Comentários para:

A falácia do golpe

VER COMENTÁRIOS EM Lygia Maria

Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. SERGIO LUIZ COLLINETT

    Como disse o golpista vice, que vislumbrou uma oportunidade de assumir o poder , "foi um golpe de sorte". Para ele ! Ver um comentário tão retrógrado como esse sinto ânsia de vômito.

    Responda
  2. RENATO Dias

    A militância não sabe o que é autocritica...mensalão e petrolão nunca existiram...Dirceu, Vaccari, Genoino, Mantega, Palloci...todos injustiçados. Devolução de bilhões...tudo fantasia do Moro.

    Responda
    1. Edison DeOliveira

      O mensalão continua indo muito bem obrigado, mudou de nome no bozoquismo pra orçamento secreto. E ao menos os rapazes do PT tiveram a decência de se retirarem de cena enquanto os verdadeiros bosses das maracutaias continuam la' no centrão rindo da sua cara.

    2. Daniel Marques

      Boa Renato. O gado vermelho sofre de amnésia crônica sobre seus proprios malfeitos. Eles não perceberam que a população entendeu que o PT não passa de um aglomerado de embustes charlatões de ótima retórica e narrativas contaminantes. Se neste ano o PT será coadjuvante, em 26 competirá com um PCO da vida, mergulhado em vexame politico a ser explicado pela Globo.

    3. SERGIO LUIZ COLLINETT

      Moro já foi para o lixo da história política do país. A partir de agora está fadado a ser um político regional.

    4. SERGIO LUIZ COLLINETT

      Todos arquivados pela tendenciosidade do Moro. Agora estão todos pagando pelo erro ou crime. Quanto aos golpistas terão o mesmo destino do Bozo. Enquanto isso a caravana passa.

  3. Daniel Marques

    Li a maioria dos comentários. Cenário desalentador. Ataques ad nominen e xenofóbicos a colunista, tentativas de desqualificar sua argumentação com fracas bases sustentadas por leituras individuais do episódio e, infelizmente, uma grande quantidade de sofismas e retóricas agressivas que refletem a polarização em menor escala. Ninguém refletiu sobre o excelente estudo indicado, que disseca o fenômeno do "golpe com adjetivos" e porque este não se relaciona com o conceito original de golpe de estado

    Responda
    1. Daniel Barbosa

      Alucinações? Hahaha! Sobrou apenas argumento ad hominem? Hahaha!

    2. Daniel Marques

      Caro xará, releia e reflita sobre meu segundo comentário, na ordem. Ali eu falo sobre o porque o "golpe com adjetivos" não se encaixa nas características de um golpe de estado. Dilma não sofreu golpe, é fato. Ela foi impichada. E sobre o antipetismo, concordarmos em discordar. Tens todo o direto de conviver com suas alucinações mas aprenda a aceitar quem não as tem.

    3. Daniel Barbosa

      Eu te dei questionamento sobre a definição clássica de golpe. Releia. E sobre os comentários: há muita bobagem, mas bastantes argumentos sim. Mas vc já tem um pré julgamento do PT, como entregou em outro comentário, então vc não quer debater, a erudição é só subterfúgio para expressar antipetismo? Ah, tá.

    4. Daniel Barbosa

      Ah, o xará agora não quer mais debater a definição de golpe? Hahaha! Sua erudição é um subterfúgio?

    5. Daniel Marques

      Xará, concordamos em discordar, correto? Nao leve pro lado pessoal, mas voce apenas criticou minha argumentação sem muito embasamento e fez uma pergunta sobre algo que não comentei. Não entrei no mérito se Dilma foi ou não vitima de lawfare, eu dei minha opiniao sobre os comentarios e principalmente, analisei se o que ocorreu com a Dilma foi um golpe, no sentido classico do termo. Ja o outro vivente aí, não vale os miliwatts de bateria consumida ao visualizar o comentario dele.

