Comente*

* Apenas para assinantes

comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

  1. Vinicius Branco

    Como sempre, temos um governo extremamente criativo. Cortar gastos desnecessários? Não, é muito mais fácil aumentar a carga tributária. Pior é que os inocentes úteis comemoram, imaginando que quem vai pagar são as empresas, quando na verdade é o povo, pois a manutenção das margens de lucro das que forem atingidas pelo aumento vai resultar em transferência da carga para os menos favorecidos, além de revelar a inexistência de qualquer vontade politica do governo de fazer o que deve ser feito.

    Responda
  2. noel neves

    Já passou da hora dos que se enriquecerem às custas dos benefícios do estado devolver ao povo os seus lucros!

    Responda
  3. Flávio Fernandes Marinho

    Tem que cobrar impostos das igrejas, resolveremos a questão economia e social pois teremos menos pastores tipo o Maracutaia financiando atos anti -democráticos.

    Responda
    1. noel neves

      Perfeito Flávio! Tem um tal de Valdemiro que quebrou a igreja e manteve sua fortuna! Vc já viu isso?

  4. MARIA F LUPORINI

    A Folha está a favor de empresa bilionária sonegar impostos.

    Responda
    1. Vinicius Branco

      E vc contribuindo com o lucro da FSP ao manter a sua assinatura. Seria cômico se não fosse trágico...

  5. Luiz Antônio de Lima Ferreira

    Enquanto o povo não aprender a votar será isso , o povão vota no próprio algoz

    Responda
    1. NACIB HETTI

      Um mês após as eleições somente vinte e cinco por cento dos eleitores sabiam em quem tinham votado para o Congresso. O resto foi pelo cabresto. O resultado está visível.

    2. Giselda Araujo

      Enquanto o povo não aprender a questionar e fiscalizar os gastos públicos teremos os nossos impostos sendo mal gerenciados e desviados para finalidades controversas, e o governo sempre querendo arrumar meios de taxar mais.

  6. Luiz Carlos D Oliveira

    É Hilário a proposta d Pacheco, uma propõe recair sobre todos os proprietários de imóveis, as outras 3 alivia as gdes empresas.

    Responda
    1. Giselda Araujo

      Eles precisam de dinheiro a qualquer custo, mas não podem tirar das grandes empresas, a classe média paga a conta, é sempre assim, como se o ITBI e despesas cartoriais, IPTU e outras que pagamos sobre eles fossem pouca coisa. Um herdeiro, muitas vezes, fica impossibilitado de transferir um imóvel de herança dos pais, devido aos enormes impostos e despesas que precisa pagar.

  7. Felipe José Fernandes Macedo

    Haddad é um guerreiro por tentar trazer um pouco de justiça social à esse país, coisa que é muito difícil já que o topo da piramide nunca quer abrir mão dos seus privilégios. Pacheco e o congresso não estão nem aí pro povo. Governam mas para os seus financiadores, dentre eles os grandes empresário. Tudo é lobby em Brasília. Só não tem lobby a favor do povo e do trabalhador.

    Responda
    1. Felipe José Fernandes Macedo

      Giselda, me refiro aos grandes empresários, agropecuaristas, militares de alta patente, judiciário, banqueiros, rentistas e bilionários, herdeiros. É nesse topo que o governo tem que ir em cima.

    2. Giselda Araujo

      Por favor, explique-me quem está no topo da pirãmide, porque o que eu vejo é a classe média pagando a conta. Quem é o povo para você? E quem são esses ricos? Não seriam empresários esses ricos? De onde vem o dinheiro deles?

  8. NACIB HETTI

    Haddad deveria conceituar o lucro da empresa. É normal a empresa ter um lucro contábil e um fluxo de caixa negativo. O contrário também pode acontecer. Usar como base a distribuição de dividendos também pode ter um complicador. A empresa pode ter um resultado financeiro robusto mas optar em não distribuir dividendos e privilegiar o investimento. Sobre o patrimônio também tem um complicador, que a representação contábil dos ativos bem inferior ao valor de mercado.

    Responda
  9. Ricardo Andrade

    Pacheco defende ricos empresários e vira as costas aos pobres. Tem que acabar com essa desoneração perdulária. A Folha, beneficiária dessa gastança estatal, quer continuar mamando nas tetas do Estado e, por isso, pressiona o STF a usurpar os direitos dos aposentados em seu editorial de hoje.

    Responda
    1. Ricardo Andrade

      Giselda, a proposta contra os aposentados não é do governo. Leia o editorial da Folha hoje.

    2. Mauricio Borborema de Medeiros

      Giselda, a proposta de desvinculação das aposentadorias ao salário mínimo não é deste governo. Essa é uma campanha diuturnamente emplacada por esta Folha na sua defesa de certo empresariado mamateiro.

    3. Giselda Araujo

      Tirar dos aposentados que já têm tão pouco é a maior covardia que esse Governo pode aprovar. Tolos são os que acreditam no discurso dessa esquerda de araque.