Coment√°rios para:

ESG morreu

VER COMENT√ĀRIOS EM Rodrigo Tavares

Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Dener Donizeti Pereira da Silva

    Se pensarmos em ESG como uma composi√ß√£o integrada de aspectos, de modo que haja interface entre os termos do acr√īnimo, podemos conceber uma efic√°cia mais profunda. O ESG, quando n√£o implica greenswashing ou interesses promocionais, possui seu valor estrat√©gico ao contribuir com um posicionamento junto √†s quest√Ķes clim√°ticas, por exemplo. Considero que o fato de o ESG ser incorporado ou absorvido pela estrutura gerencial pr√© existente, por si s√≥ denota seu valor.

    Responda
  2. Marcelo Magalh√£es

    Tudo mudou, mas nada mudou. As grandes corpora√ß√Ķes sobrevivem sobre a explora√ß√£o do trabalhador, a destrui√ß√£o do meio ambiente e pela manuten√ß√£o das desigualdades sociais. ESG que d√™ certo gera fal√™ncia da empresa, portanto trata-se apenas de um espet√°culo de conten√ß√£o de danos, manobra bastante comum hoje em dia.

    Responda
  3. Joao Pinheiro

    √Č claro que toda empresa precisa ter respeito com o meio ambiente, ter interesse real pelas aspectos sociais e observar sua governan√ßa por raz√Ķes √≥bvias. Mas juntar tudo isso numa salada mista e dar a ela essa sigla ESG n√£o passa de mais um modismo corporativo que logo ser√° esquecido como tantos outros que o antecederam.

    Responda
  4. Vladimir C Grijo

    √ďtima vis√£o amparada pela realidade nas empresas. Milito na √°rea de ensino relacionada √† Gest√£o de Riscos e h√° bastante tempo comento que Gest√£o de Riscos √© simplesmente Gest√£o, n√£o h√° como separar. As pr√°ticas ESG nada mais s√£o que a gest√£o de riscos espec√≠ficos. Da√≠ a n√£o necessidade de rotula√ß√£o para os gestores mais maduros e conscientes. Uma pena, concordando com o autor, que o Brasil est√° ainda atrasado nessa vis√£o, por outro lado, haver√° uma sobrevida dos cursos (e professores) de ESG.

    Responda
  5. Décio Ceballos

    Acho que deve ser revisitado o pr√≥prio conceito de sustentabilidade. Significaria uma pegada de carbono ao menos nula? Mas como considerar as situa√ß√Ķes de ambientes que poderiam estar retendo (solos e oceanos) carbono e hoje encontram-se degradados. Uma palavra que necessita ser mais bem desenvolvida deve ser regenera√ß√£o: dos solos e oceanos, com regenera√ß√£o acreditada em cr√©ditos de carbono, os quais seriam adquiridos pelos agora no m√°ximo sustent√°veis.

    Responda
  6. ANDRE SATHLER GUIMARAES

    Uma boa perspectiva. Dialoga um pouco com um livro que escrevi, "Empresas com Prop√≥sito" (Alta Books). Convido-o e ao seu p√ļblico para uma leitura.

    Responda