Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Antonio Emanuel Melo dos Santos

    A idade é um fator de risco para múltiplas doenças. É irrealista não planejar para atender a maior necessidade de cuidados para aqueles na terceira idade e na velhice avançada. É preciso adaptar a ocupação para idosos ativos em trabalho penível. As empresas poderão ser obrigadas a ter cotas para pessoas nos últimos 5 anos antes da aposentadoria. Os muito idosos vão necessitar de cuidadores. Enfim, as políticas vão ter que evoluir em vários ângulos.

    Responda
  2. Tadêu Santos

    Tema de abordagem complexa este sobre à nossa vivência, considerando que meus 4 avós viveram em média entre 85 e 90 anos, enquanto meu pai viveu apenas 48 por ser abatido com um câncer no intestino. Estou chegando aos 73 com ajuda das ciências médicas e espero chegar aos 85 como meus antepassados, mas estas expectativas são apenas expectativas, porque ainda não sabemos de fato sobre a longevidade, pois a qualquer momento somos interrompidos bruscamente ou paulatinamente. A vida é uma mágica!

    Responda
  3. Alexandre Marcos Pereira

    A longevidade humana tem aumentado significativamente nas últimas décadas devido aos avanços na medicina, na nutrição e nas condições gerais de vida. Embora esse aumento traga consigo desafios, como os custos previdenciários mais elevados, os benefícios superam em muito os custos. O aumento da longevidade é um benefício crucial para a humanidade. O aumento da longevidade está frequentemente associado a uma melhor qualidade de vida. Avanços médicos alongam a vida e melhoram sua qualidade.

    Responda
    1. marcos fernando dauner

      palavras bonitas ; mas muitos idosos ainda acabam morrendo , sozinhos, no seu apartamento . E seus cadáveres só são descobertos muito tempo após o óbito. "Não tive filhos, não deixei a ninguém o legado de minha miséria" M.P.B.C. - Machado de Assis

  4. Rogerio Silva

    Excelente resenha de um livro que mostra um dos aspectos de um mundo em transformação. O que fazer em uma vida cada vez mais longeva? Entretanto, a menor expectativa de vida nos EUA tem a ver com obesidade, que afeta mais os mais pobres (pois é ligada a falta de educação alimentar e ao tipo de alimentos aos que os pobres têm acesso), mas esta tendência tb se observa no BR e em alguns países de renda média, como o México. Mas é algo a ser pensado pelas próximas gerações.

    Responda
    1. marcos fernando dauner

      batata frita e aquele liquido preto ...

  5. José Cardoso

    Há quase 100 anos o Bertrand Russel escrevia em 'Elogio ao Ócio' que o tempo social de trabalho na sociedade moderna era excessivo para dar conta dos produtos e serviços necessários. Acho que sua análise estava certa, tanto que o ócio só aumenta. Só que sua distribuição não é equitativa. O trabalho se concentra na faixa de 25 a 65 anos. Mas viver sem trabalhar é uma arte. Não é ficar no sofá, nem muito menos enchendo a cara.