Comente*

* Apenas para assinantes

coment√°rios

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Mirian, este seu artigo me fez reler alguns trechos do livro Ru√≠do do Daniel Kahneman. L√° ele diz que qualquer avalia√ß√£o est√° sujeita tanto ao vi√©s quanto ao ru√≠do e que se deve evitar ambos ao proferir decis√Ķes. Mas, para produzir boas perguntas, ter√≠amos que nos preocupar apenas com os vieses, uma vez que a variabilidade seria desej√°vel?

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Não li o livro Ruído, mas achei muito interessante a reflexão. Vou ler. Muito obrigada pela dica

  2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Na maioria das vezes não queremos lidar com erros, por isso desconsideramos que nem todos são iguais, uma vez que as consequências de alguns deles podem ser muito piores que de outros. Erros podem nos tornar mais sábios. A grande virtude de um erro, seja acidental ou intencional, é a sua capacidade de perfurar bolhas de falsas crenças e abrir novas perspectivas. Como tal, devemos tomar os erros como portais de descoberta que vão além dos nossos canais normais de observação. (4/4)

    Responda
  3. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    A maioria das conquistas inovadoras na ciência, tecnologia, economia e artes representam caminhos longos e sinuosos de equívocos e falsos julgamentos. Na verdade, a nossa própria existência como humanos depende do mecanismo de erro da mutação aleatória; não existiríamos se nosso processo evolutivo não tivesse incluído alguns contratempos e falsas reviravoltas. (3/4)

    Responda
  4. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Pense na √ļltima vez que voc√™ tentou algo novo, seja aprendendo um idioma, aprendendo um novo esporte ou abrindo uma empresa. Voc√™ cometeu erros ao longo do caminho? Esses erros ajudaram ou atrapalharam seu progresso em dire√ß√£o ao seu objetivo? O caminho do insight √† descoberta raramente √© uma linha reta. (2/4)

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Não é uma linha reta, é bastante cheia de nós

  5. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Em Erros Incr√≠veis, Paul Schoemaker faz considera√ß√Ķes interessantes e perspicazes sobre erros. Se voc√™ j√° viajou de avi√£o, usou eletricidade proveniente de uma usina nuclear ou tomou um antibi√≥tico, voc√™ foi beneficiado por um erro incr√≠vel. Cada uma dessas inova√ß√Ķes resultou de um ou dois insights brilhantes e de muitos e muitos anos de respostas erradas, becos sem sa√≠da e passos em falso. Erros costumam ser a fonte de novos insights, permitindo at√© elaborar boas perguntas. (1/4)

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Verdade, apesar da sensação de fracasso

  6. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Por certo, para dominar a arte de fazer boas perguntas teremos que cometer diferentes tipos de erro, bem como tirar proveito dos pr√≥prios desacertos tanto na reelabora√ß√£o das quest√Ķes originais quanto no redirecionamento do processo. No entanto, vivemos numa cultura que n√£o gosta de erros, pois na escolinha aprendemos a v√™-los de forma negativa, quando pod√≠amos tirar deles as li√ß√Ķes aprendidas. Dizem-nos que errar √© humano, mas a realidade √© outra...

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Curiosamente, muitas vezes aprendemos muito com os nossos fracassos ¬Ė e em alguns casos, talvez at√© mais do que aprendemos com os nossos sucessos. O fracasso √© uma parte necess√°ria e valiosa do processo de aprendizagem. Pode n√£o parecer bom no momento, mas √© atrav√©s dos nossos erros que aprendemos, crescemos e adquirimos conhecimento. Ent√£o, em vez de encararmos erros ou malfeitos com preconceito, podemos abra√ß√°-los e us√°-los como uma oportunidade para aprender e melhorar.

