Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Barbosa Wilson da Junior

    Como em todas as redes, existem fakes, mas, nesta em especial os fakes s√£o "emoldurados", e, de vez em quando de forma que ningu√©m percebe. Tudo e todos perfeitos managers e etc e etc. Existem exce√ß√Ķes claro. Muito interessante essa nossa sociedade. J√° vi tanta gente incompetente sendo endeusada por muitos que nem a conheceram...E ganham adeptos...Uma maravilha. Estou pensando em criar a LinkedOut...

    Responda
  2. Alexandre Pizarro

    LinkeIn é das redes sociais mais tóxicas e geradoras de ansiedade que conheço. Tudo lá é perfeito, todo mundo é Head de alguma coisa. Você entra nela e em 5 minutos se sente insignificante, um perdedor de marca maior. Adicione isso a quem está desempregado e tem que utilizar essa ferramenta todos os dias, praticamente o tempo todo. Faltou mais pesquisa ao colunista. Sugiro entrevistar algumas pessoas que estão buscando emprego através da ferramenta para se aprofundar mais. um abraço

    Responda
  3. jaqueline fernandes

    Linkedin é das redes mais tóxicas que existe! Lá todo profissional é perfeito, toda empresa é excelente e o mercado, oh, uma mãe que quer te ajudar. Que falácia!

    Responda
  4. ROBERTO CEZAR BIANCHINI

    " o Linkedin é a rede social mais ancorada no que chamamos de "realidade"." Esqueceu de incluir que é a realidade da mentalidade "Coach" e corporativa. Falsidade e gente vendendo ouro dos tolos é o mais comum. Mas realmente, é menos inflamada que as demais, muito provavelmente por causa do suposto medo de se queimar profissionalmente do que as pessoas serem mais civilizadas.

    Responda
  5. Fernando Gabriel

    √Č um bom ponto esse: ningu√©m quer ser rotulado e, com isso, fechar a porta para alguma oportunidade. Mas ainda carrega o maior defeito das redes sociais: h√° muita fic√ß√£o na hora das pessoas descreverem suas capacidades. Por exemplo, conhe√ßo v√°rios profissionais e empres√°rios que possuem um portugu√™s sofr√≠vel e dizem falar cinco idiomas...

    Responda
  6. Alexandre Assis

    Linkedin ancorado na realidade? Estamos em redes diferentes, meu caro. Meu linkedin √© cheio de influenciadores do liberalismo e do bom-mocismo inventando f√°bulas para transmitir suas opini√Ķes. Recomendo o grupo do facebook chamado Fanfics Corporativas, onde v√°rios desses engodos s√£o desmascarados rs

    Responda
  7. Marcos Benassi

    √Ē√ī√ī, Car√≠ssimo, t√° certo que √© pac√≠fico, mai tom√©m √© uma chatice que s√≥ lendo, hein? Lugarzinho ass√©ptico, em que se d√° mais pinta do que passarela de moda, Ronaldo. Eu, hein? Fiquei rapidamente enfastiado com o tal, e voltei ao velho e bom boca a boca, trocando e-mails com os colegas e pedindo indica√ß√Ķes de/para projetos. Bom, agora apertei o Soda-Fe e n√£o trabalho mais pra corpora√ß√Ķes, ent√£o... Tanto ao LinkedIn quanto ao vale-tudo das redes, ofere√ßo meu amigo dedo m√©dio, pra al√≠vio d'alma.

    Responda
  8. Paulo Sales

    Tudo que voc√™ descreveu, acontece porque para participar da rede, o usu√°rio precisa mostrar sua cara de maneira formal, e o mitivo principal √© neg√≥cios e carreira. N√£o h√° espa√ßo para outras coisa. Ae as outras redes sociais exigirem foto com documentos e CPF, tamb√©m seriam mais moderadas. Caracter√≠stica brasileira, seja tr√Ęnsito, compromisso ou atitudes, t√™m a irresponsabilidade como elemento pano de fundo por aus√™ncia de cuidado Estatal.

    Responda
  9. Felipe Ara√ļjo Braga

    Muita hipocrisia. Sempre a frase: "agradeço o tempo passado... começando um novo desafio". Muitas mentiras e muito elitismo, não é essa maravilha toda não!