    6. Edison DeOliveira

      Falou chorou e não falou nada.

    7. Daniel Barbosa

      Tem estudos sobre lawfare.

    8. Daniel Barbosa

      Mas só uma pergunta: na sua doutrina, qual foi o crime previsto na constituição que fundamentou o impeachment? Impeachment legítimo, claro, mas um novo tipo de golpe, que não cabe na sua definição de golpe. Parabéns mesmo pela erudição, mas a questão, que autora nem tangencia, é: foi um novo tipo de golpe, legalista. Mas uma traição e distorção da Constituição que merece ser chamada de golpe. No fundo, um problema de linguagem.

    9. Daniel Barbosa

      É só procurar meus comentários abaixo. E o seu "vc consegue", me pré julgando, foi mais desalentador ainda!

    10. Daniel Marques

      Xará, vamos lá, segunda chamada, honre seu nome e argumente. Tente não cair no lugar comum da maioria contaminada por aqui. Voce consegue.

    11. Daniel Marques

      O critério basico para se determinar se há um golpe é a mudança do regime via tomada do poder, via agentes miliares ou civis. O impeachment foi conduzido por procedimentos legais de remoção de um poder, conduzido e validado pelos outros poderes. Logo, é cristalino que não houve golpe contra Dilma, ela sofreu Impeachment dentro da previsão da lei e da constituição.

    12. Daniel Barbosa

      Li seu comentário. Desalentador.

  4. José Cardoso

    A perda súbita de algo gera a sensação de que alguém tem culpa. É a lógica que embasa a narrativa de golpe. Eu por exemplo acho que o Botafogo sofreu um golpe no segundo turno do Brasileiro.

    Responda
    1. Daniel Barbosa

      É essa superficialidade e futilidade com que brasileiros tratamos a política, como torcida de futebol, é exatamente o que tem nos colocado reféns de desonestos, autoritários, autocratas, plutocratas e tudo de pior que que a política brasileira produz.

  5. Marco Antônio Drumond

    Dilma sofreu o impeachment somente porque se recusou a dar ao Eduardo Cunha os dois votos do PT na comissão de ética da Câmara (o que, mais tarde, viabilizaria a cassação do mandato do crápula). Se ela o tivesse apoiado, ficaria até o fim do seu mandato. O resultado, todos já conhecem: ela foi pra casa e ele pra cadeia.

    Responda
    1. Marco Antônio Drumond

      De fato você tem razão. Se ele adotar a mesma estratégia dela, irá, com toda a certeza, pelo mesmo caminho. Basta ver a qualidade do congresso que temos!

    2. ENNIO BALDUR HAMMES SCHNEIDER

      Mas o padrinho, como estamos vendo e conferindo não adota a estratégia que culminou com a queda ex-presidente.

  6. Edison DeOliveira

    A Dilma era incompetente, mas a destruição da economia foi feita exatamente pelos "golpistas" que paralisaram o pais por mais de um ano e via o circo da lava-jato cirurgicamente destruíram gigantes empresas que investiam e geravam centenas de milhares de empregos no pais. Presidente impopular se depõe através do voto do eleitor ou sera que a senhora precisa de uma introdução a pratica democrática?

    Responda
    1. edilson borges

      a Dilma é politicamente inábil, se comparada com o Lula. quase todos são...

  7. Andre Rypl

    O fantástico mundo psicodélico de Lygia Maria.

    Responda
  8. jarbas cabral

    Se vc quiser que bombe o que vc escreveu, fale uma bobagem. Está foi a intenção da escriba.

    Responda
  9. Samuel Gueiros Jr

    O foco do artigo é que as alianças políticas atuais contraindicam a narrativa do golpe daquela época. Assistir os vídeos de Marta, Marina e Heloisa Helena falando sobre Dilma e o PT à época e seus posicionamentos atuais sugerem uma tragicomédia politica. E Lewandowski aparece como o patrono da farsa, sempre uma caracteristica da esquerda.

