Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Leonard Nun

    Outros problemas sociais tb ocorrem com recorrência e não aparecem na mídia, nem é dado tanto destaque, talvez pq não tem o mesmo apelo midiático como o desta bela atriz. Não sei o que foi escrito, acredito que machucou muito, mas a expulsão seria a melhor forma? Será que não há como as jovens aprenderem de uma forma mais construtivista?

    Responda
  2. Nerisvaldo José Santos

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  3. Nilton Silva

    O ser humano quer justiça ou vingança?

    Responda
  4. antonio brito

    A atriz voltou a ficar famosa por um episódio lamentável de bullying de adolescentes. Está usando um triste episódio da filha para se promover, não quer consertar, quer causar. A última vez que esteve na Globo foi na dança dos famosos a 15 anos atrás. Daí para frente só episódios na interminável novela religiosa que é a TV dos bispos.

    Responda
  5. Márcia Meireles

    Curioso, o crime de racismo, machismo e transfobia é cometido dia sim e outro também no Congresso Nacional, por adultos, e não vejo pedidos de expulsão dos parlamentares agressores como acontece no caso das meninas agressoras.

    Responda
  6. bagdassar minassian

    ... as respostas são tão excludentes quantos à 'raiva vingativa' simplesmente por não considerarem que as 'agressoras' têm tanta necessidade de atenção quanto a agredida. Expulsão é forma de agressão, é a 'raiva vingativa', só. O importante na Educação é consertar e concertar, orientar e equilibrar. Expulsar simplesmente transfere para outro lugar, escola, o problema não solucionado.

    Responda
    1. Rodrigo Marinho

      Discordo! A expulsão vai deixar essas meninas cientes de que os atos dela tem consequências. O processo judicial por danos morais nos pais e na escola idem. Não tem nada de vingança nisso. A vingança se trata de ato destemperado e margem da lei. A menina não agrediu as agressoras, ela se portou como vítimas. Manter essas meninas na escola é esperar a reincidência. Já vi muitos casos assim como professor. Expulsão é o melhor remédio. Isso ensina a viver em sociedade, ninguém quer ser banido.

  7. Rodrigo Marinho

    Prezados (a) li todos os comentários e digo com conhecimento de causa: a expulsão é o melhor remédio. Eu fui professor da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro e do Estado do Pará concursado. Não se trata incutir medo ou punitivismo, essas pessoas são abusadas e se acham donas da razão. Não se arrependem dos seus maus feitos e acreditam piamente na impunidade por serem menores ou filhos de quem são filhos. A expulsão é o melhor remédio, não tem nada a ver com "pedagogia da vingança"

    Responda
    1. Leonard Nun

      Talvez vc esteja se sentindo assim por causa do acúmulo do trabalho, de tantas experiências ruins. Mas não acho que as crianças tenham que ser punidas com tanto rigor, elas não nasceram assim, foram moldadas pelo ambiente. E este sim deve ser transformado para mais justo e inclusivo.

  8. Jose Paschoal Pimenta

    A escola não expulsa as alunas porque não quer perder clientes. Só isso. Essa história de educar racistas é papo furado. Essa turma aprende a ser racista dentro de casa.

    Responda
    1. Rodrigo Marinho

      Exatamente. Já vi cada pai ou mãe irresponsável na minha experiência de professor. Educação se aprende em casa, se elas tiveram esse comportamento, é resultado da má formação de caráter dentro de casa.

  9. ROBERTO GENERALI BURGESS

    É muito interessante notar que as mesmas pessoas que são a favor da reeducação de detentos adultos também são a favor de tolerância zero com crianças. É curioso isso.

    Responda
    1. Carolina Godoy

      Oi Roberto. Reeducação de detento. No caso, a pessoa está pagando a pena e de e ser Reeducada para voltar à sociedade. O que é bem diferente da situação em que está se passando sem penalidade alguma. Racismo é crime e assim deve ser tratado. Se fosse agressão física, teriam sido expulsas.

  10. Licia Aihara

    Há que se ensinar que há consequências, “educando”. A impunidade é o maior problema aqui e faz parecer que tudo está à venda.

    Responda
  11. andre isai leirner

    Racismo é crime. Se fosse um estupro a escola teria mesma condução? Obviamente que não. É um caso, portanto, de racismo institucional.

