Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Emilio Bazzani

    Sei não.. mas em Portugal e Italia... brasileira é sinonimo de put*!

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Entre os efeitos negativos de determinados tipos de pornografia, há aqueles que reproduzem estereótipos nocivos e alteram as percepções sobre relacionamentos e a sexualidade, aumentando e perpetuando o abismo entre os gêneros.

    2. Daniel Clemente

      pq não fiz puta? estamos em um jornal

    3. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Sim, alguns estereótipos femininos são bem preconceituosos. Mulheres brasileiras, asiáticas, do leste europeu entre outras também são vítimas de tal discriminação. Nos EUA é comum ouvirmos referência ao biquíni brasileiro, depilação brasileira e por aí vai...

  2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Cerca de 90% dos homens e 80% das mulheres já praticaram o sexo solitário pelo menos uma vez. Há várias pesquisas sobre o assunto, mas as mais confiáveis são as do sexólogo Alfred Kinsey e da pesquisadora Shere Hite. Em 2023, um estudo realizado pelo International Sex Survey analisou o comportamento sexual de 82 mil pessoas de 45 países. Entre os brasileiros que participaram do estudo, constatou-se que quase 100% deles já se masturbaram alguma vez na vida. E você, o que acha disso?

    Responda
  3. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Outra faceta a ser considerada é que a traição tem parentesco com a mentira. Que sociedade funciona sem inverdades?! Há alguma interação social que nunca foi alvo de imposturas?! Que casal nunca mentiu para si mesmo? Que parceiro(a) nunca mentiu para o outro par da relação? Lembremos que mentir não é um privilégio humano, a Biologia afirma que é um mecanismo adaptativo presente em outras espécies, que usam a mentira como engano, dissimulação, manipulação, armação, golpe etc.

    Responda
  4. Luísa Toledo

    Estamos inseridos numa cultura que cobra do homem uma postura machista. Isso é um fato. Quando alguém foge ao padrão "galinha"/ "machista", noto um incômodo e uma incredulidade. Contudo, a criação familiar, a índole, a personalidade e o contexto cultural fazem toda a diferença. Há homens fiéis, leais e super ligados à família. As pessoas são diferentes e ,portanto, têm prioridades distintas. Ponto.

    Responda
  5. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Afinal, o que é considerado traição numa relação? Basta que viole o 'contrato' de confiança, respeito e proteção mútuos desse relacionamento. Em geral, as traições apresentam 2 características: o engano (não revelar suas verdadeiras necessidades para evitar conflitos) e o anseio por uma conexão emocional fora do relacionamento. Em geral, nossa sociedade se concentra mais na infidelidade como traição, mas na verdade são as traições sutis e despercebidas que realmente arruínam os relacionamentos.

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Seriam 2 perguntas ==> Afinal, o que é considerado traição numa relação? Basta que viole o 'contrato' de confiança, respeito e proteção mútuos desse relacionamento?

    2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Há exceções. mas acredito que pessoas que traem se acostumaram a fazer isso nas suas relações anteriores. O fantasma da traição as persegue frequentemente, porque há nelas muita insegurança quanto ao sentimento do outro. Basta um pequeno detalhe para elas se sentirem ameaçadas por esse fantasma e assim o que era frágil passa a motivar a busca por conexão fora da relação...

  6. adenor Dias

    Houve um tempo no Brasil, que o lema era casai e multiplicai! Talvez isso esteja mudando hoje. Somos os únicos animais que pratica sexo sem que seja para a reprodução, velhos tem menos chance de reproduzir, isso torna desnecessário a pratica de sexo. A obrigatoriedade de se casar como antigamente já não existe mais entre os jovens, talvez um dia chegaremos a sermos como os alemães...

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Mirian, no final das conta o virtual não acabaria levando ao real, uma vez que o T6SÃ0 pede o contato carnal? (tive que driblar o algoritmo)

    2. Mirian Goldenberg

      Talvez o virtual esteja substituindo o real

  7. Nilton Silva

    Primeiro ponto, o que é traição? Segundo, parafraseando Nelson Rodrigues, sem confiança não se chupa nem um Chicabon.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Eu pergunto para cada um e, homens e mulheres dão respostas muito diferentes. Tenho alguns livros mostrando as diferenças

  8. JOSE CARLOS BETONI

    Mirian, parece que sua coluna provoca em alguns homens a necessidade iminente de virem aqui nos comentários gritar: imbrochável!! imbrochàvel!! Porque será ? Daria uma bela pesquisa. Obrigado pela coluna.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Por que não podem aceitar que nem todos os homens são iguais nessa e em outras questões?