    Responda
    1. José Cidade de Oliveira Filho

      Se a pessoa for uma ignorante política, pode até pensar dessa forma (com o fígado). Tratar como inimigos e "ficar de mal" (como uma criança birrenta) eternamente. Claro, não existe um país a governar e esse governo não depende de alianças para fazê-lo. O desconhecimento da realpolitik é estarrecedor no artigo totalmente descolado da realidade do sistema. O cômico é que só veem pelo lado do PT, mas como estão Marta, Marina e quejandos no mesmo lado de quem falaram tanto mal ?

  10. Paulo da Silva batista

    Será que a colunista nega também que não teve uma tentativa de golpe dia 08/01/23. Acho que sim!!

    Responda
  11. alonso barros

    Acabei de ler o pior artigo já escrito neste atual Folhetim. O melhor exemplo de “ a melhor maneira de perder o seu tempo, obter desinformação e desonestidade intelectual em uma leitura” . Obrigado Folha

    Responda
  12. armando moura

    Foi um golpe parlamentar pra reverter o resultado das eleições, começou com Aécio, não deu certo, aí veio o Eduardo Cunha e o ciongresso que viu na lava jato uma ameaça. Dilma com a economia instável, sem controlar lava jato e afastou vários parlamentares da Petrobras e da caixa. A resposta foi o golpe. O medo era Luka em 2018, por isto o prenderam. Setecentos mil mortos, crises piores, destruição de família e nova tentativa de golpe com militares.

    Responda
  13. carlos campos

    Colunista sem noção, que faz mágica pra tentar legitimar um golpe que gestou o bozoasnoarismo e desencadeou uma desgraça pro país. Fala um monte de abobrinhas desconexas e no final mostra ser uma total alienada incompetente, aliás a altura do que a folha se tornou.

    Responda
  14. alonso barros

    Este artigo é o que há de pior de jornalismo . Entendo o jornal querer ser pluralista ( já faz um tempo que não é) , mas publicar uma falácia dessas é coisa de jornal de folhetim . Não julgo a opinião da articulista mas sim a sua desonestidade ao escrever algo tão absurdo . Saudade dos Janios, Reynaldos, a lista é grande . É a Folha indo ladeira abaixo . Uma pena .

    Responda
  15. Eduardo Nogueira

    Análise pífia, não dá conta da realidade e fica baseada na visão limitada da analista, que apresenta a realidade de maneira maniqueísta, Lula em mais de uma oportunidade disse que este seria um mandado de alianças, abre mão de candidatura do pt e busca uma antiga aliada, que analista sendo de fora não entende que é muito popular nas camadas pobres da cidade para compor a chapa, perder São Paulo para um projeto bolsonarista não é e não deve ser opção.

    Responda
  16. Guilherme Carmo

    esse artigo diz mais sobre quem o escreveu do que sobre o objeto de análise. é normal uma pessoa branca em uma estrutura burguesa não achar que foi golpe, afinal a elite nunca sentiu os efeitos de golpe algum, sequer da ditadura; ela os patrocinou. segue o jogo.

    Responda
  17. Marcelo Masiero

    Artigo sofrível.

    Responda
  18. Marcelo Masiero

    Artigo sofrível.

    Responda
  19. Ricardo Valle Aleixo

    Nossa! vd dizendo que o PT mente... imagine!

    Responda
  20. BRUNO CALDAS

    "mentes distorcidas por ideologia". Para fechar o conjunto de besteiras que é o artigo, a colunista vem com a demonização das ideologias. Mas seu raciocínio anterior todo se baseia na crítica à política venal, movida não pelas ideias, mas pelos conchavos de ocasião. Não percebe que há aí uma contradição?

