Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Mary Jacomine

    Um adendo √† minha den√ļncia anterior: Sugiro jogar o nome desse pseudo-leitor e ver√° que ele √© conivente com outros coment√°tios sobre ass√©dio aqui mesmo na Folha. Jogue no google e ver√° o quanto ele defende um assediador, discutindo com leitoras. Tenha mais cautela, moderador. Precisamos de representatividade at√© mesmo nessa fun√ß√£o.

    Responda
  2. Emilio Bazzani

    √Č facil bloquear o zap zap. E por que o robot da folha n√£o denunciou essa foto/mensagem, que n√£o devia ter sido publicada por ferir regras da reda√ß√£o?

    Responda
    1. Mary Jacomine

      Devido √† persist√™ncia de ideias violentas e machistas como estas, lamentavelmente, o feminic√≠dio e o ass√©dio sexual continuam a ser problemas prevalentes. Homens que minimizam a gravidade da desigualdade de g√™nero acabam se tornando c√ļmplices uns dos outros, muitas vezes encobrindo tais comportamentos. At√© quando a cultura do estupro ser√° perpetuada por indiv√≠duos considerados "machos"? N√ÉO PODEMOS nos silenciar diante disso! √Č fundamental resistir. Machistas e estupradores N√ÉO PASSAR√ÉO!

  3. Isabella Santos

    De fato, depois de 2017 ele abandonou atitudes ambíguas seguindo a recomendação da universidade e passou a ser bem direto.

    Responda
  4. Joao Pinheiro

    Parab√©ns √†s alunas que encontraram uma maneira corajosa e incontorn√°vel de superar o corporativismo. Talvez, se tivessem seguido os tr√Ęmites regulamentares, seriam novamente tachadas de mentirosas e o professor estaria novamente livre para fazer novas v√≠timas.

    Responda