Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Jose Paschoal Pimenta

    Sr. Gentile: Jacareí não faz parte da região metropolitana de São Paulo e sim do Vale do Paraíba.

    Responda
  2. Paulo Roberto Dufrayer de Oliveira

    É etarismo, sem dúvida, e contribui para queimar o filme dessa loja. Ainda bem que o comércio online não adota essa prática ultrajante.

    Responda
  3. JOSE AUGUSTO DE MELLO

    Esperar o que da "Justiça", País da segregação, todos os crediários têm seguro. Aqui o idoso não tem direito a nada, as propagandas e leis para idosos só são papéis sem valor.

    Responda
  4. Paulo Bruno Cardoso

    "no sistema capitalista, as empresas são inteiramente livres para analisar o risco de concessão de empréstimos". Esse argumento é ridículo, um comércio de calçados se posicionado perante a justiça como instituição financeira. Também é ridículo a loja dizer que esse não foi o único motivo, é ridículo porque bastava esse, já que o sistema nega automaticamente compras a crédito para pessoas acima de 75 anos. Isso é discriminação.

    Responda
  5. Antonio Pinto

    Lamenta se uma tal decisão. Ficou claramente demonstrado o constrangimento. A idade n é motivo pra s recusar crédito ao cidadão, do contrário estaríamos vivendo numa sociedade desumana

    Responda
  6. Antonio Mauricio F Oliveira

    Mais uma decisão judicial equivocada e discriminatória. Espero que haja recurso e seja derrubada em instância superior, pois reforça e estimula preconceitos contra os idosos. É uma decisão etarista. Assim como o racismo, o etarismo tb é estrutural, está arraigado em nossa sociedade, e assim deve ser combatido.

    Responda
  7. Elaine Lopes

    O Brasil está se tornando um país velho e mais breve do que imaginam esses mesmos idosos excluídos hoje devido a preconceito "etarismo", amanhã serão a grande maioria, daí quero só ver o posicionamento desses comerciantes.

    Responda
  8. Humberto Cal

    Os idosos continuam sendo desrespeitados nos seus direitos ,quero ver prender alguém por descumprimento do estatuto do idoso, este segmento não dá seguidores Quando os idosos entenderem o seu poder isto vai acabar. Vamos boicotar estas pessoas,encher de processos, eleger representantes e aí chegará a nossa vez

    Responda
  9. Humberto Cal

    Os idosos continuam sendo desrespeitados nos seus direitos ,quero ver prender alguém por descumprimento do estatuto do idoso, este segmento não dá seguidores Quando os idosos entenderem o seu poder isto vai acabar. Vamos boicotar estas pessoas,encher de processos, eleger representantes e aí chegará a nossa vez

    Responda
  10. LUIZ OTAVIO CRUZ TEIXEIRA

    Pq um senhor sem restrições financeiras poderia , do nada, tornar-se hiposuficiente e correr risco de superendividamento, isso na visão da juíza? Pq ela entende que todo idoso é possível de se tornar incapaz mentalmente de uma hora para a outra. Se isso não é etarismo, que nome tem? Espero que o Sr, prejudicado recorra a instâncias superiores e , se possível , chegue ao STF. Força, senhor.

    Responda
  11. marcos fernando dauner

    Idade, e aparência, sempre foram motivos de discriminação no comércio . Há muitos anos, minha avó materna, esposa de um dos mais tradicionais comerciantes da cidade (uns cinquenta anos no comércio ) foi comprar uma geladeira num loja . o vendedor, mal treinado a atendeu mal. ela chamou o gerente e disse : "mande esse balconista lá na minha loja que eu vou ensiná-lo a vender !"

    Responda
  12. Tersio Gorrasi

    Nenhuma novidade, pois para adquirir um imóvel financiado nesses casos, o prazo é metade (ou seja, quinze anos). Isso pode ser facilmente resolvido exigindo um fiador ou pessoa responsável para continuar os pagamentos no caso de impedimento do idoso, por moléstia grave ou óbito

    Responda
    1. LUIZ OTAVIO CRUZ TEIXEIRA

      No caso de óbito já está embutido um seguro MIP na parcela cobrada mensalmente. que cobre o saldo devedor. Mas é tão absurdmnte alto para contratantes de idade avançada que torna a transação inviável.

    2. LUIZ OTAVIO CRUZ TEIXEIRA

      Desculpe corrigí-lo . No financiamento habitacional a idade somada ao o prazo de financiamento não pode ser superior a 80 anos e 6 meses.