    Responda
  21. André Campos Mesquita

    Eu estou entre os que não se referem ao impeachment de Dilma com o emprego da palavra golpe. Entretanto, acho que a discussão sobre esse assunto não pode ser tão simplória como essa. Política não é uma ciência dura em que se comprova algo ou se nega algo. Toda posição defendida dentro do campo político é ideológica; tanto a da autora quanto a de quem ela crítica. Alguém que se apresenta como defensora da democracia, não deveria se apresentar como dono da verdade.

    Responda
  22. Laudgilson Fernandes

    Incrível como a formação profissional de nossos escribas andam cada dia mais rasteira e pouco cognitiva com a realidade. Se formos analisar o golpe, não se iniciou no congresso como o Bozo fazendo alusão a um torturador. Se iniciou com a espionagem pelo EUA sobre o nosso pré sal, privatização, e a quebra de empresas de alta concorrência. Jogo bem bolado com auxilio da CIA, MBL e a tal lava jato movida por Moro, Dalngnol e cia. O espaço é pequeno para tanta viralatice ser explicada.

    Responda
  23. Luciano Mina

    Não houve crime de responsabilidade, portanto foi golpe....o resto é narrativa de quem contribuiu pra enterrar esse país na basura bolsonarista....

    Responda
  24. Luiz Walter Corsetti Doederlein

    Conveniências eleitorais momentâneas não corroboram erros judiciários.Não tem nada a ver uma coisa com a outra, em nosso sistema de coalizões. O artigo é de má-fé ou ignorância.

    Responda
    1. carlos campos

      Má fé e ignorância juntas, Luiz e vou mais além, bajulação pro patrão....

  25. Alexandre Colli de Souza

    Crise política, econômica ou crime de responsabilidade ? Qual dos três efetivamente deveria ser o fundamento do impeachment ? E existia ? E qual deles deixou de existir logo depois (pois vários governadores também faziam ?). O contorcionismo ilógico, o discurso raso e o cinismo só se compara ao nepobaby Joel.

    Responda
  26. Paulo Silva Barbosa

    Está sem assunto ? Águas passadas não movem moinhos. Fizeram o impeachemt, direitos foram preservados e hoje é presidente de uma instituição bancária . Quer melhor situação ? Gastar papel é caro e o caso foi amplamente discutido e gerou mais barbaridades com estes nossos políticos extremamentes egoístas e cheios de privilégios .

    Responda
  27. Raimundo Carvalho

    Tipo e queda: quando estou precisando acelerar o vômito, basta ler os artigos de Lygia Maria.

    Responda
    1. Vinicius Branco

      Nossa! Quem sabe a tal da cloroquina resolve sua ansia.

  28. BRUNO CALDAS

    "Crise econômica gera crise política que dá brecha ao impeachment". Não! No presidencialismo não é assim. Isso é precisamente o que chamamos de golpe. O requisito para o impeachment é o crime de responsabilidade. É jurídico, portanto. O que houve no caso da Dilma foi um pretexto jurídico, em ambiente político favorável ao golpe. Ao contrário do que houve com o Bolsonaro. Vários crimes de responsabilidade, em ambiente político favorável à impunidade.

    Responda
  29. João Rodolpho Cabral

    Faltou mencionar o fundamental papel da imprensa na construção de um opinião pública que legitimasse o impedimento. Além disso, mencionar que o processo é legítimo, com controle do Judiciário - não no mérito -, mas puramente político. O Direito não é estanque e, sim, adaptável às circunstâncias sociais. Não está uma ciência social sobreposta à realidade - é o inverso, na verdade.

    Responda
  30. Victor Guilherme Severino

    Foi uma trama política, um golpe na Dilma, por quem era tido como aliado, Temer e o MDB, mas seguiu os ritos legais. No entanto, não fosse essa narrativa do golpe e depois a prisão de Lula o PT não estava aí para contar História.

