Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. José Cardoso

    A legisla√ß√£o deveria ser revista por programadores. Um programa principal: constitui√ß√£o, que chamaria outros programas: leisxxx. Hoje, h√° um erro claro em colocar muitas instru√ß√Ķes diretamente no programa principal, o que torna as revis√Ķes trabalhosas e caras.

    Responda
  2. Fabiana Menezes

    Isso aí Ronaldo, as Mulheres na Regulação estão dizendo isso faz décadas. Legislação feitas como no século XIX. Chega

    Responda
    1. CARLOS DIAS

      E tenho dito: o Congresso Nacional é puxadinho da OAB!

  3. Marcos Benassi

    √ďia, car√≠ssimo, tem hora que parece que n√£o √© Ubik, mas sim "Eu estou vivo e voc√™s est√£o mortos", o contexto em que todo mundo encalhou numa realidade e est√° sendo advertido, por vias travessas e indiretas, de que tem um pobrema s√©rio no ar. Eu, que n√£o tenho nada de vision√°rio, j√° boquejei por formas de conversa institucional com os cidad√£os. At√© porque, convenhamos, a "democracia direta" Bozol√≥ide precisa de um correlato civilizado: "agora √© a vez do povo" n√£o pode ser aquela porcaria tosca.

    Responda
  4. Itana Gimenes

    Lembre da Sociedade Brasileira de Computação que reune a maioria dos profissionais da área

    Responda
  5. jose prado

    Otimo artigo!

    Responda
  6. Raquel Almeida

    Estou com muito medo do novo código civil. Capaz da emenda sair pior que o soneto. Juristas as vezes estão mais comprometidos com suas teses e brilhantismos do que com a materialidade.

    Responda
    1. CARLOS DIAS

      Estão comprometidos com interesses próprios, que não são os mesmos da sociedade civil.

  7. paulo werner

    Cito 4 tecnologias institucionais de origem e elabora√ß√£o na esquerda brasileira, exportadas com sucesso nas √ļltimas d√©cadas: o SUS (uma guerra na constituinte. Recomendo revisitar o debate e identificar os advers√°rios raivosos), Or√ßamento participativo e o SAMU (2003/4). Conhecem algo semelhante na direita brasileira?

    Responda