Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Nelson Goulart

    Fui censurado por falar que bilionários deveriam pagar 70% e os filhos ainda ficariam milionários

    Responda
  2. MARCO AURELIO PINHEIRO LIMA

    Defina censura forte: não publicar nada que lhe desagrade. Defina censura branda: segurar a publicação que lhe desagrade até a notícia perder interesse.

    Responda
  3. MARCO AURELIO PINHEIRO LIMA

    Eu Essa alíquota é uma vergonha. Comparem com EUA e Europa. Estranhamente a Folha não faz uma discussão séria sobre o tema. Nos EUA do Trump a alíquota é 40% e já a foi mais de 80%. O Brasil sempre condena os pobres a continuar pobres.

    Responda
  4. Nelson Goulart

    Digam o que quiserem os progressistas e os conservadores, mas os liberais de verdade são a favor que esta progressividade vá até 70%/80%. Tem uma herança normal para os filhos paga pouco, tem milhões bilhões paga muito. Se não, perpetua-se eternamente as desigualdades e a terrível concentração de renda que tanto prejudica nosso país pois estes milionários são os que fazem as leis e, ao cabo,nos s governam.

    Responda
  5. Giselda Araujo

    A gente trabalha, poupa e se tranquiliza em deixar para os filhos alguma coisa, uma casa, uma renda, para ajudar na sovrevivência, porque muitas vezes não têm a sorte de conseguir um bom trabalho, daí vem o governo, a quem sempre pagamos os mais altos impostos, e quer abocanhar mais, tirar parte daquilo que conseguimos com muito trabalho e economia. Não acho justo isso, pagamos atualmente mais que o suficiente.

    Responda
    1. Giselda Araujo

      Dagmar, isso que você diz é uma bobagem, não existe tanta gente milionária assim para satisfazer a fome do governo, dar o total que ele quer arrecadar, ademais os muito ricos sabem se safar, ele vai tirar é da classe média mesmo, dos aposentados., infelizmente.

    2. Dagmar Zibas

      Entenda q a cobrança é progressiva e visa as enormes fortunas q sustentam várias gerações sem q os herdeiros jamais precisem trabalhar. Maximo de 8% é uma vergonha. Nos EUA é de 40% e na França de 60%

  6. Maria Aparecida Azevedo Pereira da Silva

    Quem doa em vida acaba ficando sem nada e abandonado em vida.

    Responda
  7. Antonio Emanuel Melo dos Santos

    Seria bom para de fanfarronar com dinheiro público pagando o triplo e recebendo a metade nos serviços e obras, gerindo mal o orçamento. É tanto mau uso dos recursos, mas fazer imposto eles sabem e como! Bate uma canetada, trabalho que é bom fica pro outro ou é culpa do outro que não fez.

    Responda
    1. Dagmar Zibas

      Vamos ver onde está a fanfarronice: aposentadorias dos brasileiros, SUS, universidades federais gratuitas, Minha Casa, Minha VIDA, Bolsa Familia, Merensa Escolar, Fundovda Educação Basica, investimentos em infraestrutura, pagamento de salários de todas as forças armadas e as mordomias dos generais, pagamento de todo judiciário e legislativo e suas mordomias, pagamento dos juros da dívida q com Roberto Campos chega a 800 bi por ano. Escolha a fanfarronice.

  8. José Cardoso

    “Não serão alvo de cobrança os valores que tenham sido aportados há mais de cinco anos da ocorrência do fato gerador no caso do VGBL” Essa é uma tremenda brecha.

    Responda