIEL

    Dessa vez não achei o artigo isento e estimulante pois a questão é que o debate às vezes é aviltante em relação ao espírito da academia. Olavo de Carvalho, um terraplanista de espírito maligno não deve mesmo ter espaço na universidade. Isso seria como fazer uma convenção da Igreja Universal sob o falso objetivo de discutir os limites da religião, liberdade de expressão ou qualquer outro tema sorrateiramente inserido ali como se fizesse sentido, quando na realidade é pura ideologia reacionária.

    Responda
    1. Felipe Araújo Braga

      Holiday, por mais obtuso que seja, discorda das cotas. Eu também discordo da forma como foram colocadas: não se diz um "À" sobre a educação básica, não se beneficia a maior parte da população. Mas se faz propaganda ideológica, sendo que os alunos realmente pobres não entram nas universidades ainda, só quem veio de Etec e instituto federal, isso é certo? Porém, se alguém fala isso, a pessoa é execrada. É calada.

    2. Vanderlei Vazelesk Ribeiro

      Em minha sala de aula mostrarei amanhã um vídeo que desanca Bolivar e que mostra como na nostálgica visão do autor a Independência hispano-americana foi um equívoco. Aliás ele só critica as ditaduras de esquerda. As de direita são boazinhas.

    3. Eduardo Fabr

      Entendi. Então o que é considerado “aviltante” pode ser censurado?