    Responda
    1. Renato Almeida

      O problema é que os inteligentinhos, como diz Pondé, são contra a prisão de um homem de 17 anos e 11 meses que assasina uma pessoa no farol para roubar um celular. Esses mesmos inteligentinhos agora querem a cabeça de duas crianças de 14 anos que erraram, mas um erro infinitamente menor do que esse que citei. Vocês são hipocritas, isso sim.

  12. Cristiano Kock Vitta

    Criança já nasce adulto no Brasil.

    Responda
  13. Francisco Barbosa

    Escolas de elite é praticamente um eufemismo para espaços racistas e elitistas: a elite financeira brasileira de elitizada só tem a conta bancária, está assentada na supremacia racial. Ingênuo é quem coloca filhos racializados nessas bolhas higienizadas.

    Responda
  14. Dora de Oliveira e Silva

    Concordo com a mãe das alunas. Mas isso não deve ser feito apenas em colégios particulares e de elite. Nas escolas públicas racismo também é crime. Alunos expulsos, pais respondendo judicialmente e a escola, dependendo da presteza com que reage à ofensa, ficaria sob suspeição por um período, com risco de fechamento, caso o mesmo tipo de situação se repita.

    Responda
  15. Paulo Roberto Lopes

    O caso é de expulsão sumária.

    Responda
  16. neli faria

    O que falta ao Brasileiro, de todas as classes, sem exceção, é o respeito ao próximo. E não precisa ir longe. Em qualquer comentário aqui, a pessoa , por discordar do outro, parte para agressão com palavras.Veja a notícia da deputada doente, a Folha suspendeu os comentários . E gente,dos dois boiadeiros, politizando a tragédia Gaúcha.O Brasileiro se torna, a cada dia, mais bronco, sem respeito ao próximo. Educar !Preconceito é falta de Educação,de respeito ao próximo.

    Responda
  17. Bob Pereira

    A escola tem todo direito de tomar as providências que achar cabíveis na situação. Àqueles que não concordam, existe o Judiciário, e, também, a livre decisão de procurar outro estabelecimento. Simples assim.

    Responda
    1. jose sousa

      Não, não é “simples assim”. É um assunto extremamente complexo e precisa ser tratado conforme. Simplificar é varrer para debaixo do tapete.

  18. João Silva

    Racismo é crime e quem cuida da pratica de crimes é a justiça. A escola tem o dever de denunciar e adotar medidas educativas.

    Responda
  19. EVERALDO PIRES MARTINS

    Expulsão, pedagogia da vingança.

    Responda
  20. marcus vinicius fernandes

    Devem ser expulsas e devem responder perante a Lei. A Felippo está correta ao extremo em não deixar este episódio ser analisado de forma corriqueira. Em histórias como esta, educam-se as pessoas. Obviamente que ela deve buscar uma reparação monetária contra a escola que foi conivente e contra a família das violentas agressoras. Racismos, homofobia são crimes.

    Responda
  21. HENRIQUE FERREIRA PACINI

    Vingança não combate racismo. Educação, sim. Se trata de uma adolescente, nao de um adulto. Expulsa, a adolescente iria para outra instituição e, devido à medida extrema, aprenderia a esconder o seu racismo, sem realmente abandoná-lo. Ficando na escola, tem a oportunidade de reavaliar, com a orientação adequada, sua postura em relação às relações interraciais. O punitivismo é o fracasso da educação.

    Responda
    1. HENRIQUE FERREIRA PACINI

      Anete, ninguém aqui falou em "tapinha nas costas" e "obrigar à convivência". Percebe-se que os argumentos punitivistas se baseiam mais no imaginário do que em fatos.

    2. Flávio Fernandes Marinho

      Influência dos pais minions herança da extrema direita terrorista.

    3. Anete Araujo Guedes

      Tapinha nas costas, pedido de desculpas e aperto de mão também não resolvem. Trata-se de estruturar ainda mais o racismo cordial, a hipocrisia. A vítima não é obrigada a conviver com as agressoras. Elas vão se sentir apoiadas, empoderadas e ressentidas, muitas colegas tomarão partido das agressoras. O mal-estar será evidente para a que foi agredida.

