Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Alexandre Oliveira

    Perfeito Gilberto, agora faz todo sentido. Obrigado pelo retorno e desculpe o mal entendido. Abraços.

    Responda
    1. Gilberto Rosa

      Imagina. Abraço

  2. Paulo Bacaltchuck

    O Piers Morgan ficou incrédulo com Roger Waters. Décadas se drogando e o cara ficou gagá. We don't need you Roger Waters.... Hey Rogers, leave us kids alone ..¤

    Responda
  3. JOSE PADILHA SIQUEIRA NETO

    Maríliz é uma mulher inteligente e bem informada, não é possível que justifique um terror com outro ainda maior. A matança de civis continua, assim como o martírio imposto aos civis palestinos, que sobrevivem a duras penas em meio a escombros e deslocados o tempo todo pelos jhudeus em meio à destruição sem fim. Desculpa, Maríliz, mas a chacina perpetrada por Isrhael supera em muito as atrocidades inaceitáveis praticadas pelo Hhhhamas e com a diferença gritante dos meios disponíveis aos jhudheus.

    Responda
    1. Marcos Zucker

      José Padilha, qual é seu embasamento para comparar as atrocidades? Sugere que o contra ataque seja através de estupros, decapitações e sequestros? Já o Luiz Cândido não consegue entender o dispositivo que faz com que defendamos um pedacinho de terra minúsculo com unhas e dentes. Minha sugestão é você estudar um pouco da história da humanidade nos últimos milênios. Um pouco de empatia vai bem! Antes de virem com agressão: empatia só merece quem não ataca barbaramente.

    2. Luiz Candido Borges

      José Padilha, há muito eu percebi que os yuddeuz, que normalmente são inteligentes e bem informados, em sua esmagadora maioria têm um tipo de dispositivo mental que atua instantaneamente quando o assunto é Yzrraeu. Este sempre terá razão, não importa o que faça ou deixe de fazer. Uma ação que seria abominável se cometida por um outro país - até mesmo os EUA! - no caso de Yzrraeu é certo, justo ou, no mínimo, um "mal necessário". Não tem jeito, é sempre assim, só variando a estrindência.

  4. Luiz Candido Borges

    A Mariliz insiste... Pintou uma chance de ostentar seu apoio total, completo, incondicional, acrítico, despudorado a Yzrraeu, lá vem ela! E agora com uma historinha de ter testemunhado, cheirado, tocado, lambido as perversidades do Rammaz, mesmo que na ocasião ela estivesse no Brasil. Não cola. Agora, que tipo de feminismo esta senhora pratica, se as mulheres da Pallexyna don't matter? Só as branquinhas, limpinhas e bem de vida não dão assunto.

    Responda
  5. RODRIGO NAFTAL

    Maríliz. Texto brilhante como sempre. Parte da esquerda se declara não antisemita, mas antissionista. Que na prática são sinônimos. Pergunte nas Universidades americanas, cujos alunos judeus sai perseguidos, se o movimento é antissionista ou antissemita?

    Responda
  6. yussef mahmud m mustafa

    Sem rodeios sem tergiversar,o exercito ‘mais ético ‘do estado de Israel covardemente assassinou mais de 35000 palestinos em sua maioria crianças ,mulheres,destruiu hospitais,escolas,em Gaza

    Responda
    1. Eduardo Fabr

      Continua tergiversando. A articulista não demonizou ninguém.

  7. yussef mahmud m mustafa

    Não se deve concordar com o ataques a civis israelenses em 7/10 . Os defensores do estado de Israel tentam de tudo pra demonizar os palestinos pra justificar os mais de 35000 crianças,mulheres e idosos em sua maioria covardemente assasinados pelo exército de Israel esta é a verdade.

    Responda
    1. Eduardo Fabr

      Mais um tergiversando. Comentário vergonhoso.

  8. Gilberto Rosa

    Ainda não tinha visto coluna com tantas mensagens apagadas, que vergonha, deveriam apagar é a coluna inteira, uma vergonha defender a eliminação de milhares de crianças em Gaza, muitas mutiladas e outras tantas morrendo por fome e doenças. E tem gente que defende, pois são os seus que praticam as atrocidades.

    Responda
    1. Luís Lopes

      Não foi tergiversação nenhuma, foi frontal, aberto e transparente.

    2. Eduardo Fabr

      Vergonha é essa tua tergiversação.

  9. Mário Sérgio Mesquita Monsores

    Pergunto se tem cenas dos ataques israelenses à gaza , gravadas. Entendo seu lado mariliz, mas ao atravessar a rua , ë preciso q se olhe olhe para os dois lados.