  9. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Campeões do sexo sofreriam de compulsão sexual? Há pessoas que são mais ligadas em sexo do que outras e ter uma libido mais intensa pode ser o desejo de muitas delas, mas pode se tornar um grave problema quando é a principal fonte de prazer ou de contornar a ansiedade da vida. (1/2)

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      O compulsivo sexual não consegue resistir aos pensamentos e desejos exagerados sobre o sexo, pois sofre de um transt. psiquiátrico caracterizado por atos impulsivos e obsessivos relativos a prática sexual, que se agrava porque o “viciado” precisa saciar sua vontade imediatamente, não importando onde, como e com quem. (2/2)

  10. MARCELO PEREIRA DO NASCIMENTO

    Mirian, desculpe a sinceridade mas homem com 50 anos dizendo que fica sem se x o é mentira.... o cara pode ter perdido o tes ao pela parceira da mesma idade mas por outras mais novas não... Participo de vários grupos de WhatsApp só com homens, além de ter vários amigos...E sim, é muito provável que quando o sujeito atrasa para voltar ele esteja se divertindo... não vai se separar porque dá trabalho , não compensa financeiramente e nem quer as implicações com a família... mas nada parou...

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Marcelo, não são poucos os que dizem que não traem, mas só posso analisar o discurso deles

  11. filipe moura lima

    Já sexagenários, minha mulher e eu temos o sexo como uma "sobremesa". Caso ela acabe, e vai acabar, o "banquete" há de continuar.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Adorei a ideia de que tudo mais é o banquete

  12. Hans Rauschmayer

    Meus amigos alemães confirmam seus relatos e contam que a falta de sexo está sendo suprimida com esporte, que tem cada vez menos idade. Outros aspectos também influenciam: a cultura alemã é muito cabeça e desvaloriza a sensualidade - muitos parecem até ter vergonha dessa parte humana. Em ambos países é um desafio encontrar um equilíbrio consigo mesmo, com o/a parceiro/a e com a sociedade.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Verdade

  13. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Já faz algum tempo que participei de uma prática budista sobre a preciosidade do Tantra. Foi muito engraçado! Lembro de uma moça se aproximar de mim e perguntar se todos transavam entre si e se iríamos usar camisinha. Não consegui segurar minhas gargalhadas e tranquilizei ela que Tantra não quer dizer sexo, apesar de muitas pessoas fazerem tal confusão.

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Em geral, da nossa experiência de prazer mundano ou das diversões surgem diferentes apegos, que são uma fonte de sofrimento. Mas por meio da prática de Tantra Budista, podemos transformar esse prazer efêmero num profundo caminho espiritual que nos conduzirá à felicidade suprema da iluminação.

  14. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Campeões talvez fossem os indianos já que nos deram o Kama Sutra e o Tantra Yoga. O Kama Sutra é aquele compêndio antigo que fala sobre o comportamento sexual humano. Mas, ao contrário do que muitos pensam, a obra não fala só sobre sexo. O título, em sânscrito, significa “dissertação sobre o amor" e aborda diversos aspectos da vida cotidiana: como encontrar o par ideal, se relacionar com outras pessoas, cuidar da casa e obter sucesso. (1/2)

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Não é só sobre sexo, é sobre amor e intimidade

    2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      ajudam o casal a encontrar ainda mais sintonia mútua

    3. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      O Yoga Tantra comumente aparece em um contexto ligado à sexualidade, mas vai muito além disso. Por meio do controle respiratório e posições corporais específicas, o praticante consegue se conectar com seu próprio corpo e energia. Há ainda o sexo tântrico que é uma série de técnicas milenares que ajudam o casal a encontrarem ainda mais sintonia mútua, intensificando o prazer e orgasmo nas relações sexuais. (2/2)

  15. CARLOS ALEXANDRE PERGER

    A questão cultural foi a mais marcante, Mirian. Li o texto e muito presente na memória o artigo da pesquisadora indígena e psicóloga Geni Nún~ez. Ela escreveu a obra "Descolonizando afetos", também muito marcante. Na entrevista à Folha há semanas, a autora dialoga sobre a monocultura e vejo a importância de refletir sobre o imaginário cultural indígena junto ao seu texto, muito sensível Mirian.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Acho muito importante compreender a diversidade e pluralidade dos desejos que também são culturais

    2. CARLOS ALEXANDRE PERGER

      Mirian, gostei da relação com as culturas na pesquisa que por um lado é valorizado o capital social-cultural, as relações humanas, as amizades, os diálogos. De outro, uma cultura de dominação que reflete, talvez, relações de poder, da mais potência em relação ao corpo e aos gêneros. Gratidão pela gentileza ao compartilhar as pesquisas, Mirian.

    3. Mirian Goldenberg

      Eu também gostei muito das ideias dela Carlos, muito interessantes para refletir sobre novas formas de amar

  16. Antonio Eustaquio

    Quatro vezes por semana tá bom!

    Responda
    1. Fabrício Schweitzer

      Minha incrível professora de Literatura Inglesa teria dito: "típica coisa masculina - o meu é maior".

    2. Mirian Goldenberg

      Só?

  17. Cida Sepulveda

    Tema essencial e muito bem abordado. Dá pano pra manga. Companheirismo é uma necessidade bem como sexo. Mesmo na maturidade a fantasia sexual está presente. Como lidar com tais necessidades de forma equilibrada? Simone de Beauvoir na cabeça.