  7. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    O m√©todo socr√°tico √© usado para demonstrar a algu√©m que est√° errado ou, ao menos, impreciso fazendo com que concorde com afirma√ß√Ķes que, por sua vez, contrariam o pensamento original. S√≥crates acreditava que o primeiro passo para o conhecimento era reconhecer a pr√≥pria IGNOR√āNCIA. Igualmente, esse m√©todo n√£o est√° t√£o focado em comprovar o seu pr√≥prio ponto, mas em "desprovar" o ponto da outra pessoa com uma s√©rie de quest√Ķes (elenchus) que resultar√£o em aporia (confus√£o).(2/2)

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Desaprender

  8. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    O questionamento socr√°tico auxilia na elabora√ß√£o de boas perguntas. √Č um m√©todo baseado no di√°logo e nas perguntas reflexivas que nos permite meditar sobre determinados pressupostos, explorar conceitos complexos e desenvolver o pensamento cr√≠tico. Esta ferramenta foi desenvolvida por S√≥crates para questionar seus alunos sobre suas cren√ßas, sendo empregada no Direito, na psicoterapia, na pr√°tica administrativa e em outras √°reas do conhecimento. (1/2)

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Uso muito na vida e nas pesquisas

  9. ROBERTO CEZAR BIANCHINI

    A grande maioria das perguntas certas que o Einstein fez, algumas também conseguiu responder adequadamente, foi quando estava divagando sobre o universo. Talvez seja um caminho.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Divagar sobre o universo, sem preocupação com as respostas

  10. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Ignor√Ęncia e fracasso s√£o fundamentais para sucesso na ci√™ncia, diz o neurocientista Stuart Firestein no livro Ignor√Ęncia: como ela Impulsiona a Ci√™ncia. Nele, Firestein explica que quanto mais sabemos sobre algum assunto, maior nossa capacidade de fazer boas perguntas, porque conseguimos ir al√©m do √≥bvio e superficial. Mas embora o conhecimento seja um grande tema, a ignor√Ęncia √© ainda maior. E √© mais interessante j√° que mant√©m acesa a chama da curiosidade. (1/2)

    Responda
    1. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Firestein acha que h√° diversidade infinita, n√£o uma verdade √ļnica. E mesmo que haja uma verdade absoluta, claramente estamos longe dela. E ent√£o por que devemos pensar dessa maneira? Ent√£o, acho melhor considerar ci√™ncia como algo em aberto, em vez de direcionado para uma grande verdade.(2/2b)

    2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Para Firestein: perguntas s√£o mais relevantes que respostas. Uma boa pergunta √© capaz de suscitar diversas camadas de respostas, inspirar d√©cadas de buscas de solu√ß√Ķes, criar campos inteiramente novos de investiga√ß√£o e provocar mudan√ßas num pensamento j√° entranhado. Respostas, por outro lado, frequentemente p√Ķem fim ao processo. (2/2c)

    3. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Firestein não gosta das metáforas que comparam a ciência com cebolas, quebra-cabeças ou icebergs. Pra ele, fazer ciência é perseguir um gato preto num quarto escuro - Eu prefiro esta imagem porque as outras imagens dão a impressão de que existe alguma verdade final totalizante. Alguma solução definitiva que descobriremos algum dia e que será o fim de tudo.(2/2a)

  11. William Rachid

    Mirian, Um texto inspirador. Passei-o a minha filha de 18 anos e recém aprovada no vestibular para medicina. Obrigado.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Fico muito feliz

  12. adenor Dias

    Matéria maravilhosa! A Mirian me causa uma grande inveja. Sou homem, mas gostaria que toda mulher fosse determinada assim.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Toda mulher é meio Leila Diniz

  13. filipe moura lima

    Mais admirável é uma boa pergunta do que uma resposta certa.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Verdade

  14. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    O livro que determinou o rumo da minha vida pessoal e espiritual foi A Primeira e √öltima Liberdade - J. Krishnamurti. Eu tinha acabado de fazer 16 anos e lembro que Krishnaji enaltecia a import√Ęncia de fazer a pergunta correta: "Ao fazermos a n√≥s mesmos a pergunta correta, como resultado de profunda e inteligente investiga√ß√£o, ent√£o, visto que √© correta, a pergunta cont√©m sua pr√≥pria resposta. N√£o precisamos perguntar a ningu√©m: j√° temos a resposta".

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      No próprio problema já está a solução

    2. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Na gradua√ß√£o em Inform√°tica lembro do professor de Algoritmos citar a frase de J. Krishnamurti: "No pr√≥prio problema est√° a solu√ß√£o". Muitos colegas logo olharam para mim, pois eu sempre tinha um livro do Krishnaji a tiracolo. Com essa frase o pensador indiano destacava a import√Ęncia de compreender o problema, indo al√©m do que j√° conhec√≠amos, nossas opini√Ķes, valores, preconceitos e expectativas.

    3. Mirian Goldenberg

      Lindo isso, ao fazer a pergunta certa j√° temos a resposta que precisamos

    4. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

      Para Krishnaji importava fazer perguntas; n√£o s√≥ agora, por√©m sempre, pois duvidar √© necess√°rio, e nunca aceitar coisa alguma. Fazer perguntas √© importante, e talvez mais ainda fazer a pergunta correta. Fazer a pergunta correta implica que a pessoa deve estar perfeitamente c√īnscia dos problemas da vida ¬Ė n√£o em termos de ¬ďgostar¬Ē e ¬ďn√£o gostar¬Ē, por√©m o campo inteiro da vida. Fazer tal pergunta denota grande HUMILDADE, n√£o a HUMILDADE da vaidade, mas a HUMILDADE daquele que deseja saber.

  15. Angelica Bodendorfer

    √Č mais confort√°vel suportar uma escravid√£o cega que trabalhar para se libertar. Mas, como se libertar da escravid√£o se muitas pessoas sequer t√™m a percep√ß√£o de que s√£o escravas? Ao tempo que tantas outras n√£o se enxergam como escravagistas?

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Essa é a questão

  16. Marina Gutierrez

    Miriam, obrigada, n√£o li nenhum livro da famosa fil√≥sofa e feminista, minha m√£e que n√£o teve oportunidade nem de terminar o curso prim√°rio, ensinou as duas filhas adolescentes a import√Ęncia da independ√™ncia financeira da mulher atrav√©s do trabalho e estudo, ela dizia"primeiro ganhem o seu sustento,sejam independentes e depois, se quiserem, casem e tenham ou n√£o filhos"

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Verdade Marina

  17. Joaquim Rosa

    Segundo sexo? Tenho n√£o. Me inclua fora disso.

    Responda
    1. filipe moura lima

      Cara, vá ler a coluna do pondé!

  18. André Jalles Monteiro

    Apesar de ser homem, passei por situa√ß√Ķes parecidas com a sua. Caso queira a amizade de um jovem senhor de 56 anos, retorne com uma mensagem.

    Responda
    1. Joaquim Rosa

      Ih! Olha o cara! Cheio de m√°s inten√ß√Ķes.

    2. Mirian Goldenberg

      Homens também sofrem

  19. RODRIGO NAFTAL

    Os textos da Miriam s√£o sempre muito relevantes!!!

    Responda
    1. Joaquim Rosa

      Cheira à naftalina.

    2. Mirian Goldenberg

      Fico muito feliz Rodrigo

  20. CAMILA MARTINS

    mirian goldenberg eu te amo entenda

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que lindo querida Camila

  21. JOSE EDUARDO MARINHO CARDOSO

    Isso mostra que a Mirian exige de si mesma, evidenciado na queixa dela sobre "ainda n√£o ter descoberto a arte de fazer a pergunta certa". Lembrei daquela atleta que teve uma excelente performance, mas para ela ainda podia ser melhor. Todos n√≥s sabemos que a perfei√ß√£o n√£o existe, embora seja cobrada em certas profiss√Ķes. Logo, para n√£os sofrer muito a pessoa precisa definir indicadores de performance para si mesma que sejam razo√°veis. Nem med√≠ocres nem fenomenais, mas que entreguem o resultado.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Quero mostrar e transformar a realidade dos mais velhos

    2. Mirian Goldenberg

      √Č a ang√ļstia de relev√Ęncia

  22. neli faria

    Parab√©ns, m√ļltiplos,pela carreira. Segundo sexo, li e n√£o gostei. Talvez por eu n√£o pertencer a nenhum

    Responda
    1. neli faria

      Sr. Joaquim: quem n√£o sabe fundamentar, apela para raz√Ķes subjetivas. Tudo que sou na vida devo ao Santos F C: retornei aos estudos aos vinte anos, porque queria ser Presidente do Santos. Antes tinha apenas o prim√°rio e o Castro Alves em Corn√©lio Proc√≥pio me impediu de fazer o gin√°sio, embora tivesse feito Admiss√£o, por n√£o ter Registro de Nascimento.N√£o fui presidente do Santos, mas, Conselheira duas vezes...! Adoro o Santos !Aprenda a Fundamentar, o que, mod√©stia √†s favas, sei !

    2. Joaquim Rosa

      Na série B dói,

  23. Joya Fernande Sachs

    Que lindo exemplo de esforço e habilidade, Mirian. Para mim a pergunta certa é aquela que faço de forma natural, de coração, mesmo. Parabéns.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Adorei. A pergunta certa é a que faço com o coração

  24. Cida Sepulveda

    Arrasou. Também vi, não só minha mãe, mas também meu pai se lascarem na miséria. Me tornei escritora por falta de opção profissional. Não ganhei dinheiro com literatura, mas ganhei identidade. No mundo real, no Brasil em especial, a independência financeira é utopia, vive-se na guerra pela sobrevivência. Claro que há uma elite, sempre há. Sobre o envelhecimento, é um tema precioso para mim, cuidei dos meus pais, ela se foi aos 94 e ele aos 102.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Verdade Cida, sempre na luta para sobreviver

  25. Maria da Consolação Souza

    Se tivesse lido esse livro aos 20 anos, teria empenhado mais em minha profissão. Não teria sido apenas uma professora de rede estadual. Me deu prazer, orgulho, mas não independência financeira. Isso , eu lamento!

    Responda
    1. Cida Sepulveda

      Ser professora da rede p√ļblica b√°sica √© um grande desafio. N√£o lamento por tamb√©m ter sido. O problema do baixo sal√°rio n√£o √© da mulher, mas do Brasil.

    2. Mirian Goldenberg

      Foi o caminho da minha liberdade

  26. CARLOS ALEXANDRE PERGER

    Mirian, nessa manh√£ fizemos transplante de flores palmas no jardim. Devido a muitas mudas, a flora√ß√£o se espalhou. Palmas, Mirian, no plural pela relev√Ęncia do cuidado e respeito √†s Ci√™ncias Sociais. √Ä todas √†s Mirians, Palmas de todos os jeitos e todas as cores.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Que lindo Carlos. Amei

  27. JOS LEANDRO

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    1. Cida Sepulveda

      Pode ser. Mas há algo em Simone que vai além de qualquer sistema. Sua liberdade teve um preço que ela pagou com muita coragem e sabedoria. E não estava sozinha, tinha um grande homem ao seu lado.

    2. JOS LEANDRO

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    3. JOS LEANDRO

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  28. Luz Heli Maria de Paiva Oliveira

    Que alma linda! Você é uma inspiração pra mim.

    Responda
    1. Joaquim Rosa

      Menos, muito menos. N√£o precisa exagerar.

    2. Mirian Goldenberg

      Que lindo, fiquei emocionada Luz

  29. Eduardo Rossi Neto

    O importante Mirian é jamais deixar de fazer perguntas....

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Mas fico querendo encontrar as perguntas certas

    2. Mirian Goldenberg

      Verdade Eduardo, jamais

  30. Maria Bethania Malato

    Parabéns a jornalista, uma mulher de valor como mostram suas credenciais e que se destaca pelo estudo e cultura em vez de futilidades .

    Responda
    1. Marina Gutierrez

      Maria Bethania Malato, assino embaixo.

    2. Mirian Goldenberg

      Sou antropóloga e pesquisadora Maria Bethania e estudo há mais de trinta anos o envelhecimento e a felicidade

  31. José Cardoso

    Um dos grandes desafios da √°rea de humanas est√° em conseguir encontrar pepitas de ci√™ncia em meio √†s toneladas de opini√Ķes. Nesse ponto, como a colunista citou Einstein, um f√≠sico tem mais facilidade em separar ci√™ncia do falat√≥rio pseudo-cient√≠fico.

    Responda
  32. Iara Donizete de Azevedo

    Li seu livro no mestrado que concluí em 2023, aos 52 anos, leitura fluida que dialoga com o leitor. Sua pesquisa é muito relevante para nós, mulheres livres e envelhecentes.

    Responda
    1. Mirian Goldenberg

      Fico muito feliz Iara

    2. Sergio Siqueira

      Felizes?