Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Claudyr Montagnolli

    Aqui nesse espaço , você não pode ter sua opinião , pois fere algo em alguns , e a Folha deleta o comentário , alegando infringir normas do site . Longe de ir em defesa de criminoso , quando existe o crime , é claro!!! Percebo inocência e pureza nos comentários , gente séria , que nunca cobiçou uma ninguém em baladas ou mesmo nos arredores de onde mora ou trabalha , por aqui não tem casamentos de fachadas , hipocrisia passa distante aqui , tá bom acredito em vocês anjos!!!

    Responda
  2. Claudyr Montagnolli

    Prezada senhora , Erica Luciana de Souza Silva , me desculpa se te magoei , confesso que não foi minha intenção , o rapaz tem família , prometeu agora pra Papai do Céu que vai ser bonzinho viu , e não vai cometer esses pecados.

    Responda
    1. Erica Luciana de Souza Silva

      Ele cometeu crime.

  3. Marcelino José santana

    Com certeza lá ele ganhou ovos kkkkkkkkkkkkk

    Responda
    1. Claudyr Montagnolli

      Cada comentário idiota por aqui viu!!!

  4. Claudyr Montagnolli

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    1. Vera Lúcia de Oliveira Jesus

      Machista não...

    2. Erica Luciana de Souza Silva

      A propósito, Robinho não é desavisado. É estuprador.

    3. Erica Luciana de Souza Silva

      Denunciei o seu comentário misógino, culpabilizando a vítima e sugerindo q um condenado pela justiça por estupro seja solto. Espero q o jornal retire o seu comentário o qto antes

    4. Marcelino José santana

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  5. Renato Silva Leitão

    Primeiro cumpra a pena , depois siga sua vida.

    Responda
  6. Gustavo Michelin

    Tá certo ele. Prisão só depois do trânsito em julgado

    Responda
  7. Claudio Luiz da Cunha

    Avisem ele que castanhas ele vai comer na cela.

    Responda
  8. Rodrigo Mello

    O STF deveria aproveitar o caso para decidir que o cumprimento da pena do Brasil independe de acordos prévios entre as nações. Deveria bastar que o crime cometido tivesse semelhante arcabouço criminal e a justiça estrenageira tivesse uma formação equivalente ao brasileiro (julgamento por juiz independente, duplo grau de julgamento) e o pai tivesse embaixada ativa no Brasil.

    Responda
  9. Rodrigo Mello

    O trânsito em julgado aconteceu na Itália. Não cabe o Brasil julgar novamente....o que está a ser discutido é se uma condenação na Itália pode ser aplicada no Brasil. O certo e aplicar a pena, do contrário estaríamos protegendo indevidamente um criminoso. O fato da culpa também é crime no Brasil....seria um equívoco do nosso judiciário permitir que pessoas cometam citem no exterior e se protejam de condenações no Brasil. Acho que nem deveria ter acordo de justiça entre nações.

    Responda
    1. Gustavo Michelin

      Mas é tradição da justiça brasileira proteger criminoso.