Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Aderval Rossetto

    Culpa da direita egoísta !!

    Responda
  2. Frederico de Souza Cruz

    Acho bom o articulista combinar com todos os amigos neoliberais, o discurso da desigualdade obviamente não cabe na política economica neoliberal. O neoliberalismo agora se surpreende com a luta das comunidades e com a força delas. Para firmar seu discurso falam em emprendedorismo, e agora querem usar as vitórias da favela como se fossem fruto da ideologia neoliberal, mas são vitórias apesar e contra as políticas neoliberais, que visam apenas o mercado e acionistas . Hipocrisia.

    Responda
  3. Beatriz Tubino Cerveira

    Ora, ora...se não houver a servidão humana inexiste a primeira classe.

    Responda
  4. João Leite Leite

    Desigualdade sempre vai existir. Os pobres nunca vai poder ter as mesmas regalias dos ricos. O que não pode é ter a metade do povo vivendo numa pobreza estrema que foi criada pelo poder publico a partir de quando o ministro Delfim neto desvinculou o salario mínimo dos demais salários. Enquanto as outras categorias de trabalhadores conseguiam aumento para recuperar as perdas passadas os que recebiam o mínimo foi perdendo valor até chegar chegar num valor irrisório.

    Responda
  5. Tadêu Santos

    A matéria é oportuna e bem vinda neste momento de turbulência política, causada pela polarização entre as esquerdas e as extremas ultradireitas bozonazistas atuantes no congresso e nos governos estaduais, espalhando as falsas "fakenews" ao povo brasileiro...!!!

    Responda
  6. Tadêu Santos

    Também consideramos as injustas Desigualdades Sociais como as causadoras dos retrocessos democráticos em nosso glorioso Brasil. E o principal caminho pra combater estas pirâmides de injustiças é através de uma revolução ar mada com livros, oportunizando a todos brasileiros o direito à educar-se gratuitamente em escolas públicas. Com a população bem informada aumentam as chances de empregos, reduzindo a criminalidade no país, pois o cidadão empregado ñ recorre ao crime para sustentar sua família

    Responda
    1. Tadêu Santos

      A matéria é oportuna e bem vinda neste momento de turbulência política, causada pela polarização entre as esquerdas e as extremas ultradireitas bozonazistas atuantes no congresso e nos governos estaduais, espalhando as falsas "fakenews" ao povo brasileiro...!!!

  7. Alexandre Marcos Pereira

    Altos níveis de desigualdade podem levar a tensões sociais, aumentando a criminalidade, a instabilidade política e a desconfiança entre diferentes classes sociais. Isso, paradoxalmente, reduz a produtividade e a inovação. Em sociedades muito desiguais, as oportunidades de ascensão social são frequentemente limitadas. As pessoas nascidas em famílias pobres têm menos acesso a educação de qualidade, saúde e outras oportunidades, o que perpetua o ciclo de pobreza e desigualdade.

    Responda
  8. Antonio Emanuel Melo dos Santos

    Com essa avacalhação legal no Brasil onde condenado é descondenado, esse papo não leva a nada. Veja bem, isso aqui está longe de ser confiável. Honestidade é opcional para os poderosos. Quem confia que o dinheiro é bem usado ? A prova que não é: rankings internacionais apontam as notas de alunos e está não condiz com a arrecadação em comparação a outros países similares. E a corrupção prospera!

    Responda
  9. ANTONIO MEDEIROS AMORIM

    O benefício é necessário, mas não com o caráter de esmola como é hoje. O ser humano tem que ser estimulado a trabalhar e buscar melhorias na vida. A inatividade, o leva ao alcoolismo e drogas, pela inércia que o benefício oferece. Portanto, junto com o benefício devia se agregar a exigência de se fazer um curso de qualificação de qualquer natureza, para resgatar o indivíduo socialmente..

    Responda
  10. Thiago Cury Ribeiro da Silva

    Muito bom o texto!

    Responda
  11. ERICK DA PAIXAO

    Parabéns pelo texto

    Responda
  12. Fernando José Sanchez de Aquino

    Parabéns! Um economista que pensa em política econômica. Já fez uma palestra nas faculdades particulares de administração e economia de elite de São Paulo? Lá eles adoram a palavra meritocracia.

    Responda
  13. Alexandre Pereira

    Soma zero?

    Responda
  14. Laudgilson Fernandes

    Tudo muito lindo, o problema é explicar para o sistema financeiro. Para a jogatina, para os senhores da guerra, para as privatizações, para a corrupção, para os poderes cosntituidos.

    Responda
  15. Gerivaldo Nogueira da Silva Nogueira

    A América Católica tem uma mente cultural escravocrata, essa cultura espalhou miséria mundo a fora, e até hoje persiste esse modelo concentrador contaminando tudo. A maioria dos brasileiros perderam a primeira infância, o Brasil é uma máquina de produzir desigualdade.

    Responda
  16. Márcio Marques Alves

    A suposta importância da desigualdade, só se sustenta entre os defensores da economia de escassez. Thomas Malthus que o diga; por isso, não é próprio do capitalismo. Sim, a desigualdade prejudica o crescimento de longo prazo, no entanto, não seria função do próprio crescimento reduzir a desigualdade? Interessante o termo "América católica", já que fomos colonizados por portugueses e espanhóis católicos e depois inundados pela migração italiana também católica. O que o autor quis dizer com isso?

    Responda
    1. Márcio Marques Alves

      Acredito que a reflexão sobre as contradições sobre a filosofia da partilha cristã, não tenha muito a ver com o materialismo daqueles que professam a fé católica e se firmam na ideia de desigualdade como algo natural. A desigualdade é sim, por si mesma natural; a questão maior é que no Brasil, ela é extremamente acentuada. Portanto, o termo "América católica" denota distorções próprias no nosso modelo econômico e não religiosos.

    2. Alexandre Pereira

      Só não essa história de maior do mundo.

    3. Paulo César de Oliveira

      O autor quis dizer exatamente aquilo que disse: que na América Católica a desigualdade e a criminalidade são altas, maiores do que em outros lugares. Estatísticas.