    Responda
  31. Mário Sérgio Mesquita Monsores

    Essa gosta do ulstra

    Responda
  32. LEONARDO de Castro

    Minha cara articulista, fosse, o seu artigo, um texto no "X" ou um comentário no Instagram, a sugestão inevitável seria: apague!!! Concluir que aliança com os seus algozes descaracteriza a feição do golpe é de uma falta de fundamento histórico e lógico, que, para além da raiva quando lemos artigos cínicos, sentimos, no seu caso, algo muito parecido com dó.

    Responda
  33. BRUNO CALDAS

    Qual a relação entre a caracterização da saída da Dilma como golpe e a necessidade do presidente eleito atual de governar, tendo que dialogar e negociar com quem quer que seja? O ponto de partida da argumentação já não faz o menor sentido.

    Responda
    1. Vinicius Branco

      Com quem quer que seja eh que eh o problema.

  34. Sergio Makrakis

    Não coube um golpe, muito menos um pseu-impeachment. Caberia o resultado da próxima eleição. Assim é regida a democracia.

    Responda
  35. Daniel Barbosa

    Cláudio Abramo, Clóvis Rossi, Janio de Freitas: a Folha já teve grandes articulistas, dava gosto de ler, assinei a folha por causa deles. Hoje temos Pondé, Lygia e Juliano Spiyer: é pra cancelar a assinatura.

    Responda
    1. Daniel Barbosa

      Vinicius, esses jornalistas passam longe de aduladores de políticos e principalmente petistas. Eram críticas argutos que vc não deve conhecer, aí supõe, conclui, julga, ofende e ataca num comentário medíocre. Típico dos fãs da extrema direita (ou neofascismo).

    2. Vinicius Branco

      Entendi. Irmãos Petralhas e Cia., né?

    3. Luiz Walter Corsetti Doederlein

      O Elio Gaspari, que nem brasileiro é.

    4. Daniel Barbosa

      De grande jornalista aqui resta o Elio Gaspari, justiça seja feita.

  36. Lucas de Oliveira Silva

    A votação na Câmara foi um circo (pelo comportamento dos parlamentares)? Foi! Mas o processo com certeza foi legítimo. O PT que tem efo inflado e não sabe reconhecer seus erros, por isso é um partido que não me agrada e no qual não confio.

    Responda
    1. SERGIO LUIZ COLLINETT

      O que eu ouvi foi,"Por Deus,pátria e familia e pelo Cel. Ustra o torturador que foi abraçado pela população evangélica como um herói . Em seguida ao desgoverno do bozo sem nenhuma menção a Deus , mas sim sómente a Família (dele) . Micheque,mijóias . Nem sei porque escrevo isso,já que o povão çao sabe ler uma frase completa.

    2. francisco xavier de azaredo neto

      Sim, confiáveis são o MDB, PSDB, PP, PL, UNIÃO BRASIL, NOVO.....

  37. Orasil coelho pina

    Talvez o PT chame o impedimento de Dilma de golpe, porque ela perdeu o cargo mas se manteve elegível, aliás foi necessário os mineiros através dos votos lhe negar eleição para o Senado!

    Responda
    1. Luiz Walter Corsetti Doederlein

      Em mais uma prova de sapiência do eleitorado mineiro, que elegeu Newton Cardoso, Aécio, Zema, Cleitinho e Chupetinha, entre outros.

  38. Tiago S Giorgiani

    Ao dizer que não houve golpe a jornalista entra para notável grupo dos que acreditam que a Terra é plana, que não houve ditadura no Brasil, que a vacina é uma falácia, etc, etc, etc...

    Responda
  39. Ricardo Arantes Martins

    Não houve golpe contra Collor ou Dilma eis que há previsão legal e o Congresso é Soberano. Mas mesmo que assim não fosse temos que todos aqueles que votaram a favor do impedimento de Collor não poderia falar nada quanto ao impedimento de Dilma, seria hipocrisia. eis que Tanto Dilma quanto Collor foram absolvidos criminalmente de suas acusações. Importa que não podemos espancar as instituições como o petismo massifica sua militancia. a culpa é do STF e congresso golpistas, imprensa, coisas assim.