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Hahahahah, bingo. E a versão "agência de empregos" do footing na praça, tão característico das pequenas cidades.

    2. Felipe Ara√ļjo Braga

      João, triste você não ter argumento, pois se tivesse, você argumentativa comigo, explicando porque discorda do que eu disse... mas não, você prefere ir para o ataque pessoal, parabéns!

    3. jo√£o moreira

      Pede pra sair ent√£o

    4. jo√£o moreira

      Pede pra sair ent√£o

  10. MAKOTO SHIMIZU

    LinkedIn j√° foi melhor, h√° algum tempo se falou na facebuquiza√ß√£o do LinkedIn, pois baixou o n√≠vel, ao inv√©s de postagens sobre neg√≥cios, carreiras, economia, deixaram propositalmente aumentarem os posts de conte√ļdo pol√≠tico partid√°rio, com n√≠tido vi√©s ideol√≥gico. Triste √© o assumido alinhamento do maior influencer do Brasil com o inomin√°vel. √Č uma vitrine profissional, o tipo de conte√ļdo que postar, apoiar pode determinar o seu futuro profissional, a autocensura √© a regra por l√°.

    Responda
    1. MAKOTO SHIMIZU

      FRANCISCO BLAZQUEZ, sim, autocensura deveria ser um padr√£o de comportamento civilizado, mas no at√© no LinkedIn auto denominados CEOs e outros auto-intulados presidentes de empresa falam desembestadamente, clones, imita√ß√Ķes do que houve de pior ocupando o maior cargo da rep√ļblica, certamente alegar√£o liberdade de express√£o, que confundem com direito a exercer sua ignor√Ęncia e falta de respeito sem limites

    2. Francisco Blazquez

      Autocensura é regra na vida de qualquer um.

  11. Gustavo Oliveira

    A an√°lise √© interessante, mas, ao mesmo tempo, espero q isso √Ī indique q estejamos come√ßando um processo de "linkediniza√ß√£o" da vida - a pr√≥xima etapa da cultura digital, baseada na viv√™ncia em redes sociais d internet. Temo isso pq o LinkedIn, apesar d bastante √ļtil e eficaz p/ procurar trabalho (que √© o DNA da plataforma), √© chat√©simo em termos de conte√ļdo. Em todo lugar, o senso comum √© redutor e opressor; o senso comum no LinkedIn exige a vers√£o mais chata e an√≥dina de cada um de n√≥s.

    Responda
  12. Joao Pinheiro

    √Č mesmo uma rede social mais educada, mas n√£o a reputo como ancorada na realidade. H√° muito exagero nos perfis. √Ä semelhan√ßa das outras redes, por√©m, n√£o tem muito uso pr√°tico para quem j√° passou dos 50. Nem para o Bill Gates, que n√£o consegue achar uma maneira de fazer dinheiro com ela.

    Responda
  13. DANNIELLE MIRANDA MACIEL

    Gostei. An√°lise interessante.

    Responda
  14. Cristiano Jesus

    N√£o sei se concordo contigo totalmente, caro Ronaldo Lemos. Eu n√£o sofro nessa rede porque basta uma √ļnica mensagem de apoio ou uma sinaliza√ß√£o de apoio √† ideias de terceiros que possuem orienta√ß√£o reacion√°ria ou fascista e eu excluo o contato sumariamente da minha rede. Por isso, eu tenho paz completa nessa rede social. Vejo que tem muita gente que n√£o tem medo de ficar sem emprego dada a coragem que possui de escrever bobagem e se expor.

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Uai, Cristiano, é evidente: há emprego pra quem excreta um certo tipo de bobagem, a "bobagem certa"...

  15. Dalmo de Souza Amorim Junior

    Vi em um filme americano a piada de que um amigo tinha conseguido um emprego através do LinkedIn, daí todos caem na gargalhada. Para a minha realidade, seis anos sem encontrar trabalho, trata-se mesmo uma piada, mas a crescente adesão à plataforma, que vende a imagem de seriedade, vai em bom caminho.

    Responda
    1. rubens souza

      Seis a√Īos desemparejada