Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Jo√£o Paulo de Oliveira

    Uma mat√©ria dessas sem o recorte de classe e g√™nero traz conclus√Ķes distorcidas

    Responda
  2. Emanuel Mello

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  3. marco martins

    Eu cada vez mais acredito que existe o tal do metodo nesse tipo de matéria. Isso é pra fomentar uma polêmica que interessa a algumas pessoas.

    Responda
  4. Aquiles Campagnaro

    Ent√£o, para ser considerado inter-racial deve ocorrer entre ra√ßas diferentes e como a propor√ß√£o de brancos e pretos em rela√ß√£o √†s demais ra√ßas √© muito maior as coclus√Ķes do estudo s√£o √≥bivias. Tornam o t√≠tulo da reportagem quase c√īmico pela obviedade. FSP pecou em gastar espa√ßo.

    Responda
    1. Ronaldo Lopes Coelho

      Pois é, o que se queria co esse título? Ou o intuito foi só o de mostrar que se trata de um meio de comunicação racista mesmo?

    2. Ronaldo Lopes Coelho

      Pois é, o que se queria co esse título? Ou o intuito foi só o de mostrar que se trata de um meio de comunicação racista mesmo?

  5. marcos machado

    Pensando aqui o quanto essa informação impactará a minha existência!...que cada um viva como considerar melhor, escolha o parceiro que desejar, que respeitemos os outros com a dignidade que todo ser humano merece.....o movimento anti racismo promove a segregação da sociedade.

    Responda
  6. andre s cardoso

    Que pesquisa tola, assim com a chamada da matéria. A miscigenação no Brasil ocorre de forma distinta no nosso território e nas classes sociais. Outra coisa é o critério de identificação de preto ou pardo, que é muito impreciso. Eu tenho na minha ancestralidade: pai branco de olho claro (filho de portugueses), mãe parda (mestiça de preto, índio e árabe). Assim, me identifico com pardo, pois tenho coloração da pele semelhante a do Gabigol. Mas, já vi gente com pele mais "clara" se dizendo preta.

    Responda
  7. paulo werner

    A s√©rie de reportagens √© iniciativa de bom jornalismo! Sugiro a encomenda de pesquisa que incorpore um corte de classe, no intuito de saber se haveria maior ou menor tend√™ncia a limita√ß√Ķes raciais na disposi√ß√£o afetiva de grupos sociais. Tal metodologia √© largamente aplicada em pesquisas sobre consumo, h√°bitos culturais e at√© nas inclina√ß√Ķes de natureza pol√≠tica.

    Responda
  8. Ulysses Daniel

    Pesquisa est√ļpida! Qual √© a relev√Ęncia disso?

    Responda
  9. José Augusto Bernabé

    Inter-racial coisa nenhuma, √© miscigena√ß√£o pura, e a miscigena√ß√£o √© o destino da humanidade a chegar em uma Ra√ßa √ļnica, os verdadeiros humanos, os Pardos.

    Responda
  10. neli faria

    Meu sobrinho neto Pedro, que nasceu no lindo dia vinte e nove de abril de dois mil e dez, é filho de preto, o saudoso Cláudio.

    Responda
  11. antonio brito

    Pesquisa sem cabeça nem pé. Foram procurar pelo em ovo e fizeram um omelete

    Responda
  12. antonio mateos

    Considerando a classifica√ß√£o oficial (IBGE), os grupos s√£o: brancos, negros, pardos, amarelos e ind√≠genas. Fiel a essa constata√ß√£o, parece que a pesquisa haveria de melhor explicitar no que consistiria o relacionamento interracial entre negros e ¬ďoutros¬Ē.

    Responda
  13. PAULA FARIA

    Só faltava essa, a FSP considerar interracial um relacionamento entre preto e pardo.

    Responda
  14. José Filho

    Porque não dizer que "Maioria dos brancos em relacionamento inter-racial teve parceiro preto". Que preguiça de toda essa hipocrisia. Que dureza!

    Responda
  15. Adriano Ferreira

    Uai... Se o relacionamento é inter-racial, que cor deveria ser o(a) parceiro(a) de uma pessoa negra?

    Responda
    1. Pedro Ribeiro

      Branca, parda, ind√≠gena, amarela, e outras. √Č exatamente disso que fala a mat√©ria.

    2. ENAIDE HILSE

      Sim Adriano, ajornalista deve pensar mesmo em negros e brancos, mas inter-racial significa a mistura de raças; poderia ser um negro e um indígena ou japonês, chinês, que no Brasil, acho que sao classificados como amerelos.

    3. Ricardo Arantes Martins

      Puis √©. Li o t√≠tulo li a mat√©ria e estava doido para comentar isso mas j√° dissestes. T√ī at√© agora aqui pensando. Poderia ser ind√≠gena ou asi√°tica, mas acho que n√£o foi isso que a mat√©ria quis dizer. T√° confusa mesmo

  16. ENAIDE HILSE

    Sou miscinegada e tenho forte traços negroides. Meu marido é branco e no dia a dia nem pensamos nisso. O decisivo em um relacionamento sao outras características - em especial nível de instruçao equivalente. Nao vivo no Brasil, mas viajo muito pelo país de norte a sul e nunca notei discriminaçao. Felizmente o Brasil está començando a seguir o caminho certo, dando oportunidade aos negros e seus descendentes.

    Responda
    1. Marcos Roviralta Dias Baptista

      Lulla só gosta de loiras, de uma galega

    2. ENAIDE HILSE

      Continuando: Lula est√° muito mudado e j√° nao gosto dele, mas neste aspecto, tenho que dizer "VIVA LULA!"