Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Fernando Sanches

    Ou quem fez esse texto é um mau caráter, ou ele não tem noção nenhuma da realidade. Se alguém chegar em alguma periferia de SP e dizer que o carrinho do povo brasileiro está mais cheio, é capaz de ser expulso do local. Só para se ter uma ideia, o azeite, que ano passado era uns $20 , hoje está por volta dos $40 , fora outros itens.

    Responda
    1. Thais Campanaro

      Fofo, você é an@lfaBe-to ou foi só preguiça de ler? Primeiro, que o texto reproduz dados de um estudo, dados esses que não saíram da cabeça do redator. Depois, tá lá: "Apesar do resultado dos estudos, a população vulnerável ainda enfrenta dificuldades no consumo ou não consegue sentir uma melhoria nos preços." (e trechos seguintes). A pesquisa faz essa ressalva. Mas pelo jeito você não tem ideia de como as pesquisas são feitas, não é mesmo?

    2. Marcelo Fernandes

      E quem disse que o povo da periferia vive de azeite? A matéria apenas constata que está ocorrendo algum aumento do consumo. Quem exatamente não tem noção da realidade?

  2. SERGIO SOARES DAS NEVES

    Será que a Folha poderia informar sobre em qual cidade brasileira as pessoas compram mesmo realmente tudo o que tem vontade e gastando pouco, sem dor de cabeça ao chegar ao Caixa? Eu não conheço.

    Responda
  3. Daniel Marques

    Que materia sem-vergonha, leva o leitor desatento ao entendimento errado da situação. Desafio qualquer um aqui ir com uma nota de 100 lulads em um supermercado e adquirir os mesmos produtos e quantidades comprados em julho/23.

    Responda
  4. Marisa Coan

    Como a Falha deixa uma tremenda fake dessas passar?

    Responda
  5. Sergio Saraiva

    Foi por isso que eu fiz o L.

    Responda
    1. Daniel Marques

      Voce realmente leu a matéria? O consumidor de baixa rende está indo menos ao supermercado, logo quando ele vai o carrinho fica maior. Isso é desespero para fazer a "compra render", meu caro.

  6. Davi Ferraz

    Como é que os editores da Folha deixaram passar este artigo. Cochilaram no ponto? Que sejam demitidos imediatamente.

    Responda
  7. eliasaraujocunha gmail com araujo cunha

    Isso é um engodo!

    Responda
  8. FABIO FIORAVANTI

    Deus salve Luiz Inácio Lula da Silva, a lenda, o fenômeno, o tri-presidente.

    Responda
    1. Thais Campanaro

      Isso, Marcos. Aí bota o inominável inelegível para continuar com o desgoverno de antes. Ótima ideia!

    2. Daniel Marques

      Desinteligencia Artificial da Secom a toda aqui. Esse ficou feliz com o aumento da gasolina, deve ser dono de posto.

    3. Marcos Miranda

      Piada pronta. Este governo de síndico tem que acabar

  9. Zelis Pereira S Junqueira P F

    Me fala onde está acontecendo isso. Preciso urgente do endereço. Ana Maria Braga colocou um repórter para fazer compras e ficaram alarmados com a alta. Passe o endereço por favor

    Responda
    1. Thais Campanaro

      Misericórdia... e esse povo que não entende que a matéria está reproduzindo dados de um estudo e não tirando número das vozes na cabeça do redator?... Afff!!! Estudo esse que avalia movimentos do mercado como um todo e que faz as devidas ressalvas quanto ao consumo da baixa renda e das altas pontuais nos preços. Aprendam a ler!!

    2. SERGIO SOARES DAS NEVES

      Eu também gostaria de saber o endereço deste mercado onde é barato comprar.

    3. Marisa Coan

      Fiz a mesma pergunta, mas como meus comentários passam por censura prévia que eles chamam de moderação, até agora não publicaram. Grata por fazer a mesma pergunta. Ficarei atenta à resposta que derem, daí vou correndo nestes endereços tão especiais quanto a imaginação do pessoal da Falha.

  10. anderson santos

    Impossível isso ser verdadeiro, os itens essenciais são os que mais sofreram inflação mudando completamente o modelo de compra do consumidor, que reserva uma ida ao supermercado para otimizar os gastos. O perfil de consumo mudou compras antes em mercadinho e supermercados agora os atacarejos que oferecem um poder maior de compra.

    Responda
  11. Marisa Coan

    Contem onde ficam estes supermercados, por favor, com endereço completo, porque os que eu frequento estão cada vez mais insuportavelmente caros.

    Responda