  22. roberta melissa oliveira sales

    Reabilitação? Discordo. Racismo é crime. Desde cedo, crianças e adolescentes precisam ser educados sobre direitos e deveres. Sobre a lei, sobre crime, sobre abuso, sobre o que podem e o que não podem permitir que seja feito com seus corpos. Desde cedo. Qual o impacto, na vida dessa adolescente, sendo obrigada a conviver com quem praticou um crime? Repito: crime.

    Responda
  23. Felipe Araújo Braga

    Racismo é um crime atroz. A punição deve ser exemplar. Expulsão sim, e mênção do ocorrido no histórico escolar.

    Responda
    1. Felipe Araújo Braga

      Adolescente não tem passe livre pra cometer racismo. E outra: elas não estão sendo julgadas legalmente. Se um aluno agride o professor, ele não deve ser expulso sob a desculpa de que é adolescente? Pois, cometeu racismo, devem ser expulsas sim!

    2. neli faria

      Não para adolescente, Felipe. Aqui não é a Inglaterra que o menor é julgado como adulto. Adolescente não cometem crimes. Cometem inflações análogas...!

    3. roberta melissa oliveira sales

      Concordo. Ou é isso, ou nada vai mudar. É a aplicação da lei a maior reabilitação que essas alunas precisam vivenciar. Elas e suas famílias.

  24. LEANDRO TERRES MARTINS

    Apóio totalmente a posição da escola. Expulsão é última instância, quando não há mais recursos para a reeducação do aluno. No caso, apesar da gravidade, as meninas não têm histórico de infrações e pelo que consta houve arrependimento. Racismo se combate com conscientização e diálogo.

    Responda
    1. neli faria

      Grata,Francisco,infrações. Mania de escrever sem atentar para a paronímia.

    2. Francisco Barbosa

      infrações, Neli..

    3. neli faria

      Anete: adolescente não cometem crimes. Cometem inflações análogas...!

    4. Mariano Guimarães Portela

      Eu concordo por um lado, mas se tivesse sido um abuso sexual das meninas para essa outra estudante aí você mesmo teria falado agora é expulsão e vai aprender sobre violência sexual na cadeia ou numa outra escola… é difícil mas pensa que essa escola já ensina sobre racismo desde que a criança entra na escola e mesmo assim deu nisso, a escola errou nesse encino? Não né, foram duas só e a menina negra, vai ter que engolir ver as outras e sofrer mentalmente um monte de coisa?

    5. Anete Araujo Guedes

      Racismo é crime!

    6. marcus vinicius fernandes

      As infratoras devem ser punidas severamente, com expulsão e processadas.

  25. Flávio Taylor

    Educar? Há 10 anos há uma reeducação nesse sentido, com casos já notórios. Não mesmo. Expulsão seria o certo, não acho exagero. É sim, expulsar as moçoilas racistas com certeza as ensinariam mais do que uma suspensão. Precisamos para com benevolência com gente estragada.

    Responda
  26. Edison Luciano

    A função da escola é ensinar e aos pais cabe educar, mas eles não educaram. Preferem pagar uma fortuna para a escola educar. A escola teve oportunidade de educar e também não educou! Quando o aproveitamento do aluno é abaixo da média, merece a reprovação. Quando a educação e a disciplina são abaixo da média, não há alternativa que não seja a expulsão. É a justa punição aos alunos e principalmente aos pais!

    Responda
  27. César de Oliveira lima

    Os ofensores no Brasil sentem-se superiores ao agredidos. Não sabem que na roda da vida sempre tem alguém que se sente mais superior que eles. Se acham senhores de engenho com seus compatriotas. Lá foram,lavam banheiros, pratos e são chamados pejorativamente de latinos.

    Responda
  28. antonio mateos

    A escola está correta. Entende-se a frustração da mãe, mas a expulsão seria exagero.

    Responda
    1. Anete Araujo Guedes

      Exagero é, com uma punição branda, as atitudes agressivas serão fortalecidas, favorecidas. O racismo seguirá nos atos e falas dissimuladas, no tratamento, no menosprezo, na rejeição. Afinal, aquela escola não é lugar para uma menina negra!