    Responda
  10. Marcelo Magalhães

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    1. Eládio Gomes

      é que o olhar dela, nessa questão, é como o de Capitu: oblíquo.

  11. armando moura

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  12. armando moura

    Water diz que evidencias precisam ser comprovadas, não perdoadas, o que não precisa comprovar é o massacre de gaza, onde cinquenta por cento da população é composta por menores. Disso não há menor dúvidas, não precisa de evidências, são fatos. Quanto as imagens mencionadas, há muita coisa gerada por deepweb, então se aconteceu, não há como aceitar, mas se for mais da mentiras para justificar massacres de crianças não há como aceitar duplamente, alias infinatamente.

    Responda
    1. Galdino Formiga

      O viés familiar perde a credibilidade.

    2. Eduardo Fabr

      Ela esteve lá. A tua tergiversação é purulenta.

  13. Frederico de Souza Cruz

    Não sei quais as palavras nem o que pensa Waters. Eu consigo imaginar mas não sentir a dor de todos que foram massacrados torturados, viram seus familiares morrerem, crianças, mulheres desde daquele dia em 7 de outubro. Naquele dia parece que abriram as portas do inferno e não fecharam até hoje. Como diz o compositor Drexler, "non hay una piedra que valga una vida, perdone si no me alisto. Amos Oz diria: numa tragédia o primeiro passo não é buscar os culpados mas salvar as vidas.

    Responda
  14. ANTONIO LEFEVRE

    Aqui Sonia Novinsky- artigo verdadeiro e emocionante para nós que queremos a conversa a paz o respeito pela vida. A Historia é uma grande mestra para justiça a tolerancia. O maior valor é a vida e é uma tristeza imensa ter que defender a vida com armas. Ter que defender o direito a ter um lugar um lar com armas. Mas precisamos de Israel . A Historia nos provou. Precisamos de exercitos , a Historia nos provou. Precisamos da coragem. Nao nos restou nenhuma saida para Historia nao repetir.

    Responda
    1. Luiz Candido Borges

      Antônio/Sônia, comentário muito bonitinho, acho que até ouvi um passarinho cantando, mas essa história se "Precisamos de Izrraeu" não confere. Tudo de ruim que vem acontecendo na região desde o final do século XIX decorre quase exclusivamente da planejamento e fundação deste estado. Sem isto, a Pallextinna seria habitada por árabes e yuddeuz convivendo da mesma forma dos últimos mil e trezentos anos. Aliás, como no restante do Oriente Médio.

  15. José Eduardo de Oliveira

    histórias antigas, ele e outros, narram que o meu malvado é menos malvado que o resto. o muro dele é pior do que os do méxico, do oriente médio e o das favelas e dos condomínios. mãe!

    Responda
  16. José Bernardo

    Fiz dois comentários: um que falava dos sommeliers de massacre que só vêm o que aconteceu no sete de outubro; o outro sugerindo à autora a visão humanitária de ju deus sobre aquele conflito. Foram denunciados e retirados, sem nada ter de ofensivo. A ação de uma brigada de denúncias aqui, quando este é o tema, não é novidade. Triste aqui é constatar a conivência do jornal ao aceitar esse tipo de denúncia.

    Responda
    1. Paulo Araujo

      O censor da Folha bloqueia até texto da Folha. Faça o teste: veja algum artigo que tenha palavras chocantes, copie e coloque aqui. E seja bloqueado pela autora das frases.

  17. Ivo Ferreira

    A pior coisa é quando os dois lados erram e alguém toma partido baseado na "cor da camisa".

    Responda
  18. omar assaf

    Tudo é possível vindo de sionistas. São tantas as mentiras que não dá para saber quem é quem , a única coisa que tenho certeza é que o único invasor , usurpador de terras e terrorista dessa história é o estado ilegal e criminoso criado em terras milenares Palestinas . O problema não é entre judeus e muçulmanos. A ocupação injusta é a grande causa desse conflito.

    Responda
  19. omar assaf

    Além de segurarem os comentários por horas quando publicam colocam nas fileiras de trás . Uma total falta de respeito com o assinante e uma manobra que nos faz lembrar dos tempos sombrios.

    Responda
  20. Carlos Eduardo Cunha

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    1. Daniel Liaz

      Mas então pq que vc está se manifestando?

