Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Lu√≠s J√ļnior

    O assunto é muito amplo e complexo. Freud falou sobre a inveja que a menina tem em relação ao pênis do menino, e por isso é muito criticado por algumas feministas. O debate precesia acontecer. Entre outras obras, gostaria de recomendar a História da Sexualidade, de Michel Foucault e Problemas de Gênero, de Judite Butler.

    Responda
  2. Carlos Weis

    Excelente artigo, que se aplica a muitos outros temas. O tal ¬ďcancelamento¬Ē √© fascista (autorit√°rio, excludente, s√°dico) e precisa ser combatido por todes. A diversidade de pontos de vista √© fundamental para as rela√ß√Ķes humanas, ainda mais na Academia. N√£o se pode repetir, em nome do Bem, as atitudes de grupos racistas, homof√≥bicos etc. A constru√ß√£o dos direitos humanos somente se d√° no campo da liberdade, n√£o da repress√£o.

    Responda
  3. El√°dio Gomes

    ...eu sabia que ela não estava falando sobre sexo...nem deve saber o que é isso

    Responda
  4. Mário Sérgio Mesquita Monsores

    Sexo. Fala-se muito. Pratica-se pouco.

    Responda
  5. Roberto Rangel

    Certos mesmo estavam nossos índios e índias, que na época do descobrimento, segundo Gilberto Freire, não tinham nenhum preconceito contra nudez, homo sexualidade, poligamia e outras tantas bobagens trazidas para cá pelos europeus, através dos Jesuítas. Tinham muito a ensinar, mas os europeus tinham armas mais poderosas e achavam que por esse motivo sabiam tudo. Pelo menos aprenderam a se banhar diariamente.

    Responda
  6. Alexandre Pereira

    O problema, como sempre, √© a idiotice estrutural. Somada √† covardia das institui√ß√Ķes, leva √† obsolesc√™ncia da raz√£o. Quem diria que, depois de todos os movimentos de 60 e 70, chegar√≠amos a isso. Darwin deve estar rolando de rir.

    Responda
  7. José Cardoso

    O Micheal Foucault em sua hist√≥ria da sexualidade dizia que para os antigos, sexo era apenas a distin√ß√£o biol√≥gica. Nada tinha a ver com o desejo, que era ligado a palavras como erotismo ou afrodisia. Um homem (sexo masculino) podia ter rela√ß√Ķes com outro sem que sua sexualidade mudasse com isso, o que era diferente era seu erotismo. Acho que hoje se confunde esses 2 conceitos.

    Responda
    1. Alexandre Pereira

      Camile Paglia tem umas coloca√ß√Ķes muito interessantes sobre Foucault.

  8. CAMILA MARTINS

    Fingir que sexo não existe e não importa é uma das maiores burrices potencialmente danosas da atualidade. Isso inderdita e danifica tanto o debate científico, antropológico, feminista etc... e ainda há quem bata palma.

    Responda
  9. Max Morel

    Minha av√≥ era mulher; minha m√£e era mulher, minha mulher √© mulher; meu av√ī era homem; meu pai era homem e eu sou homem.

    Responda
  10. Alexandre Marcos Pereira

    Hoje em dia, as din√Ęmicas sobre identidade de g√™nero s√£o acaloradas e as rea√ß√Ķes no Twitter s√£o intensas. O Rick Gervais, conhecido por seu humor controverso e por abordar temas delicados, surfa nessa onda. Sou um cr√≠tico da cultura do cancelamento e da sensibilidade das redes sociais, particularmente em rela√ß√£o √†s quest√Ķes de g√™nero. Isso s√≥ serve para alimentar uma tens√£o entre a liberdade de express√£o, um bem maior, e o respeito pelas experi√™ncias e identidade de outras pessoas. Falta di√°logo

    Responda
  11. Leonardo Biscaia

    Eu concordo com o texto da autora. Mas eu também realmente gostaria que a autora explicasse o que ela entende por "positivismo biológico" e por que, supostamente, isso seria ruim.

    Responda
  12. André Jalles Monteiro

    Precisamos falar sobre TUDO, principalmente coisas que incomodam. Porém, precisamos ter cautela quando apenas um pequeno grupo se sente incomodado. Possivelmente a grande maioria não compreende o que está em jogo e esse pequeno grupo pode enxergar, via experimentação na própria pele, coisas que precisam ser esclarecidas antes do início da conversa.

    Responda
  13. Ana V√°zquez

    Um monte de homem comentando aqui claramente sem nenhuma ideia do que tá acontecendo. Parabéns à colunista. A censura à pesquisa de mulheres sobre mulheres é real.

    Responda
  14. Alberto Melis Bianconi

    Antrop√≥logos s√£o pessoas crescidinhas e informadas. Como mostra a coluna, sabem se defender. Ent√£o, nefasto √© quando as tentativas de interdi√ß√£o, seja de uma exposi√ß√£o queer, seja de uma coluna falando de racismo reverso, se d√£o no espa√ßo do p√ļblico em geral, como √© o caso das redes sociais.

