Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Benedito Claudio Pacifico

    O presidente anterior foi um desastre geral , na covid um genocida mas não convém falar de mortos , o atual governo tem de deixar isto para trás e começar a procurar exemplos de eficiência a serem seguidos , e continuar com o lema vacina para todos eu me vacinei mas muitas pessoas não o fizeram por terem 58 , 59 anos uma loucura.

    Responda
  2. Marcos Benassi

    Olha, que realismo delicioso o da Ministra; os atores políticos são tão afeitos à mistificação - os de Dereita, que fique claro, também à paranóia - que é aliviante ouvi-la. "Fomos derrotados", simplesmente, a falcatrua colou de modo denso, influenciou outras vacinas e distorceu a discussão acerca da saúde pública e *responsabilidades* individuais, botando-se uma pretensão liberdade em lugar da ação coletiva contra o patógeno. Eu saúdo a saúde mental e verbal da Ministra: só assim se pode avança

    Responda
    1. João Paulo Zizas

      Marcos, sobre a sua resposta ao meu comentário mais abaixo, vale observar o seguinte: a obrigatoriedade da vacina de Covid que precisou ser combatida pelos defensores do bom senso e do livre-arbítrio é aquela efetivada, por exemplo, nas absurdas exigências de comprovação da "imunização" tanto para poder entrar em determinados lugares como para conseguir admissão em alguns trabalhos públicos ou particulares . E você sabe muito bem que foi a isso que eu fiz alusão na mensagem.

  3. Pedro Luis S C Rodrigues

    Só o Brasil, no mundo todo, adotou obrigatoriedade da vacina de Covid para crianças. Não sei qual a motivação por trás dessa obrigatoriedade, se é ideológica, financeira ou marketing, mas certamente não é baseada em nenhum tipo de evidência

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Arrã. Não se baseia na evidência de que crianças e velhos são os mais afetados pelo patógeno, nunca. É tudo falácia de comunista.

  4. João Paulo Zizas

    É capciosa a ideia segundo a qual o anterior chefe do Planalto atrapalhou a vacinação contra a Covid-19. Quem quis, ainda na pandemia, inocular algum dos recém-criados imunizantes alardeados como capazes de impedir ou atenuar o desenvolvimento dos males gerados pelo vírus SARS-CoV-2 pôde fazer isso graças ao positivo trabalho do governo federal daquela época. O que Jair Bolsonaro defendeu a valer foi a liberdade de escolha, pois é absurdo obrigar alguém a injetar produtos no próprio corpo.

    Responda
    1. Marcos Benassi

      Noooofa, éramos todos *obrigados* a fazê-lo, sob pena de pppaaredão de fffuuzilamento. Cara, o remedinho do Bozo tá dando alucinações até hoje, impreCionante.

  5. JANIO DAS NEVES CAMARA

    A campanha do Bolsonaro e seus seguidores contra a vacina contribuiu em muito para a quantidade absurda de 700 mil óbitos no governo passado. O pior é que ainda continua influenciando a população que passou a ter um medo injustificado, contribuindo para mais casos de óbitos e sequelas.

    Responda
  6. MARIA STELA C MORATO

    *vacina

    Responda
  7. MARIA STELA C MORATO

    Não existe cacina disponível de dengue.

    Responda
    1. CLESIA SOUZA P LIMA

      Na rede privada tem. Eu paguei a minha. Divide até em 12 vezes. É questão de prioridades. Eu priorizo minha saúde e da minha família. As da covid-19 tomei todas as doses disponíveis pra mim. Até aqui não tive covid-19.

    2. Marcos Benassi

      Minha cara, há duas, uma para quem ainda não a adquiriu, outra para quem já teve a afecção. Não sei se ambas estão disponíveis na rede pública, mas a primeira, certamente está. Ocorre que há grupos prioritários e, até que a política de priorização seja atendida ou descontinuada, os demais cidadãos não terão acesso gratuito. Podemos, no entanto, buscar a vacinação privada.