    Responda
  40. PEDRO LUIZ DA MOTTA VEIGA

    Ótimo artigo. Desmascara a falácia petista

    Responda
  41. Max Morel

    É fato: Marta Suplici votou pelo impeachment da presidente e agora é apoiada pelo presidente para compor chapa; isto mostra que o papo de golpe é apenas para manter a tigrada unida e feliz.

    Responda
  42. Paulo Sales

    Golpe é quaquer complô para interromper um governo. Pode ser violento como pode ser interpretando leis sob a conveniência dos mal intencionados. Como a politica brasileira, cheira mal além da média e, tudo parece ser resetado na eleição, vamos vivendo a promiscuidade política.

    Responda
    1. Paulo Sales

      Martins, não estou dizendo ser justo ou injusto. Também acho desnecessário citar Getúlio, Janio, collor ou Dilma. O que quero dizer é que golpe, na terrível politica brasileira, deve ser visto como conceito mais amplo que o golpe clássico, ou seja, tomar o poder pela força. Num país onde pedidos de impeachment, ficam na gaveta do "primeiro ministro" já demostra o perfil político do Brasil.

    2. Ricardo Arantes Martins

      Foi o que O PT ajudou a fazer com o Collor? qualquer complo para interromper um governo? lembrando que tanto Collor quanto Dilma foram absolvidos criminalmente. Errada sua análise, o julgamento é político e o Congresso Soberano, com poder constitucional para tal.

  43. Evando de Abreu

    Rafael, você votou? se o fez, a urna emitiu um recibo com o seu voto? Isso é normal em todos os países, menos no Brasil.

    Responda
    1. Gilmar Maghenzani

      Emitiu sim aquele bilhetinho é o seu comprovante e se vc levantar no TRE vc verá o seu voto, ocorre que as pessoas querem cancelar ao invés de serem honestas

  44. Max Morel

    A péssima presidente foi impedida conforme o devido processo legal. O impeachment só acontece quando o presidente comete crime de responsabilidade e não tem apoio do congresso, o que foi o caso da inepta e inapta presidente que deixou um legado de destruição, inflação e recessão, um fenômeno negativo.

    Responda
    1. silvia ramos

      Boa leitura para você, A criação do Patriarcado, Gerda Lerner. Quem sabe, aprende alguma coisa.

  45. Evando de Abreu

    Avelino, o problema da sua turma que nem lê, nem estuda, nem trabalha é a total falta de argumentação. Aliás, falta tudo

    Responda
  46. Gilmar Maghenzani

    Vamos ver qual o quais os crimes que a Dilma cometeu? Art. 85. São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição Federal e, especialmente, contra: I - a existência da União; II - o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário, do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das unidades da Federação; III - o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais;

    Responda
  47. Evando de Abreu

    Julio Alves, você tentou dizer algo? esta turma do nem estuda nem trabalha cansa.

    Responda
  48. Antonio Araújo

    O chororô dos esquerdinhas é o mais legal aqui...

    Responda
    1. silvia ramos

      Quem é que está no poder, pela 3a. vez? Chororô só vem dos terraplanistas e adoradores de ET. Perdeu.

  49. MARIA F LUPORINI

    Sugiro que a colunista leia a Constituição. O Senado só pode afastar um presidente após a ocorrência de crime de responsabilidade. Não houve crime e o afastamento foi político porque quem não ganha no voto no Brasil, quer tomar o poder na marra. Não irão mais. Viva a Democracia, restaurada em outubro de 2022.

    Responda
  50. Cristiano Kock Vitta

    Excelente grito de indignação tardia. Agora só falta a colunista zurrar.

    Responda
    1. silvia ramos

      Eu defendo os asininos, não merecem a comparação, são criaturas doces e amáveis, além de inteligentes.