    Responda
  15. LUIS PASSEGGI

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  16. LUIS PASSEGGI

    A pol√™mica √© sobre a afirma√ß√£o < mulheres n√£o t√™m p√™nis>? Bem, √© uma quest√£o interessante. Afinal como diria Lula as companheiras greludas tem que ter seu espa√ßo. Ah, sim ¬Ö com c√Ęncer de pr√≥stata meio estranho¬Ö mas vamos deixar e natureza (Darwin) agir certo?

    Responda
    1. LUIZ FERNANDO SCHMIDT

      N√£o seria c√Ęncer de mama, ou de √ļtero? Mulheres n√£o t√™m pr√≥stata?

  17. ISAIAS PASCOAL

    Parab√©ns pela coragem em desafiar essas ideias imputadas como progressistas e q n aceitam o contradit√≥rio. Mais grave ainda por ser em universidade¬Ö q aos poucos v√£o se tornando as √Ęncoras de uma nova ortodoxia!

    Responda
  18. Adalto Fonseca J√ļnior

    A colunista apostou pesado na polêmica pela polêmica. Não trouxe para o debate argumentação ou sustentação dos posicionamentos. Eles são divergentes e excluem um ao outro. Elas, as pautas identitárias, são as vilãs. Pronto. Está plantada a discórdia.

    Responda
    1. Adalto Fonseca J√ļnior

      Voc√™ leu o posicionamento das representa√ß√Ķes citadas pela colunista? A colunista est√° semeando a disc√≥rdia indo contra a posi√ß√Ķes respeitosas adotadas por representa√ß√£o constitu√≠da e leg√≠tima. √Č t√£o dif√≠cil compreender o √≥bvio?

    2. Adalto Fonseca J√ļnior

      Voc√™ leuo posicionamento das representa√ß√Ķes citadas pela colunista?

    3. Alexandre Pereira

      Siga o conselho do Pedro, Adalto.

    4. Adalto Fonseca J√ļnior

      E voc√™ quando aprender a ter respeito pelas pautas identit√°rias vai se dar ao trabalho de ler o posicionamento das representa√ß√Ķes citadas pela colunista e verificar que elas mesmas acataram os pedidos das comunidades que n√£o foram respeitadas. Aprenda a ler antes de tentar ofender.

    5. Pedro Luis S C Rodrigues

      Calma, quando você aprender a ler vai entender os argumentos

    6. Rodrigo Cabral

      A colunista trouxe a baila ,resumidamente, que a Academia não pode ser censurada. Somente essa ideia já seria ótima para oitenta% do progressismo atual, pois sempre haverá vinte% que se salvam da cultura do cancelamento.

    7. Alberto Melis Bianconi

      Concordo, e eu costumo me contrapor aos exageros das pautas identit√°rias, faz parte desse puritanismo do sec. XXI, que tem origem nas redes sociais. Mas a colunista vai atr√°s de assuntos para justificar sua milit√Ęncia anti-identit√°rios. O m√°ximo que poderia dizer seria: veja que curioso os ETs que povoam a academia enfrentam quest√Ķes muito parecidas √†s dos seres humanos.

    8. Hamilton Magalhaes

      A colunista n√£o apostou em nada, apenas trouxe a informa√ß√£o, quem quiser debater ou contestar (seria melhor dizer acusar) que o fa√ßa. Em ci√™ncia n√£o cabe milit√Ęncia. Quem n√£o gosta que procure outra coisa para se fazer.

  19. Felipe Vasconcelos

    Sabem qual o cerne de toda essa disc√≥rdia? Quando os m√©todos contraceptivos possibilitaram uma desassocia√ß√£o entre rela√ß√£o sexual, reprodu√ß√£o biol√≥gica e prazer sexual. Os avan√ßos na √°rea da sa√ļde, com menos mortalidade infantil e mais expectativa de vida, com uma explos√£o populacional, s√≥ vieram acentuar todo esse processo. As conquistas desses movimentos s√≥ foram poss√≠veis gra√ßas √† esse pano de fundo. √Č o impacto das tecnologias que transforma nossas vidas e gera as mudan√ßas de paradigma.

    Responda
  20. Paulo Sales

    Eu não entendo bem textos que apenas narram acontecimentos. Parece algo híbrido, sem sentido. Mesmo que pareçam expressarem alguma opinião. A energia que se gasta sobre sexualidade humana se empregada na organização social de país tão desigual quanto o brasil, seria maravilhoso o resultado.

    Responda
    1. Felipe Vasconcelos

      O que você escolhe narrar e como você narra faz toda a diferença...

  21. Giovani Ferreira Vargas

    kkk

    Responda
  22. Matheus Battistoni

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    1. Matheus Battistoni

      Eduardo, a tua malícia defensiva te entregou

    2. Eduardo Rocha

      Se n√£o se curva, prefere de ladinho?

    3. Jose Roberto de Souza

      Essa teoria da conspiração eu não conhecia.

    4. Hamilton Magalhaes

      Para que financiar "ditadura gay" se pode distribuir anticoncepcional?

  23. jo√£o moreira

    Extremista é extremista: de direita ou de esquerda, é tudo farinha do mesmo saco.

    Responda
  24. Rodrigo Andrade

    Lygia, essa √© a estrat√©gia da ala Woke: interditar o debate na Academia porque as conclus√Ķes podem n√£o suportar suas narrativas (e caprichos/delirios).

    Responda