    Responda
    1. MARCELO PEREIRA DO NASCIMENTO

      Gente equilibrada= gente chata

    2. Mirian Goldenberg

      Verdade Cida

  18. Galdino Formiga

    RL - amor sem sexo é amizade.

    Responda
  19. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Texto bom e oportuno quando sabemos que jovens de ambos os sexos estão usando a pílula 'azulzinha' pra ter desempenhos sexuais superiores, apesar de não precisarem fazer uso dela. Legal ler também o texto de Alain de Botton publicado aqui na Folha de SP: 'Como o romantismo acabou com o amor'. No qual Botton sugere que precisamos substituir o gabarito romântico por uma visão psicologicamente madura do amor.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      A relação com o texto do Botton fica mais interessante ao enxergar os relacionamentos de uma forma mais madura, sem fantasias românticas

    2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Quando li o texto do Botton, pensei logo em você...

    3. Mirian Goldenberg

      Adorei você fazer a relação com o texto do Botton. Pensei o mesmo quando li

  20. Emerson Alves

    é só a gente (homens e mulheres) envelhecermos gostosos bem cuidados q o parceiro nao vai ter tanta vontade assim por outra/o. vejo q pessoas reclamam de falta de sexo no casamento mas estao largadas, sem se cuidar, caidas, derrubadas. ai é dificil... vamos cuidar do corpinho, pessoal ;)

    Responda
  21. marcos fernando dauner

    só se for o menino neimario .

    Responda
  22. edilson borges

    putz, ficar sem furunfar é o óh. nem dá tanto trabalho assim, é só começar que a vontade vem. filminhos românticos podem ser estimulantes prós caras, as moças parecem menos sensíveis prá falta de sutileza das cenas... coleguinhas, mexam suas buzanfas gordas e se engalfinhem, vale cada suspiro.

    Responda
  23. Fabrício Schweitzer

    No Brasil, o machismo exacerbado e a objetificação da mulher, ingredientes que, também, compõem a heteronormatividade compulsória, mostram, na prática, que a vida sexual dos/as brasileiros/as não é tão campeã assim. Aliás, é possível verificar muitas violências, inseguranças e as famosas traições, quando deveríamos prezar por mais lealdade. A sexualidade humana é muito mais sutil do que aquela proposta pela opressora industria do sexo; a insatisfação deve ser generalizada. Falta conhecimento.

    Responda
    1. Fabrício Schweitzer

      Sem confiança, não há relação, qualquer que seja o tipo de relação. E a lealdade, a meu ver, propõe abertura/conhecimento/confiança, algo de suma importância. Afinal, a sexualidade é polimorfa e polissêmica.

    2. Mirian Goldenberg

      Sem confiança no outro, é impossível ter uma relação satisfatória

    3. Fabrício Schweitzer

      Apenas uma consideração em relação à palavra 'lealdade': gosto de pensá-la em oposição à palavra'fidelidade'.

  24. ALEXANDRE Cunha

    Sexo tem um milhão de anos, amizade e companheirismo entre casais tem cem mil anos. Depois de anos de convivência viram amigos, e filhos unem a família mais ainda, respeito, e pagamento de contas em dia ajuda muito.

    Responda
  25. Regina Fonseca

    Obrigada Miriam por compartilhar.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Sempre

  26. JOS LEANDRO

    bom dia, professora mirian goldenberg! pena que só na próxima quarta-feira que a sra. volta à folha de são paulo! aguardo sua coluna com a mesma expectativa que a silvia telles aguardava o sábado para curtir a sua noite em copacabana! falta de sexo entre um casal jovem é uma coisa. outra coisa é essa falta de sexo entre um casal com mais de 50anos de idade. e ainda tem a questão do frio ou do calor, que influenciam no ânimo de muitos! tenho 63anos e ainda sou o bão!

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Mas os casais jovens também estão deixando de fazer, como mostram muitas pesquisas

  27. Ed P

    Muito bom texto. Parabéns!

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Fico feliz

  28. Tersio Gorrasi

    Toda generalização do tipo os homens, as mulheres, da idade x ou y é uma falácia que não leva a nada. Cada caso é um caso independente do outro, ou seja, o que acontece com A não vai necessariamente acontecer com B. Pesquisas baseadas exclusivamente no que entrevistados dizem também não fornecem argumentos para nada. Pura perda de tempo

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      O desejo de se adaptar - viés de conformidade - é uma das forças mais poderosas e menos compreendidas numa sociedade, onde os indivíduos agem continuamente contra os seus próprios interesses devido à má compreensão dos seus cérebros sobre o que pensam que os outros acreditam. Há neles a tendência de agir ou de se comportar de maneira semelhante às pessoas ao seu redor, muitas vezes indo contra suas próprias crenças pessoais e valores. São as ilusões coletivas...