    2. Ricardo Knudsen

      Se vc acha isso, pq vc está se manifestando? Não deveria ser óbvio para qquer pessoa decente que a "missão" está custando caro para as pessoas erradas? Os civis palestinos não são tesponsáveis pelos crimes dos terroristas, eles não tem nada a pagar. Mas é esperar demais q fascistóides tenham qquer senso de lógica e justiça.

  21. Reivan Franca

    Para criticar a matança na Palestina, perpetrada pelo governo de Israel, não podemos, de forma alguma, negar o terror imposto pelo Hamas ao povo judeu, no outubro de 2023. Nenhuma barbaridade pode ser negada ou minimizada.

    Responda
  22. Ney Fernando

    Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  23. Natália Molina Romano

    Eis uma coisa super simples de se fazer: mostre as evidências. Se são tantas e tão fartas, onde estão? Por ora, as únicas imagens que diariamente chegam são de crianças pa-lestinas destroçadas, inclusive ao final deste vergosonho artigo.

    Responda
    1. Paulo Bacaltchuck

      meu, que planeta vc vive?

  24. José Cardoso

    Que decepção o cara do Pink Floyd ser um negacionista. Mas sua música, assim como a do Wagner continua admirável.

    Responda
  25. José Roberto Pereira

    Está mal explicado isso aqui. Em que data exatamente esteve lá? Não foi por causa dos sogros, afinal: "Chorei de alívio ao ver as imagens na TV dos dois descendo do avião". Os relatos são como se tivesse visto em tempo real (teoria do traço difuso?), tal qual uma sobrevivente. Se foi depois, como pode ter visto tantos detalhes? Eles deixaram as cenas preservadas para fazer tour para a estrangeiros e imprensa? Se viu depois, não pode afirmar tais detalhes. Se viu por foto ou vídeo, muito menos.

    Responda
    1. Luiz Candido Borges

      José Roberto, você tocou no ponto central da questão! Entendo a "santa indignação" da D. Mariliz, esta é o lugar comum de praticamente todos os yuddeuz que têm acesso à mídia - parece combinado, né? A narrativa dela à época não bate com seu "testemunho" apresentado agora. Me parece que ela nos deve esclarecimentos. Mas talvez ela esteja esperando a "realidade" gerada pela máquina zyonnyxta se torne a única admissível.

  26. Wilson Soares

    Sem entrar na veracidade do que o governo de Israel afirma, ou de vídeos nunca mostrados, um fato jamais irei aceitar: a impressionante e inaceitável falha de um dos melhores serviços de segurança e defesa do mundo que levou horas para reagir. Foi como se uma bomba nuclear explodisse em Times Square e o presidente dos EUA só fosse avisado 4 ou 5 horas depois. Acredito que muitos documentos e reportagens que surgirão daqui há alguns anos trarão a verdade sobre os fatos sórdidos ocorridos no dia.

    Responda
  27. omar assaf

    Por um instante pensei que estivesse me enganado e acessado uma revista de fofocas de quinta categoria só depois percebi que a autora do artigo é a mpj aí tudo ficou explicado.

    Responda
  28. João Paulo Zizas

    Mariliz age bem ao criticar veementemente o negacionismo de Roger Waters quanto aos atos terroristas havidos em Israel no 7 de outubro. O músico é outra daquelas figuras que ajudam a propagar o antissemitismo cada vez mais ativo mundo afora nos dias atuais. Elas fazem isso devido aos próprios devaneios ideológicos e/ou à influência de quem sabe induzir idiotas úteis a apoiar causas execráveis. De qualquer modo, posturas como a do ex-vocalista do Pink Floyd são doentias e devem ser rechaçadas.

    Responda
  29. Anete Araujo Guedes

    Isso é coisa dos homens. Digo, dos homens poderosos, dos que dão as cartas, que ditam as regras do jogo. Foram anos incontáveis de um apartheid cruel, desumano, com direitos, liberdade e soberania subtraídas. Vendo suas terras sendo invadidas. Toda libertação de um colonialismo, com raras exceções, tem seu preço, são realizadas através de guerras. Uma luta desigual protagonizada por um povo se considera superior pela força da raça, da grana e das armas.

    Responda
  30. CELSO RIBAS

    Já começou mentindo, ele não negou as "atrocidades" do Hamas, mas sim, foi específico no que se refere aos estupros.