  29. neli faria

    Muito triste o ocorrido,mas, expulsar não seria a solução. O melhor seria Educar. Educar e educar. Chamar os pais e fazer um trabalho educativo, de respeito ao próximo. O que falta no Brasil é o respeito ao próximo .Em toda população há um desrespeito ao próximo.

    Responda
    1. neli faria

      Corrijo-me, Anete a senhora está me chamando de complexo de ...? Muito triste que à míngua de saber fundamentar, as pessoas partem para o subjetivo. Exterior? Qual país? Conheço quase quarenta...! Vou viajar, daqui pouco, à Foz do Iguaçu.Responderei depois do dia dezoito de maio. Aniversário de meu irmão, petista, Ademir, tenho irmão bolsonarista e os demais são sábios!

    2. neli faria

      Anete a senhora está me chamando de complexidade? Aprendi em minha longa vida que quem não sabe fundamentar objetivamente apela para o subjetivo. O que digo é: Educar, educar e educar. Racismo é falta de respeito ao próximo. Estudei, na minha infância, com crianças pretas e sempre teve o respeito ao próximo. Em pleno século vinte e um o brasileiro se torna bronco. Cobre do Oportunista político que torra dinheiro público em propagandas autopromocionais e não Educativas. Cobre do deus!

    3. jose sousa

      Mas a vítima seria então obrigada a conviver com as abusadoras?

    4. Anete Araujo Guedes

      Lá fora, nos outros países há o respeito, tudo é divino maravilhoso. Já no Brasil falta. Complexo de vira lata.

    5. Ramurti Barbosa

      O mais errado é a vítima ter que sair da escola para não ter que conviver com as agressores. Também errado é obriga-la a conviver com os agressores. Então, dizer que expulsão não é solução... não é pra quem? Pra vítima é grande parte da solução sim. Isso irá protege-la de ser vítima de novos ataques racistas nessa escola, porque os racistas saberão que tem consequência. Impunidade estimula o crime, isso é fato.

  30. bagdassar minassian

    ... Escola não é porta de cadeia. A direção da Escola está correta. A sra. Samara e sua defensora querem é destroçar o trabalho educacional. É raiva vingativa e não busca de solução.

    Responda
    1. João carlos Gonçalves de souza

      E se fosse sua filha a agredida , como não quer a expulsão das agressoras , ela passaria a conviver diariamente com o racismo . O que acha ?

    2. Anete Araujo Guedes

      Raiva vingativa? Racismo é crime, está na lei, na norma, nos preceitos. A vítima não é obrigada a conviver com as agressoras. Ela então é a culpada, raivosa, vingativa? É o mesmo que afirmar que ali, naquela escola particular, não é lugar para uma menina negra, que ela não tem o direito de estar ali.

  31. Julio Shiogi Honjo

    Fazer igual antigamente. Escrever mil vezes, num caderno: "Nunca mais ofenderei alguém por causa da cor da pele."

    Responda
    1. Anete Araujo Guedes

      Vamos voltar ao antigamente. Antiga/mente. Quem sabe voltemos à idade média? Autoajuda?

    2. neli faria

      Essa foi boa: mil vezes: sempre respeitarei o próximo. E ficar de castigo no recreio.

  32. marcos fernando dauner

    a escola é particular .

    Responda
    1. antonio brito

      É uma das escolas mais caras de SP.. Só filhos de atriz para cima estudam lá.

    2. marcos fernando dauner

      Caros Marcelo e Ivo - Eu não argumentei nada . Apenas informei um fato - a escola é particular ! Ou vocês têm informação contrária a isso ? E comportamento de crianças não é responsabilidade da escola, e sim dos pais . Eu dei educação á minha filha . Hoje ela é professora e pesquisadora em importante Universidade europeia .

    3. Marcelo Pinto

      Marcos, não entendi seu argumento!

    4. marcos fernando dauner

      Caro Ivo. Acho que v. "leu" o que eu não escrevi . Guarde seus rancor para outrém .

    5. Ivo Valencio

      Mas não é terra sem lei. É regida pelos mesmos códigos que a escola pública e alguns mais, como o cdc. Experimente cometer um crime dentro de um restaurante particular ou de um hospital privado para fazer um teste do seu argumento.