  13. Vitor Heisenberg

    Bancos também recusam clientes com mais de cinquenta anos. Só isso.

    Responda
  14. JAILSON DE BEZERRA

    Ainda tem comentários ridículos aqui que corroboram a decisão da juíza. Foi, sim, discriminação. Do jeito que vai, idoso no Brasil vai ser tratado como eu vi em um filme anos atrás, virar proteína comestível. É uma vergonha o sistema judiciário brasileiro, que de justiça não tem nada. Tanto a juíza como os concordam com ela, se chegarem a essa idade, será que vão ter a mesma opinião?

    Responda
  15. LORENA PARDELHAS

    O certo depois de ler isso é passar longe da tal Jô Calçados.

    Responda
  16. jose silva

    Se não vai dar crédito não ofereca

    Responda
  17. Mauricio Ferreira Lima

    TJSP é isso aí ; sempre mantendo a discriminação aos menos favorecidos em vigor.

    Responda
  18. Marcia Herrmann Ferrari

    A loja vende calçados, não dinheiro. Oferece crédito para quem quiser, com os critérios que quiser. Certíssimo!

    Responda
    1. Celia Moura

      Que ficasse claro, então, em quais casos não haveria a concessão de crédito.

    2. Raimundo Carvalho

      Mas eles ofereceram o crédito para negá-lo em seguida. Isso gerou uma expectativa.

  19. Claudio Goldman

    O idoso tem razão. Não tinha dívidas. Ter mais de 75 anos não significa que vá falecer antes de seis meses (as seis parcelas do calçado). A decisão da Desembargadora é incorreta.

    Responda
  20. marcos fernando dauner

    o cidadão ganha quinze mil reais bruto e quer comprar um apartamento de quatro milhões de reais para pagar em quinhentas parcelas . Pode isso ?

    Responda
    1. LUIZ OTAVIO CRUZ TEIXEIRA

      Contém ironia, Certo, Sr. Dauner?

  21. marcos fernando dauner

    Eu também "sou idoso" sic - Já passei dos sessenta . Em quarenta e sete anos de vida adulta nunca tive cartão de crédito nem carnê de crediário . Compro o que posso pagar à vista , pois desconheço como que será meu dia do amanhã

    Responda
  22. Edgar Alves

    É uma situação constrangedora. Mas quem conhece o sistema brasileiro de cobrança de dívidas sabe que devedor aqui faz o que quer e o credor fica a ver navios. Temos a livre iniciativa e se ela não for aplicada, até que ponto o estado tem que intervir? O idoso foi impedido de comprar por crediário, não por outros meios. Todo risco assumido pelas lojas ou bancos em financiamentos quem paga é o bom pagador e que não se enquadra nisso. Portanto não sou totalmente contra a decisão.

    Responda
  23. Ana Maria Rocco

    A juíza terá uma aposentadoria altíssima, que lhe permitirá comprar à vista. À maioria dos idosos, aparentemente, restará andar descalço e passar fome, caso não tenham suporte de família. Há de se pensar com cuidado, responsabilidade e humanidade em políticas para a terceira idade. Desprezível o que foi concluído.

    Responda
  24. max ribas

    Meus amigos, eu até ia comentar esta profunda, pertinente, sábia, humana e imparcial decisão da justiça paulista, porém prefiro não comentar. No entanto, uma coisa eu afirmo: um homem sem dinheiro é um porko num chiqueiro. Fique rico ou m o r r a tentando.

    Responda
  25. NACIB HETTI

    Ser idoso no Brasil é poda (com H). Fica doente com dores, paga plano de saúde mais caro, compra remédio tributado, a aposentadoria é uma mixaria e ainda não tem crédito.

    Responda
  26. JOS ALBERTO LAKATOS

    Esper o que os juízes do caso, que recebem uma ótima remuneração e outros privilégios pagos por nós (incluindo o senhor cujo crédito foi negado) através dos impostos (um deles imbutido no preço das mercadorias que compramos), nunca tenham de passar por essa situação quando, no futuro, tenham de comprar um par de calçados.

    Responda
  27. Vera Lucia Nascimento Massaro

    Que absurdo!!

    Responda
    1. Romero Lima

      Um atentado ao estatuto do idoso!

  28. Ricardo Luiz

    Perfeito. Apoio a decisão do TJSP. Se a lei permitisse aos credores cobrar a dívida legalmente dos sucessores, aí teríamos uma mudança de cenário

    Responda
    1. LUIZ OTAVIO CRUZ TEIXEIRA

      Mas a lei permite, caso haja bens em espólio.