    Responda
  31. FRANCISCO Eduardo de CARVALHO VIOLA

    Ela eh enfática e detalhista em descrever a dos palestinos, usa Roger pra isso, mas já procurou investigar com a mesma vontade a dos oponentes dos árabes?! Essa minúcia dela me lembra o deputado no congresso com o feto de borracha

    Responda
  32. Anete Araujo Guedes

    Isso é coisa dos homens. Digo, dos homens poderosos, dos que dão as cartas, que ditam as regras do jogo. Foram tempos incontáveis de um apartheid cruel, desumano, com direitos, liberdades e soberania subtraídas, vendo suas terras sendo ocupadas. Toda libertação, com raras exceções, tem um preço, são conquistadas através de guerras. São essas as consequências da dominação e controle de um povo. Uma luta desigual, travada pelos que se consideram seres superiores, pela força da grana.

    Responda
  33. Luís Lopes

    Sim, eu acredito, apesar de não ter visto todas essas imagens, você me contou. Só gostaria que descrevesse com a mesma riqueza de detalhes - porque é extremamente fácil fazê-lo - o que acontece do lado palestino. Talvez assim você consiga dormir.

    Responda
    1. Pery Pedro

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  34. Nelson de Paula

    Os israelenses estão cobrando das pessoas erradas pelo atentado que sofreram. Seu exército está matando palestinos que são apenas cidadãos, até mesmo crianças. Isso continua todos os dias, faz meses.

    Responda
  35. Daniel Liaz

    Cara Maríliz. É a enésima vez que lemos artigos seus falando dos horrores desse massacre, o qual todos condenamos. Entretanto, vários assinantes já pediram uma palavra, meia que seja, da sua parte em solidariedade à população civil Palllestina que é massacrada todos os dias, inclusive hj. A senhora nunca atendeu esse singelo pedido. Aí ficamos nos perguntando se a sommelier de ataques com indignações seletivas não seria a senhora. Tá aqui mais uma chance. Pode fazê-lo?

    Responda
    1. FRANCISCO Eduardo de CARVALHO VIOLA

      Eh que ela eh da folha. Isso faz parte do manual do frias da folha. Veja como martelam o mesmo assunto , pro liberalismo, a favor do capital financeiro liberal, e contra lula, especialmente o editorial, que na folha se funde aos pensamentos dos articulista principais.

    2. Pery Pedro

      Mas aí não é legal. A patota dela gosta deste lado. É o que da like no Instgram.

  36. Alexandre Marcos Pereira

    Roger Waters ignora relatos detalhados e evidências documentadas das brutalidades perpetradas. Essa negação não apenas desrespeita as vítimas e seus sofrimentos, mas também promove uma narrativa falsa que relativiza crimes de guerra e violações de direitos humanos. Ao minimizar crimes hediondos, age de forma cúmplice com as ações terroristas do grupo. Sua recusa em reconhecer a gravidade dos estupros, assassinatos de bebês e outras barbaridades é uma afronta à verdade e à justiça.

    Responda
    1. FRANCISCO Eduardo de CARVALHO VIOLA

      O rolando lero, isso foi o que a Mari falou no artigo, agora escreva seu artigo.

    2. Daniel Liaz

      Olha, não iria tão longe assim. Mas se é pra ir, devemos concluir que Maríliz é cúmplice do genocídio perpretado pelo Bibi?

  37. paulo brondi

    Minha assinatura paga o salário dessa moça pra continuar escrevendo tanta bobagem?

    Responda
  38. Fernando José Sanchez de Aquino

    Os comentários são apenas mais uma evidência de que o ser humano deu errado.

    Responda
    1. Eládio Gomes

      e, ao que parece, só você deu certo, ó ser magnânimo...

  39. Eládio Gomes

    Que Waters nega e que quem afirma não mostra...

    Responda
  40. José Fernando Marques

    Cara colunista, o que parece que se está cobrando nos comentários é a solidariedade indiscriminada, dirigida a todos. Você demonstra isso ao final do artigo, mas muitos não leem bem. O importante, acho, é não assumir a defesa de um dos lados, pois é tudo o que os que promovem ou apoiam esses episódios sangrentos querem. Em defesa de todas as vítimas, sejam elas palestinas ou judias.

    Responda
    1. Luiz Candido Borges

      Ô Zé Fernandes, compare o tamanho e virulência da primeira parte do texto com a referência curta e rápida, feita só "prá calar a boca desse povo". Não dá para levá-la a sério...

  41. Eládio Gomes

    A garota até que demorou a voltar com o mesmo papo, estava até estranhando. Mas bastou uma deixa para ela voltar a demonizar apenas um lado de um conflito insano, em que só existem algozes e vítimas e todo mundo perde. Visitou um lado e não se interessou em ver o outro. Para a articulista, tudo que ela diz ter visto justifica a vingança e limpeza étnica promovida por aquele país do qual não se pode falar o nome.Hipócrita!

    Responda
  42. Eduardo Vianna

    Eu gostaria dos links das fontes das fotos, textos, etc dessas evidências. Contra fatos não há argumentos.

    Responda
  43. Luís Lopes

    Sim, apesar de eu não ter visto imagens, você me contou, eu acredito. Só gostaria que você descrevesse, com a mesma riqueza de detalhes, as mortes palestinas, a destruição de um povo, a desesperança criada por um dos exércitos mais fortes do mundo, as crianças órfãs, as crianças mortas, o cheiro de cadáveres do lado palestino, os ferimentos horríveis, a quantidade muito maior de vítimas inocentes daquele lado. Talvez assim você consiga dormir.

    Responda
    1. DEBIE DOS SANTOS BASTOS

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

    2. Peter Janos Wechsler

      Ação e Reação

  44. MARIO C DE S BENEVIDES

    Guerra é um jogo em que a regra é o assassinato em massa de jovens por outros jovens, o estupro merece uma advertência, explodir um hospital uma expulsão, degola na área é pênalti. Daí a expressão crime de guerra, porque guerra não é crime, é um jogo. Rogério Águas, popstar que ganha fortunas com canções e shows denunciando a guerra, torce por um dos times, e Mariliz protesta. Mulheres não entendem nada de futebol nem de guerras. Não entendem suas regras. Mariliz merece uma advertência.

    Responda
  45. Daniel Liaz

    Mais do mesmo das colunas da Maríliz. Creio que segue repetindo esse mesmo papinho oficial simplório pq sabe que vai ganhar audiência nos comentários.

    Responda
    1. Daniel Liaz

      Não entendi pq apagaram o comentário do Eládio. Não fazia ofensa nenhuma, não comeria chrime nenhum, não falava nenhuma menhtira. Essa folha...

    2. Eládio Gomes

      Seu texto foi removido porque infringe as regras de uso do site.

  46. José Fernando Marques

    De acordo. O que não devemos é nos valer desses fatos terríveis para negar o massacre de gente igualmente inocente e indefesa em Gaza. Direitos humanos, direitos de todos os seres humanos.

    Responda
    1. Eládio Gomes

      Waters apenas disse que não há evidências. Se elas existem, mostrem para ele, oras...

  47. Gabo Franca

    A in feliz é pe ssima, mas nao consigo expressar a minha opinião, a Falha censura meus comentários

    Responda
    1. Gabo Franca

      O "teor" dos meus comentários é algo que escapa à IA da Folha, ela se pega em uma palavrinha ou outra, o negócio é tos co mesmo

    2. Eládio Gomes

      Sim, verifique o teor dos comentários. Nesse assunto, se não forem favoráveis a "você sabe quem", não passam.

    3. José Fernando Marques

      Verifique o teor dos seus comentários.

  48. omar assaf

    Um texto apelativo , desesperado e cheio de manobras baratas . Por um instante pensei que estivesse lendo essas revistas de fofocas vulgares e sem conteúdo. É lamentável a folha só dar espaço para gente que trata esse assunto com total parcialidade e desconhecimento servindo só aos interesses de um determinado grupo . Por diversas vezes já comentei que o bom jornalismo deve ser feito com equilíbrio . A igualdade é um direito fundamental !

    Responda
  49. Claudio Luiz da Cunha

    A colunista só gosta de Sertanejo

    Responda
  50. PAULO ROBERTO

    Criar narrativas é o papel da esquerda. Daqui a pouco vão dizer que soldados disfarçados de Is rael foram os que fizeram o aten ta do, para poder atacar Ga za.

    Responda
    1. José Fernando Marques

      Discordo. Os lados opostos de um conflito sempre criam narrativas: é a chamada guerra ideológica. Inverter as coisas mas usar a mesma lógica do "adversário" não nos adianta em nada.

    2. Daniel Liaz

      Et mesmo? Tipo a gadaiada que fica dizendo que o quebra quebra golpista do dia 8 foi feito por infiltrados?! Não sabia que bozolino fascista fazia esse tal "papel da esquerda". E claro que como qquer bozolino vc está sendo intelectualmente desonesto. Ninguém que é ciritco ao cionnnismo nega os ataques. Mas diferentemente dessa Maliriz, tb não nega o massacre genocida perpretado pelo Bibi. Simples.

    3. Dalton Matzenbacher Chicon

      Há um comentário, abaixo, afirmando que o Hamas é uma organização